PAPA: "BELEZA CONDUZ A DEUS"


Cidade do Vaticano, 18 nov (RV) – O papa concedeu esta manhã audiência a peregrinos, romanos e turistas, na Sala Paulo VI. No dia em que a Igreja celebra as Basílicas de São Pedro e São Paulo, Bento XVI falou das catedrais como uma das criações artísticas mais elevadas da humanidade; fruto da fé na Idade Média cristã.

As catedrais românicas se distinguem pela solidez de suas paredes, por suas abóbodas, por seu tamanho e suas linhas, simples e essenciais. Como novidade, introduziram as esculturas, cujo papel era principalmente pedagógico.

Em seus pórticos, predomina a representação de Cristo como juiz universal, significando que Ele é a porta que leva ao Céu. Entrando na Igreja e participando da celebração litúrgica, os fiéis podiam saborear, antecipadamente, a bem-aventurança eterna.

As catedrais góticas, por sua vez, são uma síntese harmoniosa de fé e de arte. Diferenciam-se das românicas por serem mais altas e luminosas. Com sua linha arquitetônica, expressavam o anseio da alma a Deus.

A escultura gótica, representando cenas do Evangelho, dos mistérios do ano litúrgico, da Virgem Maria ou dos santos, fez daqueles templos “Bíblias de pedra”.

A arte românica, assim como a gótica – explicou o papa – não pode ser entendidas se não for levada em conta a alma religiosa que as inspirou. Isso nos recorda – concluiu – que o caminho da beleza é um percurso privilegiado para aproximarmo-nos ao Mistério de Deus.

No final do encontro, o papa recordou que sexta-feira decorre o 20º aniversário da adoção da Convenção sobre os direitos das crianças. Na sede da ONU, em Nova York, será celebrado o Dia Mundial de Oração e Ação pelas Crianças.

Bento XVI dirigiu seu pensamento a todas as crianças do mundo, destacando especialmente os menores que vivem em situações difíceis, violados e abusados, sofrem por causa de doenças, guerras ou fome.

Como é tradição, o papa saudou os fiéis em várias línguas, inclusive o português, com as seguintes palavras:

“Queridos irmãos e irmãs,

Fruto de uma profunda harmonia entre a fé cristã e a cultura, a Idade Média viu nascer uma das maiores criações artísticas da civilização universal: as igrejas e catedrais românicas e góticas. A partir do século IX, surgem as sólidas construções românicas caracterizadas pelo aumento das dimensões longitudinais e pelas suas abóbodas em pedra com traços simples e essenciais. Nos séculos XII e XIII, chega-se às majestosas catedrais góticas, que se distinguem das românicas pela altura esguia das construções e a sua luminosidade. O objetivo era traduzir, através das suas linhas arquitetônicas, o desejo de Deus no coração do homem. Contemplando a força do estilo românico e o esplendor do gótico, adentramo-nos na senda da beleza, que é um caminho privilegiado e fascinante para nos aproximar do Mistério de Deus”.

A minha saudação a todos peregrinos de língua portuguesa, com uma bênção particular para o grupo vindo do Brasil. Que Nossa Senhora vos acompanhe e ampare na caminhada da vida e no crescimento cristão, conservando a vós e a quantos vos são queridos na perene amizade de Deus.

O pontífice convidou os fiéis a unir-se à sua oração e apelou à Comunidade internacional para que multiplique seus esforços a fim de oferecer uma resposta apropriada aos dramáticos problemas da infância. Ao mesmo tempo, auspiciou o generoso envolvimento de todos para que sejam reconhecidos os direitos das crianças e respeitada sempre mais a sua dignidade.
No final do encontro Bento XVI concedeu a todos a sua bênção.
(CM)