PAPA NA AUDIÊNCIA: VIVER O ADVENTO FIXANDO O OLHAR NA VIRGEM MÃE


Cidade do Vaticano, 09 dez (RV) – A Sala Paulo VI acolheu esta manhã milhares de fiéis e peregrinos para a Audiência Geral desta quarta-feira.

Como nas semanas precedentes, Bento XVI falou hoje em sua catequese de outro monge do século doze: Ruperto de Deutz. Segundo um costume da época, quando criança foi acolhido no mosteiro beneditino de São Lourenço, onde recebeu uma esmera educação. Desde cedo, manifestou seu amor pela vida monástica. No ano 1120, o nomearam abade de Deutz, onde viveu até a morte em 1129.

Ruperto nos deixou uma grande quantidade de obras, que, ainda hoje, suscitam grande interesse. Na vida, deu provas de profunda adesão ao Sucessor de Pedro, tendo preferido ver adiada a sua ordenação sacerdotal a recebê-la das mãos de um bispo em dissenso com o papa.

A referência ao ministério petrino garante fidelidade à sã doutrina e dá serenidade e liberdade interior. Contra alguns que defendiam uma presença meramente simbólica de Jesus na Eucaristia, Ruperto defende a presença real, afirmando a continuidade entre o Corpo do Verbo encarnado e o Corpo de Cristo presente nas Espécies do pão e do vinho.

Mas, por que encarnou o Verbo divino? Diziam alguns: para reparar o pecado do homem. Ruperto alarga o horizonte e explica: a encarnação sempre estivera prevista, independentemente do pecado do homem; era necessária para que a humanidade pudesse reunir-se em Cristo como uma só família para glória e louvor de Deus Pai.

No final da Audiência, o papa saudou os presentes em várias línguas, entre as quais em português: “Amados peregrinos de língua portuguesa, desejo a todos um tempo santo de Advento fixando o olhar na Virgem Mãe, a parte melhor e mais excelsa da Igreja. Como Maria, preparemos o coração, a família, os amigos para acolher e oferecer Jesus no Natal. São os meus votos e também a minha Bênção!“.