PAPA DEIXA REPÚBLICA TCHECA CONVIDANDO JOVENS A CONSTRUÍREM MUNDO QUE REFLITA BELEZA DIVINA

 
 
Praga, 28 set (RV) – Bento XVI concluiu esta tarde a sua 13ª viagem apostólica internacional. Por volta das 17h locais, o Santo Padre deixou a Nunciatura Apostólica de Praga, após despedir-se dos funcionários e colaboradores da mesma, dirigindo-se para o aeroporto da capital tcheca, onde o aguardava, entre outros, o presidente da República, Václav Klaus – acompanhado de sua consorte. A cerimônia de despedida teve lugar no prédio do Cerimonial de Estado do aeroporto, diante do qual se encontrava estacionado o Airbus A319, avião da Presidência da República Tcheca que trouxe o pontífice de volta para Roma.

Após as honras militares, a execução dos hinos do Vaticano e da República Tcheca, e o discurso do presidente Klaus, o Santo Padre proferiu seu discurso, agradecendo pela generosa hospitalidade durante sua breve permanência no país, felicitando mais uma vez o presidente por seu onomástico, neste dia em que a nação celebra o seu protetor e padroeiro, São Venceslau.

O pontífice agradeceu também às autoridades eclesiásticas e a todos aqueles que trabalharam para assegurar o bom êxito dos vários encontros e celebrações.

“Naturalmente, incluo em meus agradecimentos as autoridades, os meios de comunicação e os muitos voluntários que ajudaram para o afluxo regular das pessoas, e todos os fiéis que rezaram a fim de que essa visita trouxesse bons frutos para a nação tcheca e para a Igreja nesta região.”

Em seguida, Bento XVI recordou os momentos de oração e as liturgias celebradas, aludindo à história cristã do país e a seus numerosos santos e mártires:

“A Igreja neste país foi verdadeiramente abençoada com uma extraordinária fileira de missionários e de mártires, bem como de santos contemplativos, entre os quais gostaria de recordar, de modo particular, Santa Inês da Boêmia, cuja canonização, vinte anos atrás, foi mensageira da libertação deste país da opressão ateia.”

O papa ressaltou ainda a importância do ecumenismo, particularmente em vista da história atribulada da região; o papel dos estudiosos na promoção da reconciliação e a superação das diferenças. Nesse contexto, o Santo Padre recordou seus encontros com expoentes do mundo ecumênico e do mundo acadêmico:

“O meu encontro de ontem com os representantes de outras comunidades cristãs me confirmou a importância do diálogo ecumênico nesta terra que muito sofreu pelas conseqüências da divisão religiosa no tempo da guerra dos Trinta anos. Já foi feito muito para curar as feridas do passado, e foram dados passos decisivos no caminho da reconciliação e da verdadeira unidade em Cristo. A comunidade acadêmica tem um importante papel a desempenhar na ulterior edificação desses sólidos fundamentos, mediante uma íntegra busca da verdade. Foi para mim um prazer ter a oportunidade de encontrar-me ontem com os representantes das universidades deste país, e expressar o meu apreço pela nobre missão à qual eles dedicam a vida.”

Em seguida, Bento XVI referiu-se ao encontro com os jovens, fazendo uma exortação a construírem um mundo que reflita a beleza de Deus:

“Fiquei particularmente feliz por encontrar os jovens e encorajá-los a construírem o mundo baseado nas melhores tradições do passado desta nação, particularmente, na herança cristã. Segundo um dito atribuído a Franz Kafka, “Quem mantém a capacidade de ver a beleza jamais envelhece” (Gustav Janouch, Conversações com Kafka).”

“Se os nossos olhos permanecerem abertos à beleza da criação de Deus e as nossas mentes à beleza da sua verdade, então poderemos realmente esperar permanecer jovens e construir um mundo que reflita algo da beleza divina, de modo a oferecer inspiração às futuras gerações para que façam o mesmo” – exortou o Santo Padre.

O papa encerrou seu discurso de despedida invocando o Menino Jesus de Praga, a fim de que continue inspirando e conduzindo o presidente Klaus e todas as famílias da nação tcheca. “Que Deus a todos vos abençoe!” – concluiu.

Encerrada a cerimônia, às 18h15 locais, o Airbus A319 – com o papa e comitiva a bordo – deixou o aeroporto de Praga com destino ao aeroporto romano Ciampino, aonde chegou pouco antes das 20h locais.

Dali, o Santo Padre prosseguiu de automóvel para a residência pontifícia de Castel Gandolfo, concluindo assim a sua 13ª viagem apostólica internacional, que teve como lema “O amor de Cristo é a nossa força”. (RL)