Missão: objetivo da vida cristã

Mesmo viajando, dediquei um tempo a escrever o artigo deste XIV domingo do Tempo Comum. Precisamente porque no Evangelho encontramos uma fonte riquíssima sobre a necessidade do “ser missionário” hoje, especialmente em um mundo conturbado pelos valores anti-evangélicos e uma descristianização da humanidade. Enviando os discípulos para a missão, Jesus que mostrar-nos que o cristão deve estar inserido na missão, e, sobretudo, que este é o objetivo específico da vida cristã: anunciar Jesus a outros que ainda não o conhecem.

“Disse-lhes: Grande é a messe, mas poucos são os operários. Rogai ao Senhor da messe que mande operários para a sua messe” (Lc 10, 2). Em nossos dias, a Igreja tem repetido este mesmo pedido de Jesus. Poucos são os operários. E são poucos não por falta de quem os guie, mas porque são profundamente tomados pela escuridão das trevas. Nosso Senhor não apresenta forma de vida fácil para seus seguidores; pelo contrário, estes terão que sofrer muito, e, se preciso, terão que doar suas vidas pela causa do Reino de Deus. E precisamente aqui se prova a verdadeira capacidade de um discípulo, sua sinceridade e o seu amor incondicional pelo Evangelho. No domingo passado Jesus apresentou os meios pelos quais é possível segui-lo. Agora ele apresenta as conseqüências, mas também os inúmeros milagres que poderão ser operados, em seu nome, para a conversão das almas e para o perdão dos pecados.

A constante necessidade da Igreja para que aumente o número de sacerdotes é justamente porque ela tem esse perene dever de levar Jesus a lugares onde ele ainda é ocultado, às vezes por falta de conhecimento, outras vezes por causa de um sistema político capitalista e comunista, outras vezes, ainda, por causa de conflitos religiosos. E nesta sua missão ela vê se cumprir as palavras de Cristo: “Ide; eis que vos envio como cordeiros entre lobos” (Lc 10, 3). Sim, em uma sociedade tomada por “lobos” que querem impedir a expansão do Evangelho e a sua ação salvífica entre os homens, a Igreja toma para si todas as fadigas que suporta em nome de Cristo, e imperiosamente faz com que a Boa notícia seja anunciada a todos os homens deste mundo.

Jamais a Igreja se calará, pois sua missão não parte deste mundo, mas parte de uma ação de Cristo, de um desejo manifestado pelo Salvador. Nem os grandes imperadores puderam silenciar a Igreja. Nem este mundo poderá silenciar a Igreja, mas a Igreja silenciará o mundo, com todos os seus pecados, as suas omissões no seguimento a Cristo, a sua falta de amor. Ela mostra ao mundo que, só em Cristo, a humanidade poderá falar aquilo que é útil e que produz vida, santidade.

“Jesus disse-lhes: Vi Satanás cair do céu como um raio” (Lc 10, 18). Também nós poderemos contemplar esta visão, de ver cair, não mais Satanás, mas as suas artimanhas, suas ideologias e projetos, sua investidura contra a Santa Fé Católica e contra o Reino de Deus, prefigurado na Igreja.

Verdadeiramente, maior que as investidas do demônio, e mais salutar que seus ensinamentos, é a Cruz de Cristo, penhor da humanidade e salvação dos que crêem.

Peçamos ao Senhor que nos guie e faça de nós pessoas comprometidas com o Evangelho, para que aconteça conosco o que aconteceu com os apóstolos: estejamos com nossos nomes escritos no céu. E isto só poderá acontecer quando, vencendo as batalhas e cumprida a nossa missão, repousarmos em Cristo.

Fraternalmente em Cristo Jesus e Maria Santíssima!

Igreja: lugar para pecadores

Esse artigo é um desabafo. Venho engolindo tudo o que tem falado contra o Papa, e já me manifestei em artigo anterior, mas agora um bando de idiotas irlandeses sairam com uma conversa de que queriam prender o Papa devido aos problemas que vem acontecendo por parte de alguns membros infiéis do Clero. Mesmo sabendo que o Tratado de Latrão não o permite, pois ninguém tem jurisdição sobre o Estado Independente do Vaticano. Mas acho uma tamanha falta de inteligência só em envolverem o Papa nesse meio.

Ora, em primeiro lugar, culpar o Papa por algo que ele não tem culpa é má-fé, e por que não ignorância? Este bando de estúpidos devia ler mais sobre o que a Igreja tem feito contra os casos de pedofilia para não falarem tantas bobagens.

Até quando o Papa será apedrejado injustamente? Vamos agora culpar a medicina pelos erros de todos os médicos. Culpar a política pelos erros dos políticos. Ora, a este povo falta leitura e diálogo. Estamos em uma sociedade anti-católica, que quer condenar a Igreja por qualquer coisa que ela faça de bom, ou por qualquer membro que tenha desviado do bom caminho, e agora caminha pelo “vale da sombra da morte” (Sl 23, 4).

Satanás planeja inutilmente derrubar a Igreja. Primeiro por fora, pelos mártires. Não tendo conseguido partiu para as heresias, queria aí destruí-la por dentro. Tendo a Igreja refutada as heresias ele agora vai por alguns membros do clero, que deixam sua fé ser abalada. Pois é o que digo: Há um Sacerdote que mantém-se perseverante, nunca lhe faltará Jesus Cristo, e o diabo nunca, se quer, conseguirá abalá-lo.

Doravante todos olhassem a grande beleza que Jesus deixou na Igreja. Ele mesmo disse a Santa Faustina: “meus sacerdotes”. Sim! A Igreja é bela, enquanto estes que contra ela se erguem estão cheios de putrefação. Hipócritas! Vede que Jesus odiava a hipocrisia.

Aos católicos eu digo: Não deixem esta Igreja! Não a abandonem porque ela é vossa. Para vós foi instituída. A Igreja é lugar para pecadores e não para Santos. Lugar de Santo é no céu.  A Igreja é a plena realização das palavras de Jesus: “Os sãos não precisam de médico, mas os enfermos; não vim chamar os justos, mas os pecadores.” (Mc 2,17). Obviamente todos somos chamados à santidade. Também estes que ofendem injustamente o Santo Padre são chamados a estarem na Igreja, e com ela caminharem rumo à salvação. Na Igreja têm Santos porque estes souberam combater o pecado, mas também eles foram pecadores.

Com isto não quero em hipótese alguma justificar tal ato cometido por indignos sacerdotes. Estes devem ser punidos exemplarmente. Mas não é acabando com o celibato que os casos irão se reduzir. As pessoas que pedem o fim do celibato não compreendem todo o mistério que há nele. O próprio Cristo nos diz que: “Porque há eunucos que o são desde o ventre de suas mães, há eunucos tornados tais pelas mãos dos homens e há eunucos que a si mesmos se fizeram eunucos por amor do Reino dos céus. Quem puder compreender, compreenda” (Mt 19, 12).

A Igreja passou e passa por momentos difíceis. Mas em cada momento eu repito as palavras reinantes e intrépidas de Cristo: “nem as portas do inferno prevalecerão contra ela” (Mt 16, 18).

Quem está sempre com o Papa, está sempre com Deus. Pois Deus está com o Papa.

Paz e bem!

***

Leia: O Imbecil Coletivo no ataque à Igreja, do blog Mídia sem Máscara.

Leia mais: A briga que ninguém quer comprar, por Olavo de Carvalho.

Leia ainda:  A mídia não se cansa, por Ecclesia Una