PAPA APRESENTA SÃO PEDRO, O VENERÁVEL

Cidade do Vaticano, 14 out (RV) – Hoje, quarta-feira, o Santo Padre concedeu audiência geral aos romanos, fiéis e turistas presentes na cidade. O tema da catequese de Bento XVI foi a vida de Pedro, o Venerável, um abade beneditino de Cluny, na França, que viveu na época Medieval.

Homem devoto, dedicado a orações, privações e mortificações, foi asceta rigoroso consigo mesmo, mas compreensivo e afável com os outros: um exemplo de íntima união com Deus e da delicadeza fruto da caridade cristã.

Explicando a atualidade de Pedro, o Venerável, o papa assim o descreveu:

“Uma destacada figura de mediador e de reconciliador, tanto no âmbito de seu Mosteiro como no agitado mundo de sua época. Costumava dizer que se obtém mais de uma pessoa quando é compreendida e não irritada. Preocupou-se em estimular o espírito eclesial para que todos os cristãos sentissem o palpitar do Corpo de Cristo, que é toda a Igreja”.

Naquele clima de intransigência, Pedro, o Venerável favoreceu um maior conhecimento dos não-cristãos, como judeus e muçulmanos. Fiel ao ideal de São Bento, criou em Cluny o Dia da Transfiguração, como expressão litúrgica da aspiração de contemplar a face gloriosa de Cristo.

Resumindo, Bento XVI citou o santo como um exemplo também para os nossos tempos, marcados por um ritmo de vida frenético onde a intolerância, as divisões e os conflitos são freqüentes. Seu testemunho – reafirmou – convida-nos a unir o amor de Deus e o amor do próximo, reforçando nossas relações de fraternidade e de reconciliação.

Após a sua catequese, Bento XVI fez saudações em inglês, francês, alemão, espanhol, polonês, ucraniano, húngaro, eslovaco, croata, italiano e português.

Dirijo uma saudação particular de boas-vindas aos peregrinos de língua portuguesa, com votos de que a presença na cidade dos Apóstolos Pedro e Paulo fortaleça a vossa adesão a Jesus Cristo e o desejo de servi-lo através do amor ao próximo, do perdão e da busca pela paz. O Pai do Céu derrame os seus dons sobre vós e vossas famílias, que de coração abençôo”.

No final do encontro, o papa concedeu a sua benção a todos os presentes e saudou de modo especial todos os que vieram de outros países para participar, no último domingo, da cerimônia de canonização por ele presidida na Basílica de São Pedro.

NOVO DIRETÓRIO ON LINE DA MÍDIA CATÓLICA

Cidade do Vaticano 14 out (RV) – O Pontifício Conselho das Comunicações Sociais junto com o CELAM e Signis realizaram o novo diretório on line dos meios de comunicação católicos, chamado “www.intermirifica.net”. O novo portal católico tem a estrutura do sistema wiki, e apresenta-se como um diretório que os próprios usuários podem completar ou atualizar voluntariamente. Intermirifica.net funciona também como um pesquisador de rádios, televisões ou produtoras, em diferentes idiomas e países.

Os usuários podem colocar dentro do diretório os dados principais dos meios de comunicação: país, idioma, número telefônico, e-mail e página web. O objetivo principal de Intermirifica.net é que todos os meios de comunicação católicos se comuniquem entre eles, intercambiando ideias e projetos comuns. Atualmente o diretório está em espanhol, porém em breve será traduzido em inglês, francês e português. Você pode participar deste diretório católico colocando os dados de algum meio de comunicação, tornando-se um usuário-editor.

Para ser um usuário editor, a pessoa deve registrar seus dados em Intermirifica.net e ser aceito por um dos usuários moderadores. Os dados registrados no sistema pelo usuário-editor são publicados on line, somente se foram verificados pelo usuário-moderador, que pode aceitar, rejeitar ou publicar a informação, dependendo do grupo idiomático. Poderiam ser moderadores os encarregados nacionais dos departamentos episcopais de comunicação, os encarregados regionais de Signis e outras instituições de comunicação católica.

De acordo com o organograma de Intermirifica.net, os usuários editores dependem dos usuários moderadores, e estes por sua vez, dependem dos usuários administradores ou organismos internacionais, promotores deste projeto. O diretório católico “www.intermirifica.net”, que faz referência ao primeiro e único documento do Concilio Vaticano II dedicado às comunicações sociais, tem como objetivo converter-se nas “páginas amarelas dos meios de comunicação da Igreja”. (SP)

ANO SACERDOTAL: REZAR PELA SAÚDE DOS PADRES

Cidade do Vaticano, 14 out (RV) – A Santa Sé pede aos enfermos do mundo que neste Ano Sacerdotal ofereçam suas orações e sacrifícios especialmente aos sacerdotes.

O convite está numa carta publicada no dia 1º de outubro pelo arcebispo polonês Zygmunt Zimowski, presidente do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde.

“Sinto-me próximo de cada um de vocês e convido todos os irmãos e irmãs enfermos a dirigir incessantemente suas orações e o oferecimento de seus sofrimentos em favor da santidade de seus amados sacerdotes, a fim de que desempenhem com entrega e caridade pastoral o ministério que Cristo, Médico do corpo e da alma, lhes confiou” – escreve o arcebispo polonês.

Dom Zygmunt ainda convida os que sofrem e os doentes a redescobrirem a beleza da oração do Santo Rosário para o benefício espiritual dos sacerdotes, em particular no mês de outubro. “Ao lado da pessoa doente, o padre simboliza o próprio Cristo, Médico Divino, que não é indiferente ao destino daquele que sofre”.

“Através dos sacramentos da Igreja administrados pelos sacerdotes, Jesus Cristo oferece ao doente a cura da reconciliação e o perdão dos pecados, por meio da unção com o óleo sagrado e da Eucaristia. Na pessoa do sacerdote, está presente junto ao enfermo o próprio Cristo, que perdoa, cura, consola, segura sua mão e diz: ‘Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive e crê e mim, não morrerá jamais’”.

A seguir, o arcebispo polonês pede orações especiais pelos sacerdotes enfermos e provados no corpo, pela beatificação e canonização do Servo de Deus João Paulo II, e pelas santas vocações sacerdotais e religiosas.

Enfim, Dom Zimowski sugere a prece composta por João Paulo II para esta ocasião, e recorda aos enfermos que, “ao orar pelos sacerdotes, é possível obter indulgências especiais este ano”. (CM)