O sinal da cruz


Da Homilia sobre a cruz e o ladrão, de São João Crisóstomo (325-407), bispo e doutor da Igreja:
Saberás o quanto a cruz é um sinal do Reino? É com esse sinal que Cristo virá, quando da Sua segunda e gloriosa vinda! Para que possamos avaliar até que ponto a cruz é digna de veneração, Ele fez dela um título de glória.
Sabemos que a Sua primeira vinda se fez em segredo, e essa discrição estava justificada: veio, com efeito, procurar o que estava morto. Mas essa segunda vinda passar-se-á de maneira diferente.
Então aparecerá a todos e ninguém terá necessidade de perguntar se Cristo está neste lugar ou naquele (Mt 24,26); não será preciso perguntarmo-nos se Deus está de fato presente. Mas o que será preciso procurar saber, é se Ele vem com a cruz.
«Assim será a vinda do Filho do Homem, o Sol escurecerá, a Lua não dará a sua luz» (Mt 24,27.29). A glória da Sua luz será tão grande que diante dela obscurecer-se-ão os astros mais brilhantes. «As estrelas cairão do céu. Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem.» (Mt 24,29-30).
Vês bem o poder do sinal da cruz? «O Sol escurecerá e a Lua não dará a sua luz», e a cruz, pelo contrário, brilhará, bem visível, para que saibas que o seu esplendor é maior que o do sol e o da lua. Tal como, quando entra o rei numa cidade, os soldados carregam aos ombros os estandartes reais e os levam à sua frente para assim anunciar a sua chegada, também assim, quando o Senhor descer do céu, a corte dos anjos e dos arcanjos, carregando esse sinal aos ombros, nos anunciará a chegada de Cristo, nosso Rei.