A MEMÓRIA DE PAULO VI


Cidade do Vaticano, 06 ago (RV) – Trinta e um anos anos atrás, morria em Castel Gandolfo o Papa Paulo VI. A “grande pessoa” de Papa Montini foi recordada domingo, por Bento XVI, em seu encontro com os fiéis para a oração do Angelus, justamente em Castel Gandolfo.

Paulo VI, nascido Giovanni Battista Enrico Antonio Maria Montini (Concesio, 26 de setembro de 1897 – Castelgandolfo, 6 de agosto de 1978), foi papa de 21 de junho de 1963 até a data de sua morte. Esteve à frente da Igreja Católica durante a maior parte do Concílio Vaticano II e foi decisivo na aplicação prática de suas orientações.

Giovanni Montini nasceu em Concesio, na província de Brescia. Entrou no seminário em 1916 e foi ordenado em 1920. Estudou na Universidade Gregoriana, na Universidade de Roma e na ‘Accademia dei Nobili Ecclesiastici’. Seu talento o levou à Cúria romana: em 1937 foi nomeado Substituto para Assuntos Correntes pelo Cardeal Pacelli, Secretário de Estado da Santa Sé no papado de Pio XI.

Em 1954, foi nomeado Arcebispo de Milão, cargo que lhe conferiu maior experiência pastoral. No consistório de 1958, João XXIII o elevou à dignidade cardinalícia. Foi eleito papa em 21 de junho de 1963, após a morte de João XXIII.

Foi o primeiro papa a viajar de avião: fez viagens a Terra Santa, Índia, ONU, Portugal, Turquia, Colômbia, Suíça, Uganda, Filipinas e Austrália. Encerrou o Concílio Vaticano II, aberto pelo Papa João XXIII, implementando posteriormente as suas reformas e medidas inovadoras que visavam renovar a Igreja Católica.

Papa Paulo VI escreveu a Encíclica Humanae vitae, documento que se constituiu num marco decisivo da Doutrina da Igreja nas questões sobre aborto, esterilização e regulação da natalidade por métodos artificiais, e cuja doutrina serviu de base para vários documentos pontifícios posteriores sobre os temas da família, da ética conjugal e da bioética.

Hoje, Papa Paulo VI será recordado no Vaticano com uma Santa Missa, presidida pelo Cardeal Angelo Comastri, arcipreste da Basílica papal de São Pedro, no Altar da Cátedra.

Castel Gandolfo recordará o pontífice com uma Eucaristia na Paróquia de São Tomás de Villanova, celebrada pelos bispos de Palestrina, Dom Domenico Sigalini, e de Albano, Dom Marcello Semeraro. Hoje à noite, a cidadania está convidada a participar do Concerto do Coro Polifônico Prenestinae Voces e de uma reflexão do jornalista Andrea Tornielli, sobre o tema “Paulo VI. A audácia de um papa”. (CM)