CATÓLICOS PELO MUNDO REZAM E ARRECADAM FUNDOS PARA O HAITI


Roma, 15 jan (RV) – Iniciando pelos vizinhos mais próximos, os países da América até a Ásia, comunidades católicas rezam e arrecadam fundos para amenizar a dor e o sofrimento das vítimas do terremoto no Haiti.

Segundo a agência Fides, diversas Conferências Episcopais da América Latina mobilizaram-se desde o momento em que souberam da notícia do terremoto no Haiti.

O presidente da Conferência Episcopal Dominicana, Cardeal Nicolás de Jesús López Rodríguez, disse que todas as igrejas católicas do país farão ofertas maciças de ajuda para o vizinho Haiti. Como único país limítrofe, a República Dominicana torna-se uma referência para a chegada das ajudas internacionais.

Em carta enviada ao presidente da Conferência Episcopal do Haiti e arcebispo de Cap-Haitien, Dom Louis Kebreau, pelo cardeal dominicano, assegura-se que todas as comunidades estão em oração pelos falecidos e atingidos. O Cardeal López Rodríguez fez ainda um convite às nações americanas a oferecer ao Haiti toda a ajuda necessária.

Na Bolívia, a Conferência Episcopal promoveu uma campanha de oração e de solidariedade ativa, denominada “Bolivianos pelo Haiti.”

Já na Conferência Episcopal do Chile, foi enviado um pedido para que todas as pessoas de boa vontade expressem eficazmente sua solidariedade, dando assim sua contribuição generosa.

Também a Conferência Episcopal da Venezuela, através da rede Caritas, se mobiliza com ajudas para a Caritas Haiti. Essa coleta, promovida pelos bispos da Venezuela, representados por Dom José Luis Azuaje, presidente da Caritas Venezuela, acontecerá no próximo domingo, dia 17.

Nos Estados Unidos, as Pontifícias Obras Missionárias, por meio de seu diretor nacional, Dom John E. Kozar, lançaram um “Fundo de solidariedade com o Haiti”, que tem como intuito uma assistência a longo prazo à Igreja no Haiti, para possibilitar sua reconstrução.

Já na China, a comunidade católica iniciou sua mobilização após o apelo de Bento XVI durante a audiência geral desta quarta-feira. Segundo a agência Fides, já existe uma coleta de verbas para as primeiras necessidades da população atingida pelo terremoto. Quem coordena essa operação é a Jinde Charities, maior entidade caritativa católica chinesa, com sede na cidade de Shi Jia Zhuang, capital da província de Hebei. (LC)