Festa de Nossa Senhora de Fátima


13 de maio. Dia em que a Igreja faz memória daquele glorioso e santo dia. O dia em que a Virgem Mãe de Deus dignou-se descer até nós, homens e mulheres, e transmitir-nos, por meio daqueles três pastorinhos, a mensagem da salvação e da perseverança constante nos mandamentos de Cristo.

Como somos agraciados. A nós, mesmo que com uma mensagem de alegria e tristeza, a Virgem mãe desce do seu trono glorioso no Céu, e a nós transmite uma mensagem que cada dia mais se torna necessária e constante: “Rezem o Terço todos os dias”, dizia a Virgem aos pastorinhos e o diz também a nós nos nossos dias hodiernos. E ela ainda nos diz: “Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração. Se fizerem o que eu disser salvar-se-ão muitas almas e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virdes uma noite, alumiada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai a punir o mundo de seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz “

Sim. O coração de Maria é o triunfo do cristão. Nele encontramos refúgio e consolo nas nossas angústias e aflições. Aquele coração que experimentou o amor de Cristo e que foi, ao mesmo tempo, ferido com uma espada de dor. Mas esta espada continua hoje a feri-lo devido aos nossos pecados, a nossa falta de amor e de fé, o esquecimento do inestimável valor que tem a Virgem para nós.

Rezemos muito o terço. Este ano com um motivo mais especial ainda que é a visita do Santo Padre o Papa a Portugal.

Abaixo segue a história de Nossa Senhora de Fátima para os que ainda não conhecem.

Lúcia, Francisco e Jacinta estavam brincando num lugar chamado Cova da Iria. De repente, observaram dois clarões como de relâmpagos, e em seguida viram, sobre a copa de uma pequena árvore chamada azinheira, uma Senhora de beleza incomparável.

Era uma Senhora vestida de branco, mais brilhante que o sol, irradiando luz mais clara e intensa que um copo de cristal cheio de água cristalina, atravessado pelos raios do sol mais ardente.

Sua face, indescritivelmente bela, não era nem alegre e nem triste, mas séria, com ar de suave censura. As mãos juntas, como a rezar, apoiadas no peito, e voltadas para cima. Da sua mão direita pendia um Rosário. As vestes pareciam feitas somente de luz. A túnica e o manto eram brancos com bordas douradas, que cobria a cabeça da Virgem Maria e lhe descia até os pés.

Em plena primeira guerra mundial, três pastorinhos portugueses de nome Lúcia, de dez anos, Francisco, de nove anos e Jacinta, de sete anos, presenciaram uma aparição que seria testemunha da presença divina em nosso mundo.

A Senhora marcou um encontro com essas crianças para o dia 13 de todo mês, para realizar as suas aparições em um campo de nome Cova da Iria. Lúcia, a mais velha, pediu segredo, mas os mais novos não conseguiram guardá-lo. Contaram a outras pessoas o fato extraordinário e no dia 13 de junho os pastorinhos já não estavam sozinhos. Em 13 de julho, por ocasião da terceira aparição, Nossa Senhora prometeu um milagre para que o povo acreditasse nas três crianças. Mas a 13 de agosto, os três videntes, fechados no cárcere, não puderam ir à Cova da Iria.

Em 13 de outubro, uma multidão de 70 mil pessoas lotavam o local das aparições e testemunharam o sol mover-se entre chamas multicores, como se fosse se destacar do firmamento. E deixou sua mensagem ao mundo: “Rezem o terço todos os dias; rezem muito e façam sacrifícios pelos pobres pecadores; são muitos os que vão para o inferno por não haver quem se preocupe em rezar e fazer sacrifícios por eles. A guerra logo vai acabar, mas se não pararem de ofender ao Senhor, não passará muito tempo para vir outra pior. Abandonem o pecado de suas próprias vidas e procurem eliminá-lo da vida dos outros, colaborando com a Redenção do Salvador”. Em 1946 a estátua de Nossa Senhora de Fátima foi coroada diante de uma multidão de 800.000 pessoas. A 13 de maio de 1967, por ocasião do cinqüentenário das aparições, o papa Paulo VI foi a Fátima onde se encontrou com a vidente Lúcia.