Eu quero nascer de novo!


Entre os vários diálogos que a Sagrada Escritura registra entre Jesus e Nicodemos, sobressai um ao qual hoje gostaria de dedicar este artigo.

O que pensamos quando falamos em renascimento? O que vem em primeiro lugar? Certamente a idéia da qual Nicodemos também compartilhou: entrar novamente no ventre da mãe. Hoje em dia, porém, com o grande anúncio do Evangelho, sabemos que não é este renascimento, mas sim aquilo que Jesus disse: “Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. Aquilo que nasce da carne é carne, e aquilo que nasce do Espírito é espírito” (Jo 3, 5-6).

Ora, amados irmãos, será possível compreendermos tais palavras de Jesus? Sim! Mas não é objetivo nosso só entendê-las, mas também, e sobretudo, vivê-las.

Como é difícil mantermos a nossa perseverança cristã! Como é difícil sustentar nossa fé nos dias atuais. Mas de uma coisa eu tenho certeza: nos últimos dias quem prevalecerá é esta Fé que nós sustentamos, enquanto o mundo depravado e que deseja de forma ardil destruir a família, cairá.

Eu quero nascer de novo! Mas não quero nascer só para as palavras. Eu quero nascer para Cristo. Quero nascer para sustentar o Evangelho e para que, por meio de mim, outros sejam também sustentáculos deste Reino que é totalmente divergente do reino, dos prazeres, das futilidades, que nosso mundo sustenta.

Outro dia veio ter comigo um amigo que me disse que as suas orações de nada adiantavam. “Quanto mais rezo mais assombração aparece!” Realmente este é o lema de vida de muitos cristãos, que por não encontrarem respostas imediatas aos seus sofrimentos acabam renunciando a oração e até mesmo a sua fé.

Lembrei-me desta passagem evangélica e lhe disse: “Amigo, o que leva você a fraquejar na fé é somente a demora de uma resposta ao seu problema?” Ele me disse que sim. E eu lhe respondi: “Qual foi a oração feita por Jesus no Horto, em plena agonia? ‘Pai se possível afasta de mim este cálice!’ O Pai não afastou, nem por isso ele perdeu a fé. Ele experimentou todo aquele sofrimento, essa foi a resposta do Pai. Mas sabe por que Ele passou por isso, além do sentido salvífico? Para nos mostrar que mesmo com tempestades em nossa vida, nem por isso devemos perder a fé. Depois de todo o sofrimento, saberemos contemplar melhor a Ressurreição”.

Mesmo que os problemas se abatam sobre você, não são eles que terão a resposta final. Jesus mostrou sua resposta à morte. Nós mostraremos nossa resposta às dificuldades e maldades. Só sabe o que é a Ressurreição quem souber o verdadeiro sentido do sofrimento.

Nicodemos foi às escondidas ter com Cristo, na calada da noite. Cristãos que andam na noite, ou seja nas trevas, poderão cair, mas a luz de Cristo os ajudará a levantar.

Se você cair, se fraquejares, se ti sentires sozinho, saiba que a mão misericórdiosa de Jesus sempre estará estendida, e os seus braços sempre estarão abertos para acolher-te. Não importa teu pecado ou tua dificuldade, Jesus ti compreende, não o esqueça nunca.

Paz e bem!