Vaticano inicia diálogo doutrinal com integristas


CIDADE DO VATICANO, Santa Sé — O Vaticano inicia na segunda-feira um diálogo doutrinal com os integristas da Fraternidade São Pio X, fundada pelo arcebispo francês Marcel Lefebvre que foi excomungado em 1988, com o objetivo de superar o mais reciente cisma na Igreja Católica.

A iniciativa pode durar meses, levando em consideração as enormes divergências entre os dois lados.

Os integristas seguidores de Lefebvre não aceitam as mudanças consagradas no concílio Vaticano II sobre a liberdade religiosa, o ecumenismo e a autoridad do Papa.

O conteúdo dos debates não foi divulgado, mas um comunicado deve ser publicado ao fim da primeira sessão, que tem como meta estabelecer os pontos essenciais das conversações e o calendário das discussões.

Em 1988, Joseph Ratzinger (futuro Papa Bento XVI), que era o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, negociou até o último momento para evitar que quatro bispos fossem consagrados por Lefebvre, o que provocou de fato a ruptura.

Bento XVI já adotou vários gestos de abertura em relação aos integristas, o que provocou tensão dentro da própria Igreja Católica.

Em 2007 publicou um decreto que facilita a celebração da missa em latim, uma das reivindicações dos integristas.

Mas o gesto mais importante veio em janeiro passado, quando suspendeu a excomunhão de quatro bispos ordenados por Lefebvre, incluindo Richard Williams, que nega o genocídio dos judeus na II Guerra Mundial, o que provocou uma enorme polêmica.