PAPA RECEBE BISPOS DO REGIONAL SUL 4 DA CNBB


Cidade do Vaticano, 05 dez (RV) – Bento XVI recebeu, neste sábado, os bispos do Regional Sul 4 (Santa Catarina) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em visita ad Limina.

O papa agradeceu ao arcebispo de Florianópolis, Dom Murilo Krieger, pelas palavras de estima dirigidas a ele em nome de todos os bispos e do povo catarinense a eles confiado.

O Santo Padre falou sobre a cultura, ressaltando “que o pensamento se dirige para dois lugares clássicos onde a mesma se forma e comunica – a universidade e a escola –, fixando a atenção principalmente nas comunidades acadêmicas que nasceram à sombra do humanismo cristão e nele se inspiram, honrando-se do nome católicas”.

Bento XVI disse ainda que a escola possa , “numa convicta sinergia com as famílias e com a comunidade eclesial, promover aquela unidade entre fé, cultura e vida que constitui a finalidade fundamental da educação cristã”.

O pontífice sublinhou que a escola católica não pode ser pensada nem vivida separadamente das outras instituições educacionais. “Está ao serviço da sociedade: desempenha uma função pública e um serviço de pública utilidade, não reservado apenas aos católicos, mas aberto a todos os que queiram usufruir de uma proposta educacional qualificada” – firou o papa.

O Santo Padre citou o artigo 26 da Declaração Universal dos Direitos Humanos: «Os pais têm direito de prioridade na escolha do gênero de educação a ser ministrada aos próprios filhos». “O empenho plurissecular da escola católica situa-se nesta direção, impelido por uma força ainda mais radical, ou seja, a força que faz de Cristo o centro do processo educativo” – frisou ainda Bento XVI.

O papa agradeceu as diversas congregações religiosas que fundaram no Brasil universidades, “lembrando que estas não são uma propriedade de quem as fundou ou de quem as freqüenta, mas expressão da Igreja e do seu patrimônio de fé”.

Bento XVI recordou também que em agosto passado a Instrução “Libertatis nuntius” da Congregação da Doutrina da Fé, sobre alguns aspectos da teologia da libertação, com pletou 25 anos.

Enfim, o papa concluiu pedindo ao Senhor que derrame a abundância da sua Luz sobre todas as escolas brasileiras, confiando seus protagonistas à proteção da Virgem Maria. O Santo Padre concedeu aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, aos leigos engajados e a todos os fiéis brasileiros das dioceses catarinenses a sua bênção apostólica. (MJ)