Bento XVI preside Missa de abertura do Sínodo da África


O Papa Bento XVI presidirá a Missa de abertura da II Assembléia Especial para a África do Sínodo dos Bispos, que se inicia neste domingo, 4, em Roma. Os trabalhos do Sínodo seguem até o dia 25 de outubro.

O secretário-geral do Sínodo dos Bispos, Dom Nikola Eterović, disse na coletiva de imprensa desta sexta-feira, 2, no Vaticano, que se verificou na África um grande dinamismo nos últimos anos. De 1978 a 2007, “o número de católicos africanos passou de 55 milhões para cerca de 165 milhões”.

Dom Eterović frisou ainda, que este aumento se verificou também no campo vocacional. “Aumentam cada vez mais os sacerdotes, religiosos, missionários e leigos africanos engajados nas atividades pastorais das Igrejas locais e de outros continentes”, ressaltando a importância da ação evangelizadora a serviço da promoção humana no continente africano.

A missão da Igreja na África incluiu a promoção de atividades educacionais, “oferecendo uma formação integral, humana e cristã, para as novas gerações”.

Sínodo

O Sínodo para a África foi proposto há cinco anos pelo então Papa João Paulo II. O tema da Assembleia é “A Igreja na África a serviço da reconciliação, da justiça e da paz. Vós sois o sal da terra… vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13.14).

Serão 244 os padres sinodais presentes no Sínodo, que irá refletir sobre a Igreja no continente africano. Entre as temáticas centrais estão a “a promoção humana é essencial no continente africano” e a “evangelização é o caminho para a sua concretização”.

Na escolha dos padres sinodais foi seguido o critério de ter a presença de pelo menos um bispo de cada um dos 53 países da África. A maioria dos padres sinodais, exatamente 197, são da África. Os outros 47 são provenientes dos outros continentes: 34 da Europa, 10 da América, 2 da Ásia e 1 da Oceânia.

Convidados especiais

O Papa Bento XVI estabeleceu ainda que participassem na Assembleia sinodal, além dos 25 Chefes dos Dicastérios da Cúria Romana, todos os cardeais africanos, que atualmente são 14 e os Presidentes das Conferência Episcopais.

Além disso, participarão no encontro sinodal três convidados especiais:

– Na terça-feira, 6, o Patriarca da Igreja Ortodoxa Tewahedo Etíope, Abuna Paulos, integra o Sínodo, dada a presença “ininterrupta” desta Igreja cristã na África;

– Na sexta-feira, 9, o ex-Chefe da Joint United Nations/African Union Peacekeeping Mission para o Darfur, Rudolf Adada, vai falar sobre os esforços pela paz na região, “um tema de interesse mundial”;

– Na segunda-feira, 12, falará aos Padres sinodais o Director-Geral da FAO, Sr. Jacques Diouf, para informar sobre os esforços da FAO destinados a garantir a segurança alimentar na África.

Outras informações

No diz respeito ao trabalho sinodal, estão previstas 20 Reuniões Gerais e 9 Sessões dos Grupos menores, divididos segundo as três línguas oficiais da Assembleia: o francês, a inglês e o português. Os Padres sinodais podem também falar italiano.

Aos participantes juntam-se ainda 29 peritos (19 homens e 10 mulheres) e 49 auditores (29 homens e 20 mulheres), que vão “enriquecendo a reflexão com os seus testemunhos”.

Somando com os assistentes, os tradutores, o pessoal técnico e, particularmente, os Oficiais da Secretaria Geral, cerca de 400 pessoas vão participar na Assembleia sinodal.