PAPA PEDE QUE FIÉIS PRESTEM ATENÇÃO A LEITURAS DO EVANGELHO


CIDADE DO VATICANO, 28 OUT (ANSA) – O papa Bento XVI pediu para que os fiéis prestem mais atenção às leituras do Evangelho durante as missas dominicais, ao discursar na audiência geral de hoje.
Diante de 15 mil pessoas na Praça São Pedro, o Pontífice também recomendou que as pessoas reservem “um certo tempo, todos os dias, para uma meditação sobre a Bíblia, porque ela é a lâmpada que ilumina o nosso caminho sobre a terra”.
Bento XVI escolheu abordar o tema do desenvolvimento teológico do século XII em sua catequese desta quarta-feira, na qual compareceram o prefeito de Roma, Gianni Alemanno, e o casal holandês Paul e Wilma Van Munster, vítimas de uma agressão na capital italiana ocorrida em agosto de 2008.
Bento XVI explicou que, naquele século, se formaram dois modelos de teologia: a monásticas e a escolásticas, as quais, segundo o Papa, são diferentes, mas complementares.
“A primeira foi desenvolvida por monges, devotos, ouvintes e leitores da Sagrada Escritura, que procuravam incentivar e nutrir o desejo amoroso de Deus. Já a teologia escolástica é obra de pessoas cultas, de mestres que desejavam mostrar o caráter razoável e o fundamento dos mistérios de Deus e do homem, que devem ser acreditados com fé, mas também compreendidos pela razão”, destacou o Pontífice.
Bento XVI ainda comentou que uma série de coincidências providenciais” favoreceu, no século XII, um florescimento da teologia latina.
“De um lado, a paz e o desenvolvimento econômico da Europa. Do outro, a reforma gregoriana promovida no século anterior”, que “levou a uma maior pureza evangélica na vida eclesial”, afirmou o Pontífice.
“Nesse contexto, a teologia floresceu, adquirindo consciência de sua própria natureza e inspirando iniciativas importantes para a cultura, arte e literatura”, disse o Papa.
Antes destes pronunciamentos, um coral infanto-juvenil da cidade de Maringá, no Paraná, cantou a música “Aquarela do Brasil” na Praça São Pedro. Ao fim da audiência geral, Bento XVI cumprimentou Alemanno e o casal holandês. (ANSA)