PAPA: REFLEXÃO SEM FÉ PODE SER VÃ.


Cidade do Vaticano, 21 out (RV) – Bento XVI foi acolhido essa manhã por pelo menos 40 mil fiéis na Praça São Pedro, para a Audiência Geral. Todos os setores que ladeiam a praça estavam repletos de grupos, inclusive de peregrinos brasileiros.


O pontífice fez a sua catequese inspirada na personalidade de São Bernardo, fazendo um auspício a todos nós:


A fé é antes de tudo o encontro pessoal íntimo com Jesus, a experiência da sua proximidade, da sua amizade e do seu amor: só assim se aprende a amá-lo e conhecê-lo cada vez mais. Espero que isso possa acontecer com cada um de nós”.


Sobre a vida de São Bernardo, o pontífice ressaltou que este Pai da Igreja foi um dos maiores autores do pensamento teológico medieval. Segundo Bento XVI, que passou a maior parte da vida como teólogo, quando não alimentadas por uma íntima relação como o Senhor, as grandes reflexões teológicas sobre os mistérios divinos correm o risco de se transformar em “vãos exercícios intelectuais”.


O abade de Chiaravalle gostava de repetir aos teólogos e monges de sua época que só um nome conta: Jesus o Nazareno. “Todo alimento da alma é árido quando não irrigado com este óleo; é insípido quando não temperado com este sal. Os escritos não terão sabor se neles não se ler Jesus” – dizia o Santo.


Dirigindo-se aos teólogos de hoje, seu ex-colega (e muitas vezes mestre) observou que “às vezes, pretende-se resolver as questões fundamentais sobre Deus, o homem e o mundo somente com as forças da razão; mas, sem uma profunda fé em Deus, nossas reflexões sobre os mistérios divinos podem perder a credibilidade.


A mensagem lançada pelo pontífice aos presentes hoje na Praça São Pedro é que “assim como São Bernardo em seus tempos, nós também, hoje, devemos reconhecer que o homem procura melhor Deus e o encontra com mais facilidade mediante a oração e não a discussão”.


Bento XVI também saudou os peregrinos em português:


Amados brasileiros do Rio de Janeiro e demais peregrinos de língua portuguesa, com afecto a todos saúdo e abençôo, desejando que a vossa peregrinação até junto do túmulo dos Apóstolos Pedro e Paulo reforce, em cada um, a sua fé. Esta é, antes de tudo, encontro íntimo e pessoal com Jesus Cristo. Que esta experiência vos leve a conhecê-Lo, amá-Lo e segui-Lo cada vez mais! Ide com Deus!“.