Satanás e o PLC 122/06: Ele quer assinar!


Estamos às portas da votação do Projeto de Lei da Câmara 122/2006 que “criminaliza a homofobia”. Este projeto, repudiado pela maioria do povo brasileiro, é um retrocesso na constitucionalização do País, a insistência na votação e aprovação do mesmo, constitui um grave desrespeito ao povo, que já o repudiara de forma veemente. Outrora fora o Brasil edificado com a ajuda da Igreja esta ainda tem grande colaboração na vida do povo, desde o primeiro instante quando os portugueses aqui chegaram e celebraram a primeira Missa. O Brasil tem como berço a Cruz de Nosso Senhor, é um país eminentemente católico e cristão, e isto ninguém poderá erradicar, nem mesmo as forças de Satanás que tentam investir de forma desordenada contra ele. Este projeto, apoiado pela senadora Marta Suplicy, visa atacar a liberdade de expressão pela qual tanto se lutou.

Agora fico a pensar: do que adiantaram as lutas contra a ditadura militar se hoje esta senhora, junto com todos os seus comparsas, tentam mais uma vez destruir esta liberdade? Onde está a democracia e onde estão os tão propagados direitos se querem proibir de que se denuncie que a prática homossexual é pecado? É pecado e pecado mesmo. Pronto! Quem é a senhora Marta e seus companheiros para quererem proibir isso se as Sagradas Escrituras mesmo ordenam que não nos omitamos diante da verdade? Foi por essa verdade que os apóstolos e mártires entregaram sua vida e vocês querem silenciar tudo o que foi edificado em dois mil anos? São Paulo dirá: “prega a palavra, insiste oportuna e importunamente, repreende, ameaça, exorta com toda paciência e empenho de instruir” (II Tm 4, 2).

A Santa Mãe Igreja durante dois mil e onze anos vem anunciando o Evangelho de Jesus Cristo a todos os povos. Acolhe a todos e não renega a nenhum dos filhos que a ela vierem necessitando de sua ajuda. Também os homossexuais, filhos de Deus por graça em Cristo Jesus, como nós também o somos, são chamados a viverem em plena comunhão com a Igreja desde que vivam o que é pedido pelas Sagras Escrituras e pelo Sagrado Magistério. Vejamos o que diz o Catecismo da Igreja Católica:

§2358 Esta inclinação objetivamente desordenada constitui, para a maioria, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á para com eles todo sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar a vontade de Deus em sua vida e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar por causa de sua condição.

§2359 As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.

Assim, ninguém é excluído do convite ao Reino de Deus, no entanto cabe a cada um, com o livro arbítrio que tem, escolher por ele ou pela perdição. A Igreja ama os homossexuais e não os trata como animais irracionais ou produtos de consumo, como fazem as mídias e o sistema político, cuja única finalidade é satisfação sexual e realização neste mundo. A Igreja vai além e olha para cada um deles como filhos e filhas de Deus, onde também há um sinal da manifestação da beleza divina e onde pode ser exercida uma vida de santidade. Quem tenta justificar os modismos de hoje como uma vontade de liberdade – ou deveria dizer de libertinagem – deve ouvir atentamente os conselhos de São Paulo e temer o dia do Santo Juízo: “Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus” (I Cor 6, 9-10).

Temei, caríssimos, esta advertência de São Paulo! Temam o fogo do inferno! Não irei enganar-vos como fazem tantos, mas faço aquilo que a Igreja nunca pode parar de fazer, como exorta-nos o Bem-aventurado Papa Pio IX, pregar sobre o inferno. Nossa Senhora em sua aparição em Fátima pede aos pastorinhos que anunciem ao mundo a necessidade de se pregar contra o inferno. Temamos todos!

Por isso a Igreja convida-nos a sempre trilharmos os caminhos da Palavra de Deus. Abandonem a vida de promiscuidade e vejam que o maior tesouro que vos é reservado é a eterna convivência com Deus.  Revestidos com “o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é, a palavra de Deus” (Ef. 6, 17), possamos lutar por uma sociedade justa, onde a liberdade de expressão seja dada a todos e onde todos possam ter espaço para tecer suas críticas ou expressar suas convicções religiosas, culturais e sociais. Convidar os homossexuais para a vivência da castidade não pode porque é descriminação, mas criticar a Igreja e ofender os santos católicos com tão grande desrespeito como vimos na Parada Gay deste ano é denominado liberdade. Ora, que liberdade é esta que reprime a manifestação religiosa e o anúncio da verdade? Liberdade, deveriam saber os políticos, é também o direito que o povo tem de votar e escolher candidatos que possam lutar pelo que o povo quer e não pelo que é forçado a querer para priorizar grupos particulares ou pessoas.

Rezemos para que no dia de Nossa Senhora da Conceição a Virgem Santíssima esmague a cabeça de Satanás, que quer imperar neste País mas que nunca conseguirá, e possam ecoar as palavras do Bem-aventurado Apóstolo: “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai os ensinamentos que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa (II Tes. 2, 15).

Esqueci de recordar isso: Dois homossexuais nunca poderão ser um casal e nem a Lei poderá mudar isso! Se vocês não estão satisfeitos perguntem a Deus o por quê.

Agradeço a Deus por termos cristãos de grande influência, ainda que não sejam católicos, que se manifestem contra isso publicamente, por exemplo o Pastor Silas Malafaia e os políticos evangélicos que tem feito grandes denúncias, mas também agradeço aos líderes católicos renomados (que podem serem contados a dedo) Padres e Bispos, que têm lutado contra esta absurdidade, como Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, Padre Paulo Ricardo e outros que não conheço. Abaixo segue o vídeo do Padre Paulo na sua aula de ontem sobre o PLC 122.

Satanás quer destruir a Igreja com projetos do inferno, a Igreja calará Satanás com a Cruz de Cristo!

11 pensamentos sobre “Satanás e o PLC 122/06: Ele quer assinar!

  1. A senadora Marta Suplicy é uma das mais lamentáveis figuras do Parlamento brasileiro. Ela não tem respeito por nada e por ninguém. Mas eu tenho a impressão de que esse projeto não passa, porque a oposição a ele é muito forte, tanto na Câmara quanto no Senado. Isso é coisa do PT, o partido da permissividade, que tanta empurrar goela abaixo da sociedade aquilo que ele bem entende. A maior oposição vem dos evangélicos, porque os católicos não estão nem aí para nada disso. Eles não conhecem a Bíblia, não conhecem o Catecismo da Igreja Católica, são uns omissos contumazes. Nunca estivemos tão próximos do paganismo quanto hoje. O poder, o dinheiro e o prazer estão transformando a humanidade. Mas o que me deixa feliz é a posição da Igreja Católica. Outro dia eu coloquei a um ateu a posição da Igreja quanto ao homossexualismo e ele me disse textualmente: A Igreja Católica está de parabéns, pela sua nobre visão do ser humano.. Essa é a verdadeira IGREJA DE CRISTO!

    • Bras dos Santos, não podemos culpar a Igreja Católica pela ignorância do povo. Infelizmente o povo brasileiro foi e está sendo duramente atacado por satanás através de seus instrumentos prediletos: a mídia e o hedonismo (o ter e o prazer).
      Mas os protestantes também não escapam a essa investida do inimigo, pois muito ‘crente’ já aderiu a teologia da prosperidade, que diga-se de passagem, só leva prosperidade para os donos das igrejas que se intitulam pastores.
      O povo católico brasileiro não aprova a promoção do homossexualismo, mas cala-se na maioria dos seus direitos, até mesmo quanto a corrupção que assola nosso país.

  2. Não vou generalizar pois fasso parte da ENS Brasil onde o grupo e várias outras comunidades também são contrárias aos absurdos da PLC 122, sei apenas que as pessoas ligadas a TL são favoráveis.

    Vamos sepultar a lei da mordaça.

    Paz e Bem

  3. o mais cômico nisso tudo é que a CNBB que ajudou a fundar o PT
    Parabéns Bispos Católicos do Brasil.

    Segura que o filho é teu

  4. Continuemos em oração e vigilância. Eles vão voltar! Em Cristo estaremos prontos! Pax Domini

  5. Dom Antonio Rossi Keller convoca católicos a pressionar o Congresso Nacional

    Pelo que se sabe, hoje, 08 de dezembro de 2011, será novamente levado à discussão, no Congresso brasileiro, em Brasília, o projeto de lei que concede benefícios especiais à prática do homossexualismo. Eis as propostas fundamentais do referido projeto:

    * A proposta pretende punir com 2 a 5 anos de reclusão aquele que ousar proibir ou impedir a prática pública de uma “manifestação de afetividade” (ato obsceno) por homossexuais (art. 7°). * Na mesma pena incorrerá a dona-de-casa que, por exemplo, dispensar a babá que cuida de suas crianças após descobrir que ela é lésbica (art. 4°). * As palavras de um sacerdote que, em uma homilia, condenar o homossexualismo poderá ser enquadrada no artigo 8°, (“ação […] constrangedora […] de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica”). * O reitor de um seminário que não admitir o ingresso de um aluno homossexual será punido, como está previsto, com pena de 3 a 5 anos de reclusão (art. 5°)
    Vamos falar o português claro, já que hoje há muitos “em cima do muro”. Esta parece ser a cômoda localização mesmo de muita gente da Igreja…: às vezes é mais fácil assistir passivamente o circo pegar fogo do que empenhar-se no combate às chamas.

    A questão toda pela qual nós católicos não podemos aceitar a aprovação deste projeto não se deve simplesmente ao fato de que, a partir desta aprovação, nós “não poderíamos mais falar e nem orientar nossos fiéis em relação à malícia, ao mal intrínseco configurado pela prática do homossexualismo”. Se a Igreja se posicionasse contrariamente, em relação a este PL, somente por medo às perseguições, todos os seus mártires, de todos os tempos, deveriam levantar-se de seus túmulos para apontar, com os dedos desencarnados, a vergonha da covardia de uma Igreja atemorizada e, por isso, conivente. A questão fundamental não é somente esta. A questão fundamental, para nós católicos, é que tal projeto de lei , assim como aconteceu com aqueles projetos que dizem respeito às propostas abortistas, ou os que introduziram no Brasil o divórcio, constitui-se na legalização de um erro, de um mal em si mesmo. A malícia de tal projeto de lei está em querer tornar legal, e portanto socialmente aceitável e justificável, aquilo que é um erro. Como é possível que aceitemos que a postura pessoal de alguém, em relação à sua “opção sexual” possa conferir-lhe direitos especiais, especialmente se esta postura, segundo o que cremos e professamos, implica em desobediência à Lei de Deus? Um erro não pode implicar em acréscimo de direitos. Portanto, a aprovação desta lei significaria instaurar em nosso país a “normalização” de algo que, segundo cremos, não é normal. Como católicos temos o direito de expressar nossa opinião contrária e mais do que isto, temos o direito sim de que, de forma organizada e pacífica, possamos pressionar nossos congressistas no sentido de rejeitarem definitivamente este malfado projeto de lei. Hoje, dia da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, deve constituir-se em um dia marco na história deste país. É o dia de reagir, através da oração e da pressão junto aos nossos representantes no Congresso, contra este projeto de lei. Católicos: preparemo-nos para o combate! As armas usadas por aqueles que pretendem aprovar tal projeto de lei, são as mais sórdidas possíveis. Uma senadora da República, do partido da atual presidente, falava de “um acordo com a CNBB”. Tal notícia foi imediatamente desmentida pelo presidente de nossa Conferência Episcopal, o Cardeal Damasceno Assis. Dias terríveis estão por vir, não tenham dúvida. Dias de confusão e de sofrimento se aproximam, no horizonte sombrio de nosso país, já afogado na vergonha da corrupção espalhada como uma verdadeira praga. Peçamos a intercessão da Imaculada Senhora da Conceição para que salve nosso país. Junto com nossas preces, façamos o possível para pressionar nossos representantes junto ao Congresso Nacional. Que escutem a voz daqueles que os elegeram, que exigem uma tomada de posição clara em relação a esta questão, recusando a aprovação deste iníquo projeto de lei.

    Dom Antonio Carlos Rossi Keller
    Bispo de Frederico Westphalen (RS)

  6. Irmãos,

    Peço humildemente que respondam ao indivíduo que está alardeando mentiras em minha cidade, Manaus, no seguinte link http://www.emtempo.com.br/opiniao/artigos/3577.html no artigo sob o título “Igreja e Estado, uma história de controvérsias”. Por favor, não sei como responder a ele, mas vós que sois bem mais sábio, peço que comente e desmascare este difamador! E divulgue o link para que mais possam ir defender a Santa Virtude que a Igreja tem exercido desde o início do cristianismo.
    Aqui em Manaus já é tão problemática a questão da Santa Igreja, e esse herege ainda ousa destruir a fé dos que ainda resistem…
    Por favor, ajudem-nos!

    Em Jesus, Maria e José!
    Janete

  7. Quero parabenizar o bispo D. Antônio Keller pelo seu posicionamento claro e objetivo em relação a essa aberração moral que tramita no Congresso. Se todos os bispos brasileiros tomassem essa mesma atitude, os eleitores católicos, com toda certeza, pressionariam os parlamentares a votarem contra esse lixo, próprio do partido que nos governa aliado àqueles que visam vantagens políticas e pessoas, sem o menor escrúpulo. A teologia da prosperidade é uma aberração calvinista, mas não é pior do que a teologia da libertação, parceira e amiga inseparável dos atuais donos do poder.

Os comentários estão desativados.