Mais mentiras adventistas

por Everth Queiroz Oliveira

O Alexandro publicou em seu blog mais um artigo atacando a Igreja Católica. Dessa vez o título escolhido foi: “Os pecados abomináveis da Igreja Católica”. Como se a Igreja Católica, corpo de Cristo, realmente tivesse pecados; como se Ela não fosse santa, irrepreensível e imaculada; como se Ela se misturasse com as heréticas seitas protestantes. Enfim, mais uma vez lemos em todo o artigo mentiras e mais mentiras contra a Única Igreja de Cristo, a Santa e Una Sé Católica. E mais uma vez me sinto no dever de refutar, com a devida atenção, aos fúteis argumentos agora apresentados por nosso amigo adventista.

Peço, antes de interpelá-lo através da correção justa e fraterna proposta pelas Sagradas Escrituras, a intercessão de São Jerônimo, grande exegeta das Letras Sacras, homem fiel a interpretação verdadeira da Bíblia. Que possa pedir a Deus para que dê-nos sabedoria, a fim de que possamos, com paciência e muita força de vontade, defender a fé católica das tentativas dos hereges em derrubá-La.

Para ler o artigo do blog Adventismo em foco, clique aqui

O Alexandro começa o artigo citando o primeiro ponto, em que afirma que a Igreja é culpada de interpretar erroneamente a Bíblia:

“O grande erro da Igreja Católica reside no fato de que a Bíblia é interpretada à luz das opiniões dos ‘pais’. Suas opiniões são consideradas infalíveis, e os dignitários da Igreja supõem ser sua prerrogativa obrigar os outros a crer como eles e usar a força para compelir a consciência. Os que não concordam com eles são declarados heréticos. Mas não é assim que deve ser interpretada a Palavra de Deus. Ela deve basear-se em seus próprios méritos eternos, ser lida como a Palavra de Deus, obedecida como a voz de Deus que revela Sua vontade para as pessoas. A vontade e a voz de homens finitos não devem ser interpretadas como sendo a voz de Deus”.

Foi a autoridade da Igreja Católica Apostólica Romana – queira Alexandro ou não – que “promulgou”, por assim dizer, e definiu quais seriam os livros que iriam para a Sagrada Escritura. Se não fosse a autoridade do Magistério da Igreja e da Tradição Apostólica, não haveria a Sagrada Escritura tal como a conhecemos hoje. Os livros que narravam a vida de Jesus ou instruíam regras acerca da doutrina cristã foram escritos por apóstolos da Igreja primitiva, que Santo Inácio de Antioquia chamou de católica. E os livros que foram para o Cânon bíblico foram todos definidos também pela autoridade da Igreja. No século IV eles já tinham definidos todos os livros que seriam por nós hoje considerados a Palavra de Deus – inclusive os deuterocanônicos -.

Muitos documentos históricos comprovam isso. A Epístola 39, de Santo Atanásio de Alexandria e o Decreto Gelasiano, do Papa Dâmaso, são uns desses documentos. Inclusive foi S. Atanásio quem proferiu, por meio de seu Credo, aquela bela frase: “Quem quiser salvar-se deve antes de tudo professar a fé católica” (1). Mas, enfim, não querendo mudar o foco do assunto, mas, pelo contrário, reafirmando ainda mais a verdade, faz-se mister observar que, sendo a Igreja aquela que estabeleceu os livros que iriam para a Bíblia, teria Ela o Espírito Santo, afinal a Sagrada Escritura é infalível. Se a Igreja Católica tem o Espírito Santo para determinar os livros que vão para a Bíblia, então Ela também tem capacidade – graças ao Espírito de Deus – de interpretar autenticamente a Bíblia Sagrada.

Ainda mais. O Catecismo da Sé Apostólica confessa que “[o] encargo de interpretar autenticamente a Palavra de Deus, escrita ou contida na Tradição, foi confiado só ao Magistério vivo da Igreja, cuja autoridade é exercida em nome de Jesus Cristo, isto é, aos bispos em comunhão com o sucessor de Pedro, o bispo de Roma” (CIC § 85). Uma vez que a Igreja Católica é a única fundada por Jesus Cristo (cf. Mt 16, 18), mais nenhuma, é também somente Ela que possui o encargo de interpretar de modo correto a Palavra de Deus. Interpretar a Bíblia todos nós podemos. A questão está em interpretar de maneira certa. Somente a Igreja o pode, pois somente essa Igreja possui o Espírito Santo. Além disso, escreve São Pedro Papa: “Nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal” (2 Pd 1, 20).

Alexandro acusa-nos falsamente de obrigarmos os outros a crer como a Igreja e usar a força para compelir a consciência. Na verdade, o que é a ? Não é a livre aceitação e adesão à vontade de Deus? Pois então, fizemos essa escolha: de seguir a verdade. Ninguém nos impôs a crermos nessa fé. Nós cremos porque queremos exercer a nossa liberdade no caminho da verdade, e não nas frivolidades apresentadas por qualquer igrejinha de esquina. Agora, aqueles que não crêem são o quê? Crentes? Não?! Então, ora, faz-se necessidade destacar que eles são hereges; nada mais nada menos que isso. Aquele que não crê no que a Igreja propõe e apresenta como divinamente revelado é um herege. Isso é compelir a consciência? Ou será dizer a verdade?

Com doutrinas diferentes e estranhas, já dizia Cardeal Pio em Sermão da Catedral de Chartres, é preciso ser intolerante, afinal “[f]az parte da essência de toda a verdade não tolerar o princípio que a contradiz”. A igreja Adventista, assim como as seitas protestantes que se desintegraram da Verdade, é herética. Se é a Igreja que detém a verdadeira e única correta interpretação da Bíblia Sagrada, então todas as outras interpretações estão erradas, são falsas. Quem as segue nada mais são que hereges.

Por fim, segue Alexandro: “A vontade e a voz de homens finitos não devem ser interpretadas como sendo a voz de Deus”. Se isso de fato é verdade, então o que podemos dizer das palavras de São Paulo, grande pregador da Palavra? O que podemos dizer então das palavras infalíveis dos apóstolos que escreveram os livros que foram para a Bíblia? Incoerente ao extremo é essa conclusão do Alexandro. Mais incoerente ainda ela se torna quando observamos os livros em que ele se baseia para atacar a Igreja: inspira-se nos escritos de Elen Gould White que, segundo eles, é uma grande profetisa, que “não falhou”. Ora, se de fato a voz de homens finitos – como se a nossa alma morresse também junto com nosso corpo – não deve ser considerada voz de Deus, então o que dizer da atitude de crer nos escritos de uma humana?

Incoerente. E novamente a Bíblia o atesta, através da segunda carta de S. Pedro: “Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus” (1, 21). Muitos homens, inspirados pelo Paráclito, falaram da parte de Deus, ou seja, suas vozes se uniram à voz da Verdade, à voz de Cristo.

Mas Alexandro insiste em pregar desobediência à Igreja Católica. No item 2 fala novamente sobre a mudança da guarda do sábado para o domingo, assunto já debatido no artigo “Mentiras Adventistas”, insistindo em dizer até mesmo que essa mudança é um sinal da Besta. Já explicada está a questão, mas é sempre importante lembrar que o sábado foi substituído pelo domingo porque Jesus ressuscitou justamente neste dia. Diz São Paulo aos efésios: “Somos obra sua, criados em Jesus Cristo para as boas ações, que Deus de antemão preparou para que nós as praticássemos” (Ef 2, 10). Ora, se já havíamos sido criados antes, por Deus, então o que quer dizer essa expressão “criados em Jesus Cristo”? Justamente isso: por meio da ressurreição de Nso. Senhor Jesus Cristo fomos criados novamente. Se a primeira Criação foi manchada pelo pecado de Adão e pela queda de todo o gênero humano, a ressurreição de Cristo representou a reparação pelo pecado humano. E em que dia Cristo ressuscitou? Justamente no domingo. Por isso hoje o domingo é considerado o dia do Senhor.

A definição e estabelecimento do domingo como dia do Senhor aconteceram ainda nos tempos apostólicos. Os apóstolos começavam a se reunir nos domingos para a fração do pão (cf. 1 Cor 16, 2; At 20, 7; Ap 1, 10 vide Vulgata). É falsa aquela afirmação adventista que afirma que o domingo só começou a ser guardado depois do século IV… Imediatamente após Pentecostes os apóstolos viram a necessidade de se reunirem no domingo, dia que Jesus havia vencido a morte para nos dar a vida eterna. E depois disso muitos bispos confirmaram o domingo como dia a ser guardado, entre eles Santo Inácio de Antioquia, contemporâneo dos apóstolos.

No item 3, Alexandro acusa os bispos da Igreja de “viverem no Luxo e nos Prazeres Sensuais”. O ensinamento da Igreja sempre foi claro quanto ao desapego material e espiritual desse mundo. Se algum sacerdote ou bispo da Igreja de Deus – e é forçoso admitir que existem muitos que vivem uma vida totalmente desregrada – desobedece essa instrução, aí já partimos para um erro individual da pessoa, não da Igreja. O pecado, nesse caso, não é da Igreja Católica, que alertou os seus membros a permaneceram unidos à Palavra de Deus, mas sim dos próprios indivíduos, que decidiram pecar contra Deus e contra a instituição à qual pertencem.

Ora, a Bíblia mesmo cita passagens que exploram de modo profundo essa questão do pecado nos sacerdotes:

“Mas também estes titubeiam sob o efeito do vinho, alucinados pela bebida; sacerdotes e profetas cambaleiam na bebedeira. Estão afogados no vinho, desnorteados pela bebida, perturbados em sua visão, vacilando em seus juízos.” (Is 28, 7)

“Foi por causa dos pecados de seus profetas e das iniqüidades dos sacerdotes, que derramavam em seus muros o sangue dos justos.” (Lm 4, 13)

Seus sacerdotes violam a minha lei, profanam o meu santuário, tratam indiferentemente o sagrado e o profano e não ensinam a distinguir o que é puro do que é impuro; (…) no meio deles a minha santidade é profanada. (Ez 22, 26)

“Os sacerdotes, porém, vendem essas ofertas em proveito próprio, e suas mulheres as preparam, sem nada repartir com os pobres e os infelizes.” (Bc 6, 27)

Não estamos tentando, ao citar algumas passagens da Bíblia que falam sobre o assunto, justificar os pecados dos sacerdotes. Não! Longe de nós fazermos isso! Mas não é certo afirmar – e foi isso que você fez – que a Igreja é culpada pelos pecados dos seus sacerdotes. A Igreja Católica sempre afirmou e reafirmou quão grande é a necessidade da santidade na vida dos sacerdotes e nunca deixou, por meio dos escritos de seus santos, de alertá-los para que tivessem uma vida mais pura e mais santa. Se os sacerdotes pecam, vivendo no luxo e nos prazeres, é por vontade deles de pecarem. E a Igreja, quanto à questão da culpa, não tem nada a ver com os pecados individuais de seus filhos.

Mas ele prossegue:

“Por toda parte se vê a insígnia da cruz. Por toda parte é ela exteriormente honrada e exaltada. Mas os ensinos de Cristo estão sepultados sob um montão de tradições destituídas de sentido, falsas interpretações e rigorosas exigências. As palavras do Salvador relativas aos fanáticos judeus aplicam-se com maior força ainda aos chefes da Igreja Católica Romana: ‘Atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo os querem mover’ (Mt 23, 4).”

Os ensinos de Cristo sepultados? Só se for pela igreja Adventista do Sétimo dia! A Igreja Católica nunca cansou de pregar a voz de Cristo em meio à sociedade. Aliás, lanço até mesmo um desafio: como ele me explica a Igreja haver resistido dois mil anos, desde Jesus até os dias de hoje? A resposta está na Bíblia: “Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha” (Mt 7, 24-25). Não caiu: non praevalebunt (cf. Mt 16, 18). As portas do inferno não prevalecerão! A Igreja não caiu, não cai, não cairá, não vacilará, porque “edificou sua casa sobre a rocha”.

Mas ele continua insistindo e chega inclusive a afirmar que os sacerdotes “atam fardos pesados e difíceis”, mas nem com o dedo querem mover. Vejam que ele generaliza dizendo que “os” chefes da Igreja Católica fazem isso. A ignorância lhe subiu à cabeça. Sim, porque talvez não conheceu a história do Santo Cura d’Ars; porque talvez não conheceu a história de São Pio de Pietrelcina e de outros tantos santos sacerdotes que viveram dando a vida por Jesus Cristo e Sua Igreja. E hoje, no mundo contemporâneo, embora não sejam poucos os números de casos de escândalos envolvendo padres da Igreja, são inúmeros os exemplos que temos de sacerdotes santos, que são verdadeiros modelos da vida cristã e de castidade.

No entanto, é mais fácil falar dos erros individuais dos filhos da Igreja do que falar das honras e méritos dos santos e santos da Sé! Sim. O mundo busca derrubar a Igreja por meio dessa tática: alfineta o Corpo de Cristo mostrando às pessoas o lado humano e pecador dos membros da Igreja para poder dizer que a Igreja é pecadora… Mas a verdade é que a Igreja não é pecadora. Ela, enquanto Corpo de Cristo (cf. Ef 5, 27), é “santa e irrepreensível”; não pode se corromper. Agora, seus membros, enquanto humanos e dotados de imperfeição, não são santos, mas estão em processo de santificação pois Cristo, cabeça da Igreja, santifica os seus membros através do Seu Sangue Redentor.

Mas Alexandro chega a afirmar que a Igreja Católica misturou “o paganismo com o cristianismo”. Parece até que não conhece história… Não chegou a pensar no duro que a Igreja Católica construindo sobre alicerces cristãos a nossa civilização ocidental; o duro que Ela deu tentando “pôr a terra nos eixos” da verdade de Cristo. Foi Ela – e não a igreja adventista – que extinguiu senão tudo, boa parte do paganismo do Ocidente. Foi Ela que, em cima das cinzas do paganismo construiu uma moral cristã justa e santa. Foi Ela – e tão somente Ela – que apresentou Jesus ao mundo. O protestantismo, fruto da desobediência de Lutero e de outros rebeldes, surgiu no século XVI; não encaminhou ninguém à fé. Ela já existia antes dele, graças ao trabalho da Igreja Católica.

“Nos dias da supremacia de Roma – insiste Alexandro -, houve instrumentos de tortura para forçar o assentimento a suas doutrinas. Houve a fogueira para os que não queriam admitir suas exigências. Houve massacres em proporções que jamais serão conhecidos até que se revelem no dia do juízo. Os dignitários da igreja, dirigidos por seu chefe Satanás, dedicavam-se a inventar meios para produzir a maior tortura possível antes de pôr termo à vida das vítimas. Em muitos casos o processo infernal era repetido ao limite extremo da resistência humana, até que a natureza capitulava na luta e o sofredor saudava a morte como doce alívio.”

E novamente o assunto Inquisição entra em debate. Em primeiro lugar, sem que se ponha esse acontecimento histórico em seu contexto, não será possível haver uma reta compreensão do mesmo. Naquele tempo onde ocorreu a Inquisição, existia uma justiça pouco eficaz no combate ao crime. A tortura e a pena de morte eram quase que necessidades, uma vez que, em meio ao crescente número de crimes no campo e na cidade, não se via outra alternativa senão o rigor judicial. Para a moral daquela época, a pena de morte e a tortura não eram vistas como coisas ruins. Mas hoje, onde já observamos um sistema policial mais eficiente, a pena de morte quase não é mais vista… Então não podemos querer interpretar a Inquisição segundo a nossa visão ou segundo a ética do século XXI. A Inquisição é da Idade Moderna. Precisamos verificá-la no contexto daquele tempo.

São Tomás de Aquino vai escrever que “[é] muito mais grave corromper a fé, que é a vida da alma, do que falsificar a moeda, que é o meio de prover à vida temporal. Se, pois, os falsificadores de moedas e outros malfeitores são, a bom direito, condenados à morte pelos príncipes seculares, com muito mais razão os hereges, desde que sejam comprovados tais, podem não somente ser excomungados, mas também em toda justiça ser condenados à morte” (Suma Teológica II-Il, 11, 3c). Hoje, para nós, essa frase pode parecer absurda, mas naquele tempo, onde já notávamos um sistema judiciário ineficiente e fraco, a pena de morte era vista como uma solução para muitos crimes. E até um certo tempo foi. Mas com a evolução dos sistemas sociais e da própria tecnologia, foi possível punir os crimes sem a necessidade da pena de morte.

Esse assunto é bastante interessante de ser discutido. Aconselho os que querem saber mais sobre o assunto a lerem o livro “A Inquisição em seu mundo”, do Prof. João Bernardino Gonzaga, disponível para download no site São Pio V. Não podemos – repito – inserir a Inquisição num contexto diferente do qual aconteceu. Não podemos analisá-la segundo a visão simplista de uma pseudo-profetisa que se julga inspirada por Deus. A associação entre a Inquisição e a crueldade é feita justamente por essas pessoas que querem descontextualizar esse fato histórico. E definitivamente não é possível fazer isto sem que se cometa um grave erro contra a história e contra a fé.

No item 5, Alexandro continua:

“Se quisermos compreender a decidida crueldade de Satanás, manifestada no transcurso dos séculos, não entre os que jamais ouviram algo acerca de Deus, mas no próprio coração da cristandade e através da mesma em toda a sua extensão, temos apenas de olhar para a história do romanismo. Por meio deste gigantesco sistema de engano, o príncipe do mal leva a efeito seu propósito de acarretar a desonra a Deus e a desgraça ao homem.”

Não entendi bem o que ele quis dizer relacionando a culpa da Igreja Católica com o Império Romano. Talvez ele seja mais um daqueles ignorantes que ache que a relação entre a Roma pagã e a Igreja Católica cristã é quase que inseparável. Infelizmente a realidade não é essa; e nós católicos bem sabemos porque a Igreja é denominada “romana”. A autoridade maior da Igreja sempre foi o bispo de Roma. Haviam autoridades eclesiásticas como o bispo de Antioquia, de Alexandria, de Esmirna… Mas entre todos esses o maior era o representante de Roma. Por essa razão a Igreja Católica é chamada muitas vezes de romana (confira alguns trechos de escritos da época no Wikipedia).

Mas qual é a relação entre a Igreja e a Roma pagã? Foi Roma que paganizou a Igreja? Não! Foi Igreja que cristianizou o Império Romano! Tanto é verdade que após alguns anos de perseguição de Roma à religião cristã, finalmente um imperador – Constantino – viria a professar a religião cristã.

Agora afirmar que “toda a crueldade” de Satanás esteve concentrada somente no Império Romano e citar Roma como exemplo para toda a desgraça da humanidade é exemplo de uma ignorância absurda. Embora saibamos que a Roma pagã era escandalosa, pagã e anticristã, sabemos também que muitas coisas ruins de nossa cultura foram incorporadas graças às ações de outros impérios da Antiguidade. Não podemos culpar Roma pelos erros da humanidade moderna. Podemos, pelo contrário, citar a grande ação da Igreja Católica para que mudasse a ideologia social do mundo. Se em Roma o divórcio era feito descaradamente, a partir do começo da ação evangelizadora da Igreja Católica o homem passou a compreender que o que Deus uniu o homem definitivamente não separa (cf. Mt 19, 6); se em Roma o aborto e o abandono de filhos eram notados constantemente, a Igreja mudou esse conceito e ensinou que o aborto é um assassinato e que é um desrespeito à lei de Deus. Enfim, podemos citar muitas outras ações que foram feitas unicamente pela Igreja para cristianizar o mundo ocidental e, mais especificamente, no contexto da questão que analisamos, o Império Romano.

No item 6, Alexandro cita o que ele considera “erros doutrinários imperdoáveis”. Ele fala desses supostos erros – claro – segundo a ótica da infame autoridade da igreja adventista do sétimo dia e dos escritos da falsa profetisa Ellen Gould White. Na visão duma seita que prega não a Palavra de Deus, mas sim uma deturpação da mesma, aquilo que está certo obviamente estará errado. Ele diz:

“O culto das imagens e relíquias, a invocação dos santos e a exaltação do papa são ardis de Satanás para desviar de Deus e de Seu Filho a mente do povo. Para efetuar sua ruína, esforça-se por afastar sua atenção d’Aquele por meio de quem unicamente podem encontrar salvação.”

Primeiro o culto às imagens e relíquias. Se esse culto não for de adoração – já que a Bíblia só condena que usemos imagens se elas servirem para idolatria – não existe nenhum problema em prestar o que a Igreja chama de “veneração respeitosa” às imagens sacras e às santas relíquias. Venerar é diferente de adorar. Os protestantes – mais especificamente nesse caso os adventistas – não querem enxergar isso porque sabem muito bem que, se aceitarem essa diferenciação, então não terão mais argumentos para tentar destruir a fé católica. Não existe nenhum documento da Igreja que use a palavra “adorar” para designar o ato com o qual cultuamos os santos e a Virgem Maria. Existe, pelo contrário, documentos que usam a expressão “venerar”, “admirar”. E são verbos diferentes.

Comprovemo-lo biblicamente. Diz Jesus Cristo, citando Dt 6, 13: “Adorarás o Senhor teu Deus, e só a Ele servirás” (Mt 4, 10). Adoração devemos somente a Deus. Mas isso não nos impede, por exemplo, de admirarmos a vida de Maria e de dizer que ela é mulher “de grande virtude, dotad[a] de prudência” (Eclo 44, 3). Isso não nos impede de venerarmos a santa vida de Santo Agostinho, São João da Cruz, Santo Afonso de Ligório, Santa Teresinha do Menino Jesus, Santa Teresa d’Ávila etc., já que a devoção a eles só aumenta e aperfeiçoa a nossa fé em Cristo, uma vez que a oração que fazemos a eles chega a Jesus. Ora, se não pudéssemos venerar pessoas de vida santa e virtuosa, então como explicar aquela frase de Maria: “… me proclamarão bem-aventurada todas as gerações” (Lc 1, 48)?

Dirão: venerar a pessoa é uma coisa, venerar imagem é outra. Sim, mas o culto prestado a uma imagem remonta a seu modelo original, ou seja, quem venera uma imagem venera a pessoa que nela está representada (cf. DS, 601). A idolatria do povo de Israel, ao contrário disso, se caracteriza por prestar um culto de adoração diretamente à imagem como se ela fosse uma pessoa e pudesse fazer alguma coisa em favor dos homens. Daí a frase do salmista: “Têm boca, mas não falam, olhos e não podem ver, têm ouvidos, mas não ouvem, nariz e não podem cheirar. Têm mãos, mas não apalpam, pés e não podem andar, sua garganta não emite som algum.” (Sl 113, 13-15). Os santos estão no céu e ouvem as nossas orações, ao contrário das suas imagens, que são apenas representações físicas deles.

A exaltação do papa nada mais é do que o respeito que os católicos cultivam por aquele que pastoreia o rebanho de Cristo. Não há nada de errado nisso. Acreditar que por trás desse glorioso ato existe alguma vontade de tirar o foco da atenção de Nosso Senhor Jesus Cristo é simplesmente obsessão. Quando chamamos o bispo de Roma, doravante designado Papa, por exemplo, de “representante de Cristo na terra”, estamos falando especialmente da assistência que o Espírito Santo presta a ele. O Papa, quando ensina algo em matéria de fé e moral, não erra, pois o Espírito Santo de Deus não deixa. Esse é o dogma da infalibilidade papal, explicado pela Bíblia: “Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16, 19).

Por fim, Alexandro busca “comprovar” as suas teses usando frases ideológicas de hereges e inimigos da Igreja. Não sabe ele que usar comentários tendenciosos e anticlericais para justificar uma idéia também anticristã é completamente irracional. Ora, qual será a opinião de Calvino, John Knox e Ellen White sobre a Igreja? Não precisa nem ser mágico para descobrir que será a pior possível, uma vez que eles são todos membros de igrejas separadas da Sé de Roma: um da calvinista, outro da adventista.

A pergunta é: que autoridade têm esses homens para definirem que a Igreja Católica seria a meretriz do Apocalipse? Que autoridade tem Pastor Alejandro Bullón ou Pr. Luís Gonçalves para falarem mal da Igreja Católica? Nenhuma! Afinal “[a] vontade e a voz de homens finitos não devem ser interpretadas como sendo a voz de Deus”, não é mesmo?

* * *

Contradições em cima de contradições: é o que lemos nesse novo texto publicado pelo mentiroso site do adventista Alexandro. Mas a máscara da mentira – mais cedo ou mais tarde – cai, afinal, Jesus põe todos os inimigos debaixo de seus pés. Que os membros da igreja adventista possam conhecer a verdade da doutrina de Jesus, que está na Igreja Católica, pois Deus se alegra mais com um pecador que se arrependeu do que com noventa e nove justos que não precisam de arrependimento.

Graça e paz.

107 pensamentos sobre “Mais mentiras adventistas

  1. Eu fico pasma de ver a TEIMOSIA (com letra maiúscula mesmo)dos protestantes.Eles falam que seguem a Bíblia ,mas não seguem NADA ,pq se seguissem seriam católicos praticantes,aceitariam o primado de PEDRO e a presença de Cristo na EUCARISTIA.(POIS ELE FOI MUITO CLARO EM SUAS PALAVRAS:”ISTO É O MEU CORPO”,”SOBRE ESTA PEDRA EDIFICAREI MINHA IGREJA””O QUE LIGAR NA TERRA SERÁ LIGADO NO CÉU”
    EMBOTARAM A MENTE E O CORAÇÃO.
    E AINDA SE ACHAM NO DEVER DE VIR AQUI NO FORUM NOS DOUTRINAR,PQ SOMOS IGNORANTES E IDÓLATRAS E NÃO LEMOS A BÍBLIA”(ELES DIZEM).
    IGNORANTES SÃO ELES,QUE IGNORAM A VERDADE.

  2. Caro Everth,

    Gostaria de saber se as discussões em que participei, se foram apagadas, não vamos acessá-las. Como funciona?
    Tem um limite?

    Obrigado desde já

    Fique com Deus.

  3. “Ela deve basear-se em seus próprios méritos eternos, ser lida como a Palavra de Deus, obedecida como a voz de Deus que revela Sua vontade para as pessoas.”
    Obedecida como a voz de Deus?
    Ué, eles estão falando da Bíblia(escrita por homens por inspiração Divina) ou do Alcorão(ditado por Allah a Mohammand)?
    Eu sempre achei que essa bibliolatria protestante era influência islâmica e cada dia fico mais convencido.

    E, te corrigindo, a Santa Inquisição era da Idade Média mesmo. Na Idade Moderna o que encontramos são a Inquisição Espanhola e a Inquisição Protestante(a mais genocída).
    Que venha uma Nova Cristandade, com uma Nova Inquisição e um Novo Index. Só quem estudou história sabe o bem que eles faziam à humanidade.

  4. Everth,

    Como não demos continuidade nos debates sobre o tema “Imortalidade da Alma” que defende, devido você ter encerrado os posts nos outros links, apesar da mensagens continuarem lá, mas o espaça aqui continua aberto acredito.

    Você não se firmou no seu comentário sobre Hb 9:27 quando observou que a Verdade foi revelada, tendo inclusive, seus amigos de fé, notado a contradição em que se metera, apelados para outros versículos (também fora do entendimento, como sempre) e logicamente para a tradição, o catecismo e por aí vai (doutrina de homens).

    Leia o Cap 15 de 1Co o que Deus diz através do Apóstolo Paulo sobre a Ressurreição:

    uma parte….15:51 Eis que vos reveloum mistério: nem todos morreremos, mas todos nós seremos transformados,
    52..num momento, num abrir e fechar de olhos, AO SOM DA ÚLTIMA TRAMBETA (porque a trombeta soará). Os mortos (em Cristo) ressucitarão incorruptíveis, e nós (os vivos) seremos trasformados.

    Em Apocalipse 11:15-19 fala sobre a ùltima trobeta:

    ….11:18 = ..irritaram-se os pagãos, mas eis que sobreveio a tua ira e o TEMPO de JULGAR OS MORTOS, …..e de Exterminar os que corromperam a terra…

    Quando o Homem morre não há mais nada a se fazer por ele. Mas também ele não vai pro céu ou pro inferno imediatamente após a morte como você mesmo disse Everth.
    Nem tampouco os mortos passam por um purgatório.

    Veja o que Deus diz em
    Eclesiastes 9:10 = Tudo que tua mão encontra para fazer, faze-o com todas as tuas faculdades, pois na região dos mortos (além) PARA ONDE VAIS, NÃO há mais trabalho, nem ciência, nem inteligência, nem sabedoria

    Deus diz que não há purgatório. Quando o Homem morre, ele não tem ciência de nada, não tem inteligência, não faz obra alguma, NÂO SABE DE NADA. É o prórpio Deus que diz isso.

    Fiquem com Deus

  5. Everth

    Num dos seus últimos posts você disse a respeito de Hb 9:27:

    “”Em Hb 9, 27, o Autor Sagrado afirma que logo após a morte, seremos julgados. Após isso – imediatamente – iremos para junto de Deus. De fato, cada um terá que comparecer diante do tribunal de Cristo, logo após ter saído deste corpo. São Paulo não disse que deveríamos dormir um tempinho para depois encontrarmos a Deus. Ele disse que, após a sua alma sair do seu corpo – ou seja, após a sua morte -, ele iria para junto de Deus, voltaria “do exílio”… “”

    Não deu tempo de comentarmos acerca desse post, pois naquele link você cortou os comentários, ainda bem que ainda não os baniu como profetizara, sendo assim podemos recorrê-los e deixar nosso comentário amistosamente como sempre foi de minha parte.

    Então, novamente você diz que o homem morre e “”imediatamente” ele é julgado, recebe imediatemente a setença: absorvição ou condenação.

    Você acertou em parte admito. Admito que não há um estágio intermediário depois da morte: O Purgatório não existe, correto.

    Mas o Juízo final, descrito no versículo por Paulo, ocorre apenas na vinda de Jesus Cristo.

    Veja que Paulo diz em 2Tm 4:8 “Já não me resta RECEBER a coroa da Justiça, que NAQUELE DIA me dará o Senhor, Justo JUIZ, e NÃO SOMENTE A MIM, mas todos aqueles que aguardam com amor a SUA VINDA.

    Percebe? A recompensa, a coroa da justiça, só será dada na Vinda da Jesus, na 1ª Ressurreição para os que dormem em Cristo e também para os que ainda estarão vivos em Cristo na Sua vinda.

    Paulo fala também sobre a ressurreição em 1Ts 4:13-18:
    “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que “”dormem””(mortos A.M.) para que não vos entristeçais, como os outros homens que não têm esperança….
    … ao som da Trombeta de Deus, o mesmo Senhor descerá do ceú e os que MORRERAM em CRISTO ressurgirão primeiro…

    Isso é bem claro!!!

    Os mortos em Cristo, os que dormiram em Cristo, os que esperaram Cristo, receberam a recompensa ao Soar da ùltima Trombeta, na Vinta de Jesus Cristo, na 7ª Trombeta:

    Apocalipse 11:15-19….”irritaram-se os pagãos, mas eis que sobreveio a tua ira e o TEMPO DE JULGAR OS MORTOS, de dar a recompensa….

    É certo que está sendo tratado o JUÍZO FINAL.

    Sim, existe o JUÍZO PARTICULAR com certeza, pois a salvação é individual e o julgamento é individual. Todos estaremos perante o Tribunal de Cristo, onde seremos julgados pelas nossas obras. Mas a recompensa não é dada “imediatamente”, ninguém vai pro céu ou inferno imediatamente, após a morte. Vimos nos textos acima.

    O mortos são julgados primeiro, pois quando o homem morre já não lhe resta outra coisa senão o seu julgamento. Agora, quando que o nome de cada morto será apresentado no Tribunal, somente o Senhor sabe.
    ELE apenas informou quando isso começou: em 1844: Nas Profecias de DANIEL: …até 2300 tardes e o Santuário será purificado….

    Ainda, sobre o purgatório não se encontra basamento nos livros “canônicos”, seja até mesmo no NT.

    Apenas, o Livro apócrifo de MACABEUS, inserido na Bíblia no C. de Trento, serve de argumento para sustentar a teoria do purgatório.

    Mas Deus, em seus livros inspirados diz que esse lugar não existe.

    Assim como você Hb 9:27 fora do entendimento, também foi como 2Co 5:6-8, ambos de Paulo:
    Neste último que o “coprpo glorificado” subirá ao céu.
    Leia o Capítulo todo, 2Co 5:1-10, e verá que se trata da esperança do Cristão, e a certeza da salvação que todos que andamos na Verdade devemos ter.
    Paulo diz…..cheios de confiança, preferindo ausentar-nos deste corpo (morrer), para ir habitar junto ao Senhor….

    Paulo tinha certeza da salvação por isso tinha o desejo de morrer e estar com Cristo. Mas estar quando?

    Ele fala quando isso ocorrerá nos versículos supracitados. Ele sabia que isso ocorreria na (1ª)Ressurreição (mortos em Cristo) e os vivos “tranformados num piscar de olhos”.

    Veja o que Deus diz através do Ap Paulo:
    em 1Co 15:
    51 Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos (morreremos), mas todos seremos transformados;
    52 Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a ÙLTIMA TROMBETA; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados
    53 Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.
    54 E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.

    Quando eesa tranfoemação ocorrerá? ao Soar da Última trombeta.

    Amém!!!???

  6. Ah Marcelo,vc é cansativo quando começa com esta ladainha sem fim.
    A alma é imortal desde que formada .O nosso corpo material morre,mas a nossa alma não.
    Assim sendo ,quem morre,passa pelo juízo particular após a morte do corpo.A ressureição corporal só acontecerá na volta de Jesus,mas a alma que está em estado de graça não morre e já experimenta a vida eterna na graça.

  7. Angélica,

    Para entendermos o que é morte nada melhor entendermos o que é vida, pois são antônimos. E nada melhor que irmos na fonte da vida, Deus, quando da criação do homem, então nos reportemos a Gênesis:

    Ge 2:7 = Então, formou o Senhor Deus ao homem do PÓ DA TERRA e lhe soprou nas narinas o FÔLEGO DE VIDA, e o passou a ser “ALMA” VIVENTE.

    Alma vivente = Pó da terra + Fôlego de Vida

    Só há vida, alma vivente, com a união dos dois elementos.

    O homem foi formado corpo+alma = Alma vivente.

    O contrário disso é a morte da Alma vivente. O homem morre por completo. Veja o que é dito sobre a morte em Eclesiastes:

    Ec 12:7 = e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus que o deu.

    morte = pó (volta pra terra) – O espírito (o sopro) volte a Deus.

    Comparemos os doi quadros:

    Vida = Alma Vivente = Pó + Sopro

    Morte = Alma morta = Pó (à terra) – Sopro (a Deus);

    Deus criou o homem para ser eterno porquanto obedecesse:
    Ge 3:3 …mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Disse Deus não comereis, nem tocareis nele PARA QUE NÂO MORRAIS.

    Deus disse ao Homem que se ele desobedecesse morreria.

    Mas Satanás diz que o Homem era imortal, e certamente não morreria em não observar aquele “pequeno pecado sem importância, quase insignificante”.

    Ge 3:4 …Então, a Serpente disse à mulher: é certo que NÃO MORREREIS.

    Agora, a pergunta: Porque Eva e o Adão comeram do fruto proibido e não morreram?

    Satanás estava com a razão?

    Deus disse que o salário do pecado é a MORTE ETERNA.

    Angélica, que penúltimo post seus, contraditório em si. E nem precisa mencionar que contradiz totalmente a Palavra de Deus.

  8. Angélica

    Será que te basta o prórpio exemplo de Jesus Cristo, que morreu, ressucitou e depois subiu aos Céus.
    Pois antes de subir ao céu ELE ressucitou e andou na terra por vários dias. As marias foram testemunhas, os discípulos foram testemunhas. Alías, estes demoraram a acreditar na ressureição, achavam que ram apenas um espírito.
    João 20:9…pois ainda não tinham compreendido a Escritura, que era necessário ressucitar Ele entre os mortos..
    Depois da Ressurreição Jesus apareceu aos discípulos por 3 vezes.

    E Angélica, quanto ao seu conselho ao Everth, acho que você está com receio que ele descubra a verdade sobre a mentirosa “imortalidade da alma”.

    Não seja multidão, lembre-se.

  9. Everth,

    Na “minha opinião”, você não deveria banir os post’s e nem tampouco encerrar os debates, que Deus ilumine o seu caminho. Amém.

    • Marcelo,

      Sabe qual o problema? Você insiste no mesmo tema o tempo inteiro. A gente refuta, mas você volta e sempre com a mesma historinha. Sinceramente?

      Por fugir dos assuntos e fazer com que os debates se tornem monótonos e cansativos,
      Por repetir incessantemente a mesma tese se valendo de argumentos já refutados,
      Por tentar desfazer da doutrina católica e, para isso, utilizar o simples argumento de que é a igreja adventista a verdadeira (igreja essa que surgiu no século XIX),
      Por não colaborar com as proposições desse blog,

      Estou banindo, por tempo indeterminado, seus comentários.

      Até mesmo a liberdade tem limites, meu caro, e você já ultrapassou as barreiras da tolerância há um bom tempo.

      Graça e paz.
      Salve Maria Santíssima!

      • Marcelo,

        Proponho o seguinte: se quiser seguir com aquele debate, faça um blog (se é que você já não tem) e lá escreva suas proposições. Aqui você não comenta mais e pronto. Dependendo da qualidade dos seus argumentos posso até continuar meu debate, mas escreva suas opiniões e idéias em outro lugar.

        Aqui não.

        Graça e paz.
        Salve Maria Santíssima!

  10. Everth,será que vai começar tudo de novo,em relação ao Marcelo? ai ai ai…..
    JESUS,TEM MISERICÓRDIA DE NÓS !
    MINHA PACIÊNCIA ESTÁ CURTÍSSIMA,AJUDA-ME.

  11. Vc está certíssimo Everth.Ele já tinha ultrapassado os limites da tolerãncia a muito tempo,extrapolando a paciência de todo mundo,com uma insistência fora dos limites do bom senso.

  12. ÔH CANSEIRA !!!!
    MARCELO,VAI FAZER TRATAMENTO COM PSICÓLOGO URGENTE!!!
    TENHO PENA DE ALGUM CATÓLICO QUE EXISTA NA SUA FAMÍLIA.
    DEVE SOFRER HORRORES COM SUA AZUCRINAÇÃO FANÁTICA E OPRESSORA.
    PERCEBA SEUS LIMITES EM RELAÇÃO AOS OUTROS.
    CONSELHO:VÁ SE TRATAR ENQUANTO É TEMPO.

  13. MARCELO,VC AQUI NO SITE USA DE VIOLÊNCIA VERBAL PSICOLÓGICA ININTERRUPTA TIPO LAVAGEM CEREBRAL E VEM FALANDO DE MANSIDÃO ?
    NOS POUPE DESTA HIPOCRISIA E SE SITUE OK?
    PARA O SEU PRÓPRIO BEM E DO BEM DE QUEM CONVIVE COM VOCÊ NO DIA A DIA,ESCREVA NOS SITES ADVENTISTAS E NOS DEIXE EM PAZ.
    ESTOU TOMANDO(REPITO)HORROR DA SUA RELIGIÃO .

  14. Everth,

    Muito bem, vou respeitar sua decisão, estou saindo do seu blog.
    A Semente foi lançada, agora depende do solo em que caiu.
    “Parábola do Semeador”.

    Quanto aos meus posts fiquem como presente.

    “Que a Graça de Jesus Cristo seja com todos”. Amém

  15. Comentário do Marcelo:”Quanto aos meus posts fiquem como presente.”….
    Só se for que nem o cavalo de tróia .
    QUE PRESENTE DE GREGO !

  16. a kda dia que passa percebO q a reforma protestante ainda continua, ficO horrorizado de ver tanta igrejinha abrindo em lugares onde foram bares, estou esperando p/ ver aonde vão chegar!!! q Deus tenha misericórdia de todos os PROTESTANTES!!! SALVE MARIA.

    • Paulo , sou Pr. de uma dessas “igrejinhas” conforme seu comentário do dia 15 de dezembro 2009 . E nunca poderia imaginar que sendo você um católico tão esclarecido e devoto de Maria “bem aventurada” pudesse ter um conceito tão egoísta , iracundo e preconceituoso contra todas as “igrejinhas” que tem sim seu papel de apregoar as boas novas de Jesus Cristo o Senhor de todos os homens, inclusive de sua mãe a virgem Maria, que ja morreu e esta segundo as Sagradas escrituras aguardando o mesmo destino que você e nós os das “igrejinhas” . Eu não vou ser hipócrita e não vou despedir-me como os demais . Só desejo isto sim que você tenha um real encontro com o Senhor e Salvador Jesus Cristo “amém” (assim seja)

      • Olá senhor Aldo, por favor leia essa debate q tive com um amigo meu:

        Eu: Em cada esquina que passo vejo uma nova igreja ou seita. No mundo de hoje existem centenas e centenas delas: cada qual interpreta a Bíblia como quer. As conseqüências são a divisão e a separação entre os cristãos. Cristo quer que “haja um só rebanho e um só pastor.”
        Que fique bem claro: Jesus escolheu 12 Apóstolos e nomeou um deles, Pedro (1° Papa), para transmitir e guiar seu povo na fé verdadeira. Estar formado o Magistério da Igreja de Cristo, que se mantém e se manterá até o fim dos dias.

        Ele: As facções que se formaram dentro da própria igreja católica são tão numerosas quanto as “seitas” que se desgarraram dela. Ninguém é mais culpado disso do que a própria Igreja. Daquilo que Pedro edificou, muito pouco (eu diria nada) restou.

        Eu: Eu falo mais do conceito de fé, da fé cristã e seus ensinamentos que nos foram passados por gerações. Um exemplo: vamos pegar a constituição brasileira, vc perde uma causa na 1° Instância, ganha na 2°, no final cabe ao supremo como autoridade máxima a interpretação da constituição brasileira, oq ele decidir está decidido. A bíblia é como c fosse a nossa constituição, foi a igreja q a montou (novo testamento) e falou q é a palavra de Deus escrita, ela q deu autoridade ao papel… Sobre o outro assunto, eu não nego nada daquilo q vc falou, atitudes e condutas de parte do clero e de alguns membros da igreja foram muito negativas para ela… Mas como a medicina não é culpada pelos erros e condutas e de alguns médicos q não souberam exercê-la corretamente, assim eu separo a fé q a igreja prega e ensina dos membros q a compõe.

        Depois dessa ele não teve mais argumentos e encerrou o debate.

  17. Os cristãos se vêm confrontados com uma corrente de pensamento chamada docetismo, que vai negar que “o Verbo Se fez carne”,[14] ou seja, vão negar que Jesus Cristo tenha assumido a natureza humana. Uma das consequências de tal doutrina é que vão considerar impossível de que no culto que Cristo instituiu na Santa Ceia, e pediu, ordenou que fizesse em Sua memória o Pão seja o Corpo de Cristo e o Vinho seja o Sangue de Cristo:

    “Ficam longe da Eucaristia e da oração, porque não querem reconhecer que a Eucaristia é a Carne do nosso Salvador, Jesus Cristo, a qual padeceu pelos nossos pecados e a qual o Pai, na Sua bondade, ressuscitou. Estes, que negam o dom de Deus, encontram a morte na mesma contestação deles. Seria melhor para eles que praticassem a caridade, para depois ressuscitar.”[15]

    E o mesmo Inácio, na epístola aos Filadelfos, diz:[16]

    “Assegurem, portanto, que se observe uma Eucaristia comum; pois há apenas um Corpo de Nosso Senhor, e apenas um cálice de união com Seu Sangue, e apenas um altar de sacrifício – assim como há um bispo, um clérigo, e meus caros servidores, os diáconos. Isto irá assegurar que todo o seu proceder está de acordo com a vontade de Deus.”

    Assim essa corrente de pensamento motivou testemunhos preciosos das comunidades cristãs a respeito de sua Fé na presença real (Corpo, Sangue, Alma e Divindade) de Cristo na Eucaristia.

  18. Tem horas que não dá pra debater com professantes dessas seitas pseudoevangélicas (só aceitam parte do evangelho, como os espíritas!!! a parte que lhes convém – uns umas coisas, outros, outras – e só nisso diferem). Dizerem que o magistério da Igreja é doutrina dos homens, que o cânon bíblico foi definido pelo Concílio de Trento… Que vão estudar história em boas fontes! E quem definiu o cânon da Bíblia protestante? Pelo que sei, o do Novo Testamento foi a Igreja Católica e muitíssimo antes de Trento – com o do bom e Velho Testamento dos Setenta. E o AT dos semi ou pseudoevangélicos? Jesus Cristo? Moisés? Abraão? Não, senhores: os judeus que recusaram o Messias, em Jamnia, no ano 100 d.C. Chega de dar espaços a esses intrigueiros de Satanás, filhotes de Marcião, o primogênito de Satã. Se eu tivesse um blog, apagaria tudo o que fora escrito por essa gente. Misericórdia, caridade e compreensão com todos, mas nunca, jamais, com os filhotes do pai da mentira, fomentadores de divisões. Ora, acaso divisões (plural) são de Deus? Querer ser democrático com eles é cair nas ciladas do Demônio… Temos 2 milênios de ensino de Bíblia, os padres e doutores da Igreja, verdadeiro tesouro, por que dar espaço de uma vírgula sequer para estes matraqueadores de meias-verdades do Capeta?

  19. Em tempo: o 3º anjo de satanás se enganou até de parábola, tão pseudoevangélico (evangélico aqui tomado por fiel à Boa Nova) que é. Ele semeia, sim, mas é o semeador de Mt. 13, 25: o semeador de joio! O que eu sugiro para todos os que tem blogs ou saites católicos: apaguem os posts dessa gente!!! Evita polemizar com quem se repete infindavelmente, só vem semear cizânia, afinal são filhos da cizânia, e roubam nosso tempo de oração! Substituam os posts deles por um indicativo de tempo que gastaríamos para ler e assim saberemos que temos 1 minuto, 2, 3 ou 4 minutos, por exemplo, que fomos poupados de ler para rezar. Talvez o dobro ou o triplo, se fôramos responder. Poderia até ter umas tarjas do tipo: Leitura poupada=1 min. + Resposta = 3 min. Total = 4 minutos para rezar! Que Deus me dê forças para que esse seja o meu último post sobre os semievangélicos e assim não perca tempo de oração, ao invés de falar deles ou para eles. Louvado seja Deus!!!

    • Vcs não conhecem a própria historia, c investigassem mais a fundo os pilares da sua seita, vcs teriam grande surpresa.

      Vc deve saber quem foi Miller, ele marcou uma data para volta de Jesus em 1843, como Jesus não apareceu, marcou nova data para 22 de outubro de 1844. Novamente Jesus não veio, mas em vez de aceitar o erro e parar por ae, uma de suas seguidoras, a senhora Ellen White, inventou a teoria do “Santuário”, mas Miller não aceitou essa teoria, pediu desculpas e foi embora.
      Agora oq nenhum adventista sabe, a senhora Ellen marcou mais datas para a volta de Crisro: 1847, 1850, 1852, 1854, 1855, 1866, 1867, 1877, mas Cristo não voltou.
      Sugiro vcs um dia vão a Biblioteca de Nova York, lá poderão ver jornais e artigos da época falando sob o ocorrido, os também registros dos processos q o grupo da senhora White sofreu, processos de plagio, os livros q ela publicou eram todos plagiados de outros autores.
      Um aviso: “Vigiai pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir” Mateus 25.13

  20. Irmãos, gostei do seu site, mas vocês pediriam coloca os links dos arquivos que vocês colocam no seu site.

    Gostaria de indicar alguns textos, para se acharem adequados, colocarem em seu site.

    No momento quero me ater no caso adventista, onde posso passar vários artigos sobre a seita adventista, que poderiam ajudar muito.

    Por enquanto é só.

  21. Amigos,

    Olhando pela primeira vez este site notei que há muita dificuldade em mostrar aos protestantes os erros da igreja reformada. E isso realmente não é fácil se eles tiverem pouco conhecimento de história e, o que é normal, não conhecem em profundidade a doutrina da Igreja, pois se conhecessem renunciariam a sua fé equivocada. Para facilitar esse conhecimento sugiro a leitura do livro: O Banquete do Cordeiro – A Missa segundo um convertido, de Scott Han, doutor em Teologia e ex-pastor protestante.

  22. Olha, só não enxerga quem não quer, não sou adventista, mais também não sou burro pra crer nessa porta escancarada para a perdição. Agora tão dizendo que não adoram imagens, mais que veneram? Que absurdo, a emenda saiu pior que o soneto. Se orar para os santos ou Maria não for adoração, então tenho que voltar para o primário e começar meus estudos novamente, pois não aprendi nada. Quando era criança acreditava na doutrina católica, mais também acreditava em saci-pererê; mula-sem-cabeça; boi-tatá e etc… Agora que cresci e comecei a ler a bíblia, enxerguei um monte de mentiras que são passadas para quem não conhece a verdade. Saulo também era católico, porém, Cristo abriu-lhes os olhos e se tornou crente no Senhor, recebendo o nome de Paulo. Irmãos, leiam a bíblia que deus vai tirar vocês dessa Babilônia.

  23. Sr. Gefferson Menezes – Protestante da igreja do sítio de pica pau amarelo.

    “Se orar para os santos ou Maria não for adoração, então tenho que voltar para o primário e começar meus estudos novamente, pois não aprendi nada”

    Disse bem. Pode voltar pra escola meu filho…

    “Quando era criança acreditava na doutrina católica, mais também acreditava em saci-pererê; mula-sem-cabeça; boi-tatá e etc…”

    Filho, não quero desapontá-lo mas esses bichos que você citou ainda existem por ai…
    Alguns até escrevem na internet.
    E geralmente caluniam o catolicismo.
    Cuidado para não cair com uma perna só.

    Olegário

  24. “IRMÃO, LEIA O CATECISMO QUE DEUS VAI TIRAR VOCE DESSA BABEL PROTESTANTE”

    Deus me livre, prefiro ler a BIBLIA.
    Dá até vontade de rir
    kkkkkkkkk!!!!
    ler o catecismo pra sair de babel!!!!!!!!! kakakakka,
    obrigada pela dica,mas a BIBLIA é bem mais confiavel!

  25. Caro Everth,

    Veja que interessante o texto abaixo, que retirei do portal “Catolicismo Romano”, e que fornece excelentes argumetos contra as loucuras adventistas:

    Sábado ou Domingo? A questão dos Adventistas

    “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado; de modo que o Filho do Homem é senhor até do sábado” (Marcos 2, 27).

    “Portanto, ninguém vos julgue por questões de comida e de bebida, ou a respeito de festas anuais ou de sábados, que são apenas sombra de coisas que haviam de vir, mas a realidade é o Corpo de Cristo” (colossenses 2, 16). O que prova que o sábado não é intocável, pois existem coisas superiores ao sábado.

    Alguns adventistas procuram impugnar esse trecho de S. Paulo argumentando que “sabados” se refere aos ‘descansos’, como a páscoa, pentecostes, etc. Todavia, o “Sábado”, dia de guarda, fazia parte dos “sábados”. O apóstolo apenas reforça o que foi ensinado por Nosso Senhor Jesus Cristo, tornando sem efeito o argumento adventista.

    A ordem de observar o sábado era rigorosamente cumprida pelos Judeus. Aliás, foi no sábado que eles saíram do Egito rumo à Terra prometida.

    O primeiro dia da semana judaica, posterior ao sábado, quando Cristo ressuscitou, tornou-se o dia de culto dos cristãos ou o dia do Senhor. No ano de 57/58, por exemplo, em Trôade, na Ásia Menor, os cristãos se reuniam no primeiro dia da semana, conforme At 20, 7, para celebrar a Eucaristia. Em 1Cor 16, 2, S. Paulo recomenda aos fiéis a coleta em favor dos pobres no primeiro dia da semana – o que supõe uma assembléia religiosa realizada naquele dia.

    O Domingo é o dia dedicado à glorificação do Senhor vitorioso sobre a morte, tomou adequadamente o nome de “Kyriaké heméra”, dia do Senhor (ou, propriamente, dia imperial), como se depreende de Ap 1, 10: “Fui arrebatado em espírito no dia do Senhor”. O grego “Kyriaké heméra” deu em latim “Dominica dies”, donde, em português, domiga ou domingo.

    Pode-se crer que a celebração do domingo tenha tido origem na própria Igreja-mãe de Jerusalém, pois os apóstolos estavam reunidos no 50o. dia (Pentecostes), que era domingo, quando receberam o Espírito Santo (At 2, 1-3). Este quis se comunicar não num sábado, como Cristo também não quis ressuscitar num sábado, mas no dia seguinte, domingo. O dia da ‘santificação’ de sua Igreja foi o domingo e não o sábado.

    Agora, um outro problema. Qual é o sétimo dia? A palavra ‘sábado’ não exprime o dia determinado da semana, mas, em hebraico, quer dizer: cessação, repouso (shabath). Quando deve ser este dia de repouso? Deus nunca determinou. O que ele quer é que, após seis dias, o sétimo lhe seja consagrado.

    Da lei antiga, distinguem-se quatro espécies de preceitos: o dogma, a moral, as cerimônias e as leis nacionais.

    Destes preceitos, só permanecem, com o advento do Novo Testamento, o dogma, completado por Nosso Senhor Jesus Cristo, e a moral, aperfeiçoada por ele.

    Quanto as cerimônias, elas eram figurativas, e as figuras desaparecem diante da realidade. As cerimônias da Igreja substituem suas pré-figuras (ver Hb 4, 3-11). As leis nacionais também já não mais se aplicam.

    Outro argumento de alguns estudiosos: na semana judaica, a contagem dos dias começa na primeira-feira e não na segunda-feira, sendo o sétimo dia a nossa sexta-feira e o sábado, o nosso domingo.

    Mas, ainda que fosse o sábado o sétimo dia, a Igreja teria o poder de alterá-lo, não sendo ele, como demonstrado, superior ao “Corpo Místico de Cristo” (colossenses 2, 16). O próprio Deus encarnado concedeu este poder à sua Igreja: “Tudo o que ligares na terra, será ligado no Céu e tudo o que desligares na terra, será desligado no Céu”. São palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo aos seus discípulos.

    Examinemos agora um pouco a história: desde o século II, há depoimentos que atestam a celebração do domingo tal como foi instituída pelos apóstolos, conscientes do significado da ressurreição de Cristo. Assim Santo Inácio de Antioquia (+110, aproximadamente) escrevia aos Magnésios: “Aqueles que viviam na antiga ordem de coisas, chegaram à nova esperança, não observando mais o sábado, mas vivendo segundo o dia do Senhor, dia em que nossa vida se levantou mediante Cristo e sua morte” (9, 1).

    O Catecismo dos Apóstolos, chamado de ‘Didaqué’, escrito no primeiro século de nossa era, também prescreve, em seu artigo XIV: “Reúnam-se no dia do Senhor para partir o pão e agradecer, depois de ter confessado os pecados, para que o sacrifício de vocês seja puro.”

    Em meados do século II, encontra-se o famoso depoimento de S. Jusitino, escrito entre 153 e 155: “No dia dito do sol, todos aqueles dos nossos que habitam as cidades ou os campos, se reunam num mesmo lugar. Lêem-se as memórias dos apóstolos e os escritos dos profetas… Quando a oração está terminada, são trazidos e vinho e água… Nós nos reunimos todos no dia do sol, porque é o primeiro dia, aquele em que Deus transformou as trevas e a matéria para criar o mundo, e também porque Jesus Cristo Salvador, ressuscitou dos mortos nesse dia mesmo” (I Apologia 67, 3. 7).

    Nessa passagem, S. Justino atesta a celebração da Eucaristia no domingo. Chama-o “dia do sol” porque se dirige a pagãos; faz questão, porém, de lembrar que tal designação é de origem alheia, não cristã: “no dia dito do sol”.

    O fato do Imperador Constantino ter preceituado, em 321, certo repouso “no venerável dia do sol” não quer dizer que ele tenha introduzido a observância do dia do Senhor entre os Cristãos; esta, como vimos, data da época dos apóstolos, tendo sido apenas patrocinada por Constantino, desde que se tornou cristão. ”

    http://www.catolicismoromano.com.br/content/view/483/37/

    Um abraço.
    Carlos.

    • Carlos,

      Bom mesmo o artigo. Destaco: “Mas, ainda que fosse o sábado o sétimo dia, a Igreja teria o poder de alterá-lo, não sendo ele, como demonstrado, superior ao Corpo Místico de Cristo (Colossenses 2, 16).”

      Graça e paz.
      Salve Maria Santíssima!

  26. NOTA: Por favor irmãos, sejamos honestos ao defendermos a nossa fé, não venham postar aqui que a “SANTA INQUISIÇÂO” foi coisa da Igreja de Roma Pagã. E que hoje em dia, a Igreja Católica Apostólica Romana ‘Cristã’ não é mais a mesma coisa do passado. Tanto é, tanto são a MESMA COISA, que os Papas, não páram de pedir perdão para a humanidade até hoje …

    **… POIS foram exatamente os cristãos que ela perseguiu e ‘matou’ cruelmente!!!!!

    … Ah, esqueci, ela não matou sinceros cristãos né… ela ‘matou hereges’!!!!

    PERGUNTA: >> MAS, o que é um ‘herege’ mesmo? <> Herege é aquele que professa uma heresia ou doutrina contrária aos dogmas da Igreja. <> Qual Igreja mesmo? <> A Igreja Católica Apostólica Romana. <> http://santainquisicaocatolica.blogspot.com/ <> Então, presumo que eu também deva ser ‘julgada’ e ‘condenada’ às fogueiras? Pois também, como meus sinceros irmãos da IDADE MÉDIA, sigo única e exclusivamente à VOZ de meu DEUS! <> …

    ?
    com fraterno amor,
    atenciosamente,
    Célia .

  27. Everth…

    Mais um erro aí em cima no post: ‘NOTA’.

    Por favor, seria possível apagá-lo também?

    obrigada,
    Célia .

  28. NOTA: Não venham postar aqui que a “SANTA INQUISIÇÂO” foi coisa da Igreja de Roma Pagã. E que hoje em dia, a Igreja Católica Apostólica Romana ‘Cristã’ não é mais a mesma coisa do passado. Tanto é, tanto são a MESMA COISA, que os Papas, não páram de pedir perdão para a humanidade até hoje …

    **… POIS foram exatamente os cristãos que ela perseguiu e ‘matou’ cruelmente!!!!!

    … Ah, esqueci, ela não matou sinceros cristãos né… ela ‘matou hereges’!!!!

    PERGUNTA: >> MAS, o que é um ‘herege’ mesmo? <> Herege é aquele que professa uma heresia ou doutrina contrária aos dogmas da Igreja. <<

  29. Meu querido irmão Everth e demais irmãos…

    …Os nossos sinceros irmãos cristãos da IDADE MÉDIA foram covardemente torturados até a agonizante morte, por apenas SEGUIREM a VOZ de DEUS, contida única e exclusivamente em Sua PALAVRA, a BÌBLIA!!!

    …Os nossos sinceros irmãos cristãos da IDADE MÉDIA foram brutalmente torturados e assassinados pelo único e exclusivo motivo de não terem ouvido e seguido ‘cegamente’ a voz de homens falhos e pecadores!!!

  30. PERGUNTA FINAL: >> Então, presumo que eu também deva ser ‘julgada’ e ‘condenada’ às fogueiras? Pois também, como meus sinceros irmãos da IDADE MÉDIA, sigo única e exclusivamente à VOZ de meu DEUS, que está contida única e exclusivamente em Sua Palavra, a Santa Bíblia, à qual, entre muitas das verdades que descobri, está sim a guarda do santo dia do SENHOR, o Sábado bíblico!

    “Resguarda o testemunho, sela a lei no coração dos Meus discípulos.” – Isaías 8:16

    O ‘selo da Lei de Deus’ se encontra no quarto Mandamento. Unicamente este, entre todos os Dez Mandamentos, apresenta tanto o nome quanto o título do Legislador. Quando o Sábado foi mudado pelo poder papal, o selo foi tirado da Lei. Tanto os apóstolos, quanto os discípulos de Jesus, foram e ainda o são hoje, chamados a restabelecer a Sua santa Lei divina. Exaltando o Sábado como o ‘memorial do Criador’ e sinal de Sua autoridade.

    É nos dada a ordem:

    “Clama em alta voz, não te detenhas, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão, e à casa de Jacó os seus pecados…

    … Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falares as tuas próprias palavras, Então te deleitarás no SENHOR, e te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do SENHOR o disse.” – Isaías 58

  31. Meus amados irmãos…

    Gostaria de conhecer A RESPOSTA de vocês à minha PERGUNTA FINAL: >> …

    MAS…

    Lembrem-se de usar um: ‘Assim diz o SENHOR’ … estamos na internet e não dentro de nossas respectivas Igrejas.

    Usemos a Bíblia e ela somente.

    ?
    com fraterno amor,
    atenciosamente,
    Célia .

  32. Há uma coisa em que protestantes têm razão: a salvação deles pode acontecer só pela graça, mesmo. Esse pessoal protesta até contra o significado real das palavras… Quando eles pedem pra outro obreiro interceder por ele (e eles pedem, mesmo sem saber que é intercessão), já estão adorando o irmão-obreiro… E Paulo era católico e hoje é luterano, ou calvinista, ou… ou… ou… Deve ter confundido o Paulo bíblico com algum companheiro de colégio, que, como ele, se dizia católico e foi estudar a “história” da Igreja num saite de alguma seita protestante.

    @ludmila, por querer ler a Bíblia fora do magistério da Igreja os protestantes são como crianças teimosas que querem aprender a ler sem mãe nem professora.

    @Célia, fica tranquila, mulher. Tu não representas qualquer perigo para a doutrina da Igreja de Cristo, a Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Tu só representas perigo para ti mesma.

    Senhor, dá-me disposição e energia para amar!

  33. NÃO CONCORDO COM O FESTIVAL DE ABERTURA DE IGREJAS PROTESTANTES POR PESSOAS SEMI-ANALFABETAS, MAS A IGREJA CATÓLICA DIZER QUE A INQUISIÇÃO SE APLICAVA MUITO BEM À ÉPOCA EM QUE ACONTECEU É COMO AFIRMAR QUE MATAR E TORTURAR DURANTE A DITADURA MILITAR BRASILEIRA FOI ACEITÁVEL, AFINAL DE CONTAS OS GOVERNANTES DIZIAM QUE FAZIAM O MELHOR PARA A NAÇÃO. A IGREJA CATÓLICA TORTUROU E MATOU MILHARES DE PESSOAS DURANTE VÁRIOS SÉCULOS COM REQUINTES DE CRUELDADE, SE ESTUDARMOS UM POUCO DE HISTÓRIA SABEREMOS QUE A INQUISIÇÃO NÃO JULGAVA, DAVA SENTENÇAS. NÃO IMPORTA O QUE OS CATÓLICOS DIGAM OU QUANTOS CATECISMOS ESCREVAM
    A IGREJA É ASSASSINA E CARREGA NAS MÃOS O SANGUE DE DEZENAS DE INOCENTES. SE ESSA É A IGREJA DE DEUS EU PREFIRO SER ATEU.

    • Elizeu,

      SE ESTUDARMOS UM POUCO DE HISTÓRIA SABEREMOS QUE A INQUISIÇÃO NÃO JULGAVA, DAVA SENTENÇAS.

      Me desculpe, Elizeu, mas se você chegou a essa conclusão estudando, sinto pena de quem te dá aula ou de quem escreveu os livros que você possa ter eventualmente lido.

      Graça e paz.
      Salve Maria Santíssima!

  34. É IMPRESSIONANTE COMO VOCÊS PENSAM QUE ESTÃO ACIMA DO BEM E DO MAL. GRAÇAS A DEUS VOCÊS NÃO TEM MAIS NENHUMA INFLUÊNCIA POLÍTICA COMO NO PASSADO. TALVEZ VOCÊ QUEIRA DIZER QUE A INQUISIÇÃO NÃO OCORREU FOI SÓ INVENÇÃO OU INTRIGA DOS HISTORIADORES.
    A IGREJA CATÓLICA COITADA É VÍTIMA DA HISTÓRIA
    QUE IMPLICÂNCIA!

    VOCÊ PRECISA TER PENA MESMO.
    DESCULPE O TROCADILHO MAS É PENA QUE SUA IGREJA NÃO TEVE NENHUMA DÓ DE QUEIMAR NA FOGUEIRA, FRITAR EM ÓLEO, ASFIXIAR PARA OBTER
    CONFISSÕES DE CULPA E MAIS ATROCIDADES QUE VOCÊ CONHECE MUITO BEM.

    GRAÇA E PAZ

    SE FOR POSSÍVEL DORMIR EM PAZ PERTENCENDO A UMA IGREJA ASSASSINA.

  35. Só queria saber quem são as pessoas que a Célia chama de “nossos sinceros irmãos cristãos da IDADE MÉDIA”, supostamente perseguidos e mortos pela Inquisição.

    Será que ela pensa que havia adventistas na Idade Média?
    Tadinha!

    Ou será que ela se considera irmã dos cátaros?
    Coitada!!

  36. A DIFERENÇA É QUE MEU TROCADILHO É CONFIRMADO PELA HISTÓRIA E O SEU É SÓ O TRISTE RECONHECIMENTO DE QUEM SE CALA DIANTE DE UMA
    VERDADE INRREFUTÁVEL.
    QUAL PARTE DOS MEUS COMENTÁRIOS É MENTIRA?

    POR FAVOR PROVE QUE A INQUISIÇÃO NÃO ACONTECEU.

  37. Tá bom, filho. Vou provar. Você diz que “A IGREJA CATÓLICA TORTUROU E MATOU MILHARES DE PESSOAS DURANTE VÁRIOS SÉCULOS COM REQUINTES DE CRUELDADE”
    Seja homem: diga o nome de um só (só um!) que tenha sido torturado e morto PELA IGREJA CATÓLICA. Se foram “milhares”, você deve saber o nome de pelo menos UM. Está lançado o desafio. Ou você prova, ou foi PÊGO na mentira.

  38. VOU CITAR O NOME DE UM POVO INTEIRO QUE FOI EXTERMINADO DURANTE A INQUISIÇÃO OS VALDENSES
    PROCURE POR ESTE NOME NA INTERNET E VOCÊ VAI
    SABER. É CLARO QUE OS PADRES NÃO VÃO TE FALAR
    NOMES , COMO TAMBÉM NÃO CONHECEMOS NOMES DE PESSOAS MORTAS DURANTE O HOLOCAUSTO, OS GENOCÍDIOS, NÃO GUARDAM CERTIDÕES DE NASCIMENTO
    . MAS É COMUM VOCÊS NEGAREM OS GENOCÍDIOS
    AINDA A POUCO TEMPO UM CARDEAL CATÓLICO DISSE
    QUE O HOLOCAUSTO NÃO ACONTECEU.
    CONTINUE NEGANDO A INQUISIÇÃO NÃO ACONTECEU,
    NEM A SEGUNDA GUERRA, NEM A VENDA DE INDULGÊNCIAS NA IDADE MÉDIA. TALVEZ VOCÊ CONHECA A FRASE “QUANDO AS MOEDAS TOCAM O FUNDO DA SACOLA A ALMA SAI DO PURGATÓRIO E CHEGA AO CÉU”. ESSA IGREJA SÓ POSSUI LINDAS HISTÓRIAS PARA CONTAR, VOCÊ SABIA QUE HITTLER ERA CATÓLICO E JAMAIS FOI SEQUER EXCOMUNGADO? POIS É MORREU CATÓLICO. DEVE ESTAR NO CÉU AGORA JUNTO COM TODOS OS SANTOS PADRES QUE
    NÃO MATARAM NINGUÉM DURANTE A SANTA INQUISIÇÃO QUE NUNCA ACONTECEU.

  39. Senhor Pêgo na mentira,
    Não adianta gritar (escrever só em maiúsculas no debate internético equivale a gritar).
    Seus gritos não abafam as suas mentiras. Pode gritar o quanto quiser, que suas besteiras continuam sendo apenas mentiras.
    Além de mentiroso profissional, noto que você também é muito burro e não conhece nada de inquisição. O que você tem muito é presunção e ódio à Igreja de Cristo.
    Você diz que eu nego que a Inquisição tenha existido. É outra mentira peguenta. Nunca neguei isso. Pelo contrário, EU TENHO ORGULHO DA INQUISIÇÃO.
    Pedi que você dissesse o nome de alguém que fora morto pela Igreja Católica e você não soube responder. Sabe por que? Porque a Igreja Católica nunca matou ninguém.
    O seu professorzinho de história – ateu e comunista – também é ignorante e por isso não te contou que quem aplicava a pena de morte, antes da Inquisição, durante a Inquisição e depois da Inquisição era o Estado e não a Igreja.
    A Igreja apenas fazia o inquérito (inquisição) para apurar se o fulano era ou não herege. Se ele fosse herege e tivesse cometido crimes graves por causa da sua heresia, a Igreja o entregava ao Estado para que este aplicasse a pena devida, segundo os códigos civis e criminais da época. Dependendo do caso, a pena era a morte na fogueira.
    Você diz que a Igreja Católica matou um povo inteiro na Inquisição (os Valdenses). Ái, como você é burro!
    Os valdenses não eram um povo, meu filho. Eram só um bando de hereges maniqueus contrários à matéria, ao casamento e à maternidade, favoráveis ao suicídio e à extinção da humanidade, porque, como gnósticos, diziam que a matéria aprisiona a partícula divina que existe em todas as coisas (a propósito, você os defende? concorda com eles?) Por isso, esses malucos atacavam as propriedades e assassinavam mulheres grávidas com uma facada no ventre, que era para matar a mãe e o filho.
    O povo, quando pegava um miserável desses, linchava-o. Para evitar que o povo fizesse justiça com as próprias mãos, pois isso é contra a Lei de Deus, foi que se criou os tribunais da inquisição.
    Naqueles bons tempos o Estado era oficialmente católico e estava unido à Igreja (como deve ser). A heresia era crime de lesa-Divindade. Era considerado o pior crime, pois o herege, ensinando heresia, matava também a alma dos que eles conseguiam enganar, mandando-os para o inferno.
    Se o crime de lesa-majestade (contra a vida do rei) era punido com a pena de morte, é claro que o crime contra Deus não podia ter uma pena mais branda. Mas a pena de morte só era aplicada aos hereges que tinham cometido crimes graves e que não repudiavam a heresia.
    Você diz que Hitler era católico. Pode ser que ele tenha sido batizado quando pequeno. Mas depois ele ficou tão católico quanto você.
    Por falar em Hitler, veja que interessante. Se não tivesse acabado a inquisição, logo que esse pilantra começasse com suas ideias malucas de superioridade racial e outras heresias defendidas pelo nazismo, ele teria sido denunciado à Inquisição e mandado para a fogueira, com bigodinho e tudo… E milhões de inocentes teriam sido salvos.
    Foi o fim da Inquisição e sua substituição pelo relativismo religioso, artístico, econômico e político que permitiu que canalhas como Hitler usassem a democracia liberal para alcançar o poder e destruir as liberdades e os que ele considerava indignos de viver.
    Vá estudar mais para não ser Pêgo em tanta mentira e em tanta bobagem.

  40. Linda aula de história baseada nos livros da igreja católica. Pena que não acredito porque sei que é a maneira de sua igreja manipular a verdade afinal de contas papel aceita tudo e o cérebro de algumas pessoas também. A respeito de nomes procure-os no vaticano onde devem estar também os nomes dos santos padres que julgam os hereges. Agradeço também as dicas do uso da internet, (porém dizer que escrever em maiúsculas é gritar é uma dica muito elementar tente algo que eu ainda não saiba). Vocês católicos acham mesmo que só vocês são donos do conhecimento, por isso não deixavam as pessoas nem ler a bíblia. E esta máxima de que igreja deve estar junto com o Estado deve ser nostalgia da época em que vocês tinham licença para matar, tenho certeza que estão loucos para reascender as fogueiras e é claro muito bem escondidos atrás de regras criadas por vocês mesmos como as que você citou acima ” Era o Estado que matava nós apenas julgávamos, como santos que somos”, isso deve convencer muito bem aqueles que não tem conhecimento suficiente para questionar vocês. E a respeito dos adjetivos de baixo nível que você usou não vou devolver porque respeito o ser humano que você é, coisa que sua igreja não tem o costume de fazer. E sobre o sonho de impedir o holocausto, belíssimo, tenho certeza que vocês o fariam se tivessem tido a oportunidade, como lutaram contra a escravidão no Brasil, (Os padres ensinavam que os negros não tinham alma) é claro que isso é outra mentira minha quem dizia isto era o Estado vocês apenas julgavam é claro. Assim aguardo outro devaneio seu sobre as indulgências que é claro era o Estado que cobrava vocês apenas arrecadavam o dinheiro para mandar as alminhas para o céu.

    • Elizeu,

      A aula de história do Carlos não é baseada em livros da Igreja Católica, mas em livros de história que deixam clara a diferença existente entre o tribunal civil e o tribunal eclesiástico, por exemplo.

      Quanto às indulgências… Não é “arrecadação de dinheiro para mandar almas para o Céu”. Você sequer conhece a doutrina da Igreja sobre as indulgências… Estude isso primeiro. Seria bom pra você e ajudaria no progresso da discussão.

      Graça e paz.
      Salve Maria Santíssima!

  41. Caro Everth,
    Olha que legal! O Pêgo na Mentira parou de gritar. E também tirou o “Pêgo” do nome. Tá melhorando, o menino! Pena que continua mentiroso. Olha a última dele:
    “Os padres ensinavam que os negros não tinham alma”
    Peça a ele que prove esse absurdo. Que mostre um documento qualquer, mesmo que seja uma cartinha de um padre para outro.
    Que jumento! Será que ele não sabe que Simão Cireneu, que ajudou Cristo a carregar a cruz, era negro? E será que ele desconhece que vários e várias africanas, negros e negras, são venerados pelos católicos, alguns desde o século III, como santos?
    Quando a burrice se casa com a mitomania, o resultado é um… um… um Pêgo!!! Pêgo na mentira… De novo!

  42. QUERO APENAS ME DESPEDIR DIZENDO QUE FOI BOM DISCUTIR COM VOCÊS E TER CERTEZA DO QUE EU JÁ PENSAVA. VOCÊS TEM O CÉREBRO LAVADO PELA PRÓPRIA
    ARROGÂNCIA DE ACHAREM QUE SABEM TUDO. NÃO VI TAMBÉM O NOME DE NENHUM AUTOR DE LIVRO OU DOCUMENTO PARA BASEAR AS AFIRMAÇÕES DE VOCÊS.
    O QUE VOCÊS FAZEM É TENTAR DIMINUIR QUEM CONTESTA COM CHINGAMENTOS. QUE DESELEGANTE PARA REPRESENTANTES DE UMA IGREJA QUE SE AUTO DECLARA SANTA! MAS TENHO CERTEZA QUE OS LEITORES DESSE BLOG PUDERAM LER E PERCEBER QUEM PARTE PARA A VIOLÊNCIA , (NESTE CASO VERBAL) ASSIM QUE SÃO QUESTIONADOS, MAS NÃO ADIANTA VOCÊS NÃO VÃO TER LICENÇA PARA MATAR OUTRA VEZ, O MÁXIMO QUE PODEM FAZER É BAIXAR O NÍVEL. INSULTOS VINDOS DE VOCÊS SÃO ELOGIOS, POIS DEMONSTRAM QUE EU CONSEGUI DESPERTAR DÚVIDAS NA CABEÇA DOS SEGUIDORES CEGOS DESSA IGREJA!
    FIQUEM COM DEUS!
    P.S. SE TIVEREM OUTRA DICA ELEMENTAR SOBRE A INTERNET MANDEM PARA MEU E-MAIL. FICAREI FLEIZ EM LER INFORMAÇÕES TÃO INOVADORAS.

    TENHO CERTEZA

  43. carlos,

    acho que voce deveria pedir desculpas ao chamar alguem de burro, vejo que voce é uma pessoa muito inteligente dentro daquilo que voce acredita, porem chamar alguem de burro jamais combina com voce.

  44. Prezados leitores desse blog (e autor também),

    Sou adventista do sétimo dia, estudante sincero da palavra de Deus. Antes de mais nada, gostaria de registrar meu pesar sobre as palavras muitas vezes utilizadas pelos debatentes nesse post, que muitas vezes são ofensivas e destoam da real religião que nosso Senhor Jesus nos ensinou: a de amarmos ao próximo como a nós mesmos. E Jesus ainda ressaltou: “Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem” Mt 5:44. Pouco importa no que cada um crê, se não se capazes de amar uns aos outros, desferindo palavras inadequadas e em tons inadequados (inclusive em palavras em maiúscula, que faz parecer o discurso em tom inflamado , como se estivesse gritanto, por se tratar de internetês), sejam católicos, adventistas etc. Chamar um ao outro de burro, imbecil, otário e assim vai é no mínimo falta de educação, no mínimo.

    Bom, não estou aqui escrevendo este humilde texto e participando de seu blog para ser mais uma adventista a “atacar” suas afirmações. Estou aqui, sim, para, à luz das Escrituras Sagradas, levantar pontos importantes referentes aos pontos comentados no blog.

    Não vou encher esse texto preliminar com um monte de conteúdo, pois poderia dificultar a leitura do mesmo. Sugiro fazer assim: comentarei parte à parte deste post, e se os comentários subsequentes forem sadios e permitirem uma discussão sadia do assunto, continuarei a participar. Se não, cessarei minha participação aqui neste blog. Justo?

    Então, permita-me comentar o primeiro texto:
    Eu, como cristão e adventista do sétimo dia, creio que a palavra de Deus, a Bíblia em seu Cânon Sagrado, conforme assim considerada, é o instrumento concedido por Deus para orientar, guiar e ensinar o povo de Deus na jornada rumo à salvação e à Canaã Celestial, de maneira que ela é única e autossuficiente neste aspecto. Assim sendo, nenhum outro livro deve ser necessário para explicar ou complementar o que a Bíblia diz. Portanto, utilizar livros da fé e tradição católica para explicar conceitos e princípios bíblicos é tão inóquo para um adventista (e protestantes de forma geral) quanto utilizar os livros de Ellen White para tal objetivo direcionado a um católico. Portanto, a Bíblia deve ser a única fonte de dogmas e crenças. Logo, qualquer outra fonte de argumentos, de *ambos os lados*, por assim dizer, não pode ter valia, a não ser somente a bíblia.

    Portanto, convido aos autores do blog e demais participantes à responderem à luz das Escrituras sobre os questionamentos levantados.

    Se assim for, continuarei a participar e a discutir sobre esses importantes temas.

    Um abraço fraterno

    • Erick Sperandio,

      Espera aí: deixe-me entender.

      A Igreja Católica, cujo fundamento foi dado por Nosso Senhor antes mesmo da definição do Cânon das Escrituras, teve seus bispos reunidos para determinarem quais livros entrariam na Bíblia Sagrada. Ou seja, não pode haver Bíblia sem a fé na autoridade da Igreja.

      Você agora quer debater “usando somente a Bíblia”.

      [1] A Bíblia é um documento católico. Aceite a autoridade da Igreja e terei como sólida sua fé na Bíblia.

      [2] A Bíblia pode ser intepretada de mil formas diferentes. Sem o Magistério da Igreja, não há como se guiar uma interpretação autêntica das verdades cristãs.

      Graça e paz.
      Salve Maria Santíssima!

  45. E desculpem os pequenos erros de português… foram involuntários…

    Acabei não revisando, mas foi de coração…

    Abraço fraternal.

  46. Caro Valdemir,
    Eu aqui só xingo aqueles que xingam a Igreja Católica.
    O Elizeu começou xingando a Igreja de assassina.
    Depois, que nome eu posso dar a alguém que diz que “os padres ensinavam que os negros não tinham alma”?
    Burro, para ele, foi até elogio.
    Um abraço.
    Carlos.

  47. Caro Erick Sperandio,

    Você começou num nível elevado e isso é bom, porque a maioria dos adventistas que escrevem aqui já chega insultando a Igreja. Você verá que se ficar nesse nivel o debate será respeitoso. Nós só agredimos em legítima defesa – nossa ou da Igreja.

    Você diz:

    “Eu, como cristão e adventista do sétimo dia, creio que a palavra de Deus, a Bíblia em seu Cânon Sagrado, conforme assim considerada, é o instrumento concedido por Deus para orientar, guiar e ensinar o povo de Deus na jornada rumo à salvação e à Canaã Celestial, de maneira que ela é única e autossuficiente neste aspecto.”

    Comento:

    Conforme já colocou o Everth, acontece que o Cânon Sagrado da Bíblia foi definido pela Igreja Católica – e isso aconteceu no Século IV.

    Para evitar uma discussão mais cansativa logo no início, fiquemos com o Novo Testamento, por enquanto.

    Todos os livros que compõem o N.T. da sua Bíblia foram discriminados e autenticados como inspirados pela Igreja Católica.

    Você deve saber que nos primeios séculos corriam inúmeros outros livros, entre os cristãos, com a pretensão de inspirados (são os chamados apócrifos).

    Pois bem, quem separou apócrifo de inspirado foi a Igreja Católica.

    Mas se a Igreja Católica é falsa e não é a verdadeira Igreja de Cristo, como alegam os adventistas e protestantes em geral, como é que aceitam uma decisão tão importante e de tão graves consequências tomada por essa Igreja falsa?

    Veja que contradição: vocês aceitam a Bíblia, mas não aceitam a Igreja. Mas se não fosse a Igreja vocês não teriam a Bíblia…

    Imagine se cada uma das 33 mil e tantas igrejas protestantes resolver examinar todos os livros de cunho religioso que surgiram nos primeiros séculos do cristianismo para decidir qual deles é inspirado. Provavelmente, cada uma dessas igrejas terá um cânon diferente. E o pior, como não há decisão dogmática e infalível entre protestantes, por lhes faltarem um equivalente ao Papa, conforme for mudando o pastor ou líder da igreja, irá sendo mudado também o cânon da particular da igreja. Imagine que loucura seria isto!

    Você diz:

    “Assim sendo, nenhum outro livro deve ser necessário para explicar ou complementar o que a Bíblia diz. Portanto, utilizar livros da fé e tradição católica para explicar conceitos e princípios bíblicos é tão inóquo para um adventista (e protestantes de forma geral) quanto utilizar os livros de Ellen White para tal objetivo direcionado a um católico. Portanto, a Bíblia deve ser a única fonte de dogmas e crenças. Logo, qualquer outra fonte de argumentos, de *ambos os lados*, por assim dizer, não pode ter valia, a não ser somente a bíblia”

    Não sei a qual denominação adventista você pertence, mas a regra geral é que os adventistas têm que ler e jurar fé nos livros de Ellen White – o que revela mais uma enorme contradição.

    Um abraço.

    Carlos.

  48. Prezados Everth e Carlos,
    Obrigado por responderem à altura. Acredito no debate e sadio e de armas postas abaixo.

    Com relação ao que o Everth escreveu:

    “A Igreja Católica, cujo fundamento foi dado por Nosso Senhor antes mesmo da definição do Cânon das Escrituras”

    A igreja católica apostólica romana foi fundada no século IV, e não pelos apóstolos de Cristo. O que aconteceu na ocasião em que Cristo se dirigiu a seus discípulos, foi a fundação da Igreja, corpo de Cristo, que deveria ter como liderança os apóstolos, mais especificamente de Pedro, e cuja cabeça era e é Cristo, e ninguém mais. Durante os 3 primeiros séculos, Roma perseguiu e matou milhares de cristãos. A mesma Roma que mudaria de estratégia no quarto século diante dos cristãos, sob o comando de Constantino, o Grande. Isso tudo sabemos porque estudamos no 2º grau e é tema em 99% dos vestibulares. Sabemos que o mesmo Constantino promulgou o famoso edito de Milão em 313 dC, que teve entre as suas principais questões a promulgação do cristianismo como religião oficial de Roma, a liberação dos cristãos para exercer sua fé, e a mudança do dia de guarda do sábado bíblico para o domingo. Depois, em 325 dC no Concílio de Nicéia, isso se torna oficial.

    “A divergência entre a tradicional observância religiosa judaica do Shabat e ao respeito ao primeiro dia da semana aparece com o surgimento oficial da apostasia (ano 325 e.c) pelo Imperador, que impõe o dia do sol, venerado pelo pagãos, sobre o sábado biblico, respeitado ainda pelo cristianismo dos primeiros discípulos, de modo a introduzir o povo pagão dentro dessa nova religião (cristianismo apóstata/catolicismo) e assim unificar todo o povo do seu império, baseando-se numa passagem biblíca que está na Bíblia em Atos 20:7 onde os discípulos se reuniram no “primeiro dia da semana e partiram o pão” juntos. (SIC)” Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Domingo. Enciclopédias em geral também trazem a mesma informação. Essa estratégia foi tomada para que o cristianismo fosse incorporado pela cultura romana, introduzindo no cristianismo sem mácula praticado até então elementos do culto pagão romano, encontrando na observância do domingo em lugar do santo sábado seu símbolo máximo. Logo em seguida, Constantino começou a organizar a Igreja de Roma, cujo nome passou a ter a palavra Católica, que do grego significa “universal”, com a idéia de tornar essa igreja a igreja cristã universal.

    Aliás, não é tema desse post, mas lembro que a bíblia possui 8 menções à palavra “primeiro dia da semana” – nem mesmo domingo – e em nenhuma delas é instituído o domingo em detrimento do sábado como dia de observância. Aliás, em certas línguas, o domingo literalmente significa dia do sol – como em inglês, Sunday, ou no alemão, Sonntag. Sobre isso, realmente a Igreja Católica deve reclamar sua autoridade diante da maioria das igrejas protestantes porque estes seguem preceitos de fato instituídos pela Igreja de Roma, como a observância do domingo.

    Em 325 dC, no Concílio de Nicéia, vários líderes da igreja, alguns já contaminados pelo paganismo romano, e outros ainda fiéis ao culto praticado pelos cristãos desde o primeiro século, estabeleceram vários dogmas da nova igreja. Alguns desses dogmas, infelizmente, não tinham básica bíblica – como a observância do domingo em detrimento do sábado. Foi nesse Concílio, também, que foi estabelecido o tal Cânon Sagrado. Em primeiro lugar, dos 66 livros julgados como parte desse conjunto de livros chamado Bíblia, 39 já haviam sido julgados como tal previamente a este concílio: são os livros do Antigo Testamento, ou também chamados da Tanach judaíca, ou Torá. O trabalho principal foi com relação aos 27 livros do Novo Testamento, sendo que a maioria das epístolas e cartas não possuíam mais seus originais, além do que, conforme o Carlos disse, muitos estavam “rodando por aí” naquele tempo e queriam ter esse status de livro sagrado. O critério principal – dentre outros – foi a canonização dos livros que eram utilizados pelos cristãos que outrora foram perseguidos durante 3 séculos pelo poder romano, que agora mudava de tática. “Se não pode vence-los, junte-se a eles”.

    Realmente, eu aceito a Bíblia nos seus 66 livros julgados como sendo o Cânon Sagrado conforme foi julgado no Concílio de Nicéia, mas afirmar que eu deveria aceitar portanto a autoridade da igreja católica apóstolica romana, é uma falácia, um argumento falho sem base lógica. Na verdade, a volta desse argumento é que a verdade: o Concílio de Nicéia foi quem aceitou a autoridade dos primeiros cristãos, que tratavam a Tanach judaica mais estes 27 livros do Novo Testamento como a Escritura Sagrada, estes mesmos cristãos que outrora foram perseguidos nos primeiros séculos. Tanto que os textos que afirmam verdade bíblicas enterradas a 7 palmos do chão durante a Idade Média foram desenterradas e lá estavam intactas, sem a mácula da modificação dos textos sagrados pelos homens. Por exemplo, hoje os 10 mandamentos católicos divergem dos 10 mandamentos escritos pelo dedo de Deus no monte Sinai entregues a Moisés, e relatados na Tanach judaica e nas diversas traduções bíblicas fiéis ao redor do mundo inteiro. Por isso que meu pedido inicial persiste: não utilizarei nenhum texto senão a bíblia considerada em seu Cânon Sagrado, nem mesmo nenhum texto de Ellen White. Aliás, sobre isso: sou Adventista do Sétimo Dia, a Original. E eu lhe afirmo, com 100% de certeza, que ninguém, repito, ninguém venera a sra. White, nem mesmo considera seus textos como sendo parte do texto sagrado bíblico. São sim, para nós, textos inspirados pelo Santo Espírito e que lançam sobre nós luz extra sobre os assuntos bíblicos. Textos inspirados como exortação à boa alimentação, ao bom convívio familiar, ao estudo constante da Bíblia, como educar os filhos, como viver neste mundo sem ser deste mundo etc. Nada além disso. Se eu precisasse usar textos de Ellen White para explicar minha fé, ou até mesmo embasá-la, eu seria um tolo, pois a Biblia é tão somente autossuficiente nesse aspecto.

    No Concílio de Nicéia, apesar de tudo, a igreja católica apostólica romana não estava ainda de todo contaminada pelo paganismo romano. Tivera Constantino mantido o cristianismo limpo das mazelas pagãs da cultura romana, e com certeza a Igreja Católica Apóstolica Romana teria sido realmente a igreja universal de Cristo na terra! Contudo, infelizmente não foi o que aconteceu. E isso, caros amigos, não é o Erick quem diz, são relatos históricos da própria história secular dos homens. E, obviamente, a comparação com o que diz as Escrituras Sagradas e o que esta igreja infelizmente promoveu nos séculos seguintes atesta esse fato. Isso não precisamos comentar. A História está cheia de relatos sobre isso.

    Tivera a Igreja Romana respeitado a real autoridade bíblica, respeitando o Assim Diz o Senhor, tomando cuidado com avisos do tipo “… se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro.” (Ap. 22:18,19), certamente as nações de todo mundo seriam por ela abençoadas e já teríamos visto Cristo voltar, conforme a condição sine qua non descrita em Mt. 24:14 “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim”.

    Eu continuo apreciando esse debate, que tende a ser muito sadio. Não espero que ninguém se converta – quem sou eu para tal! Mas espero que ambas as partes possam sair melhores após esse debate.

    Quando tivermos acordado em se basear tão somente nas Escrituras Sagradas, continuaremos nosso debate. Independentemente de que seja nosso credo, vamos juntos crescer em graça e poder, no conhecimento da verdade.

    Obrigado pelo espaço e pela sua atenção. Deus os abençoe ricamente. Orem por mim, e oremos uns pelos outros!

    Um abraço fraternal.

  49. Para reduzir a questão gostaria de saber do Erick AONDE na Bíblia está que SÓ a palavra é a doutrina.Mostro aonde fala que a TRADIÇÃO APOSTÓLICA E A PALAVRA são necessárias na doutrinação cristã.
    Se ele me mostrar aonde está que só a palavra é necessária…..
    FAÇO O DESAFIO(E COMO JÁ SEI QUE ELE NÃO VAI ACHAR EM LUGAR NENHUM NA BÍBLIA(DE ONDE ELE TIROU ISTO ENTÃO?COM CERTEZA DE ALGUMA TRADIÇÃO HUMANA ) ,VOU CONTINUAR CADA VEZ MAIS FIRME NA RELIGIÃO FUNDADA POR CRISTO,A CATÓLICA.
    ME DIZ ERICK, DE ONDE VC TIROU ESTA VERDADE QUE NÃO ESTÁ NA BÍBLIA,HEIN?VC NÃO ESTÁ SE CONTRADIZENDO????

  50. Senhores,

    Entender que a Igreja Católica foi a igreja instituida pelos apostolos – não se pode refutar. Entender que catolico é universal e tinha como objetivo atingir a todos também não se pode refutar. Entender que ela deixou de ser Igreja Apostolica de Cristo e passou a ser de Roma isto podemos. Ao passar a ser Igreja apostolica catoloca Romana, então deixou de ser dirigida por Cristo e então troca o dia de guarda, santo, selo da criação para um dia em que a mente de homens finitos assim o quiseram.

    Jesus ressucitou no 1º dia da semana, dia em que Deus iniciou sua criação no planeta terra – vide Genesis 1. Jesus ressucitando no 1º dia inicia-se a esperança a salvação para todos desde Adão até o último a ser selado- Ezequiel 8 e 9.

    Jesus, nem tampouco os apostolos em nenhum texto Biblico trocou o sábado para o domingo, mas aceitando a Jesus não necessitaria dos nãos da lei,m pois viveriam em harmonia com o caráter Daquele que é nosso redentor, só que para o sábado e para o Eu Sou(1º e 4º mandamentos da Lei) não há nãos, mas há um Lembra-te e Eu Sou. Tenho certeza que você entendeu o que escrevi pois vocês são sinceros e tenho certeza que se abrirem a mente e o coração com a singeleza do amor de Cristo, entenderá o que a voz do Espirito de Deus está lhes dizendo.

    Nenhum homem finito pode mudar o que foi escrito pelo próprio dedo de Deus, se assim não cremos a Bibilia pode ser rasgada!

    Que o amor de Cristo possa trazer a beleza de Seu caráter a cada dia de nossa vida.

  51. Olá Angélica,

    Pelo seu tom, acredito que você está se sentindo ofendida com alguma palavra minha. Em primeiro lugar, desculpe se te fiz se sentir ofendida – se este for o caso. Em nenhum momento o desejei isto, muito, muito pelo contrário. Você parece ser uma pessoa fiel ao que segue, e isto é admirável! Respeito sua fé, e não tenho intenção nenhuma de que mude de fé. Desejo, sim, que possamos juntos debatermos sobre assuntos importantes e assim crescermos no conhecimento, nos tornando pessoas melhores, seja em que aspecto for.

    Você comentou:
    “Para reduzir a questão gostaria de saber do Erick AONDE na Bíblia está que SÓ a palavra é a doutrina”.

    Bom, se eu entendi bem o que você pediu, vou utilizar só a Palavra. É o que estou desejando desde o início.

    “Toda a Escritura, divinamente inspirada, é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”. II Tim. 3:15,16.

    “Santifica-os na verdade; a Tua palavra é a verdade.”. Jo. 17:17.

    Isso responde o que é a verdade. Diz também em Jo. 18:37:

    “Disse-lhe, pois, Pilatos: Logo, tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.”

    E o próprio Deus explicita o que é ouvir Sua voz:

    “E SERÁ que, se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje, o Senhor, teu Deus, te exaltará, sobre todas as nações da terra.” Dt. 28:1.

    Ambos cremos ser Jesus e Deus Pai os mesmos, logo estamos falamos da mesma Voz.

    E esse texto apresenta o tipo de prova que toda doutrina deve passar:

    “À Lei e ao Testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva.” Is. 8:20. (Sugiro ler o verso anterior a este, o verso 19).

    Quando Satanás tentou a Cristo no deserto, Jesus não respondeu outra palavra senão a que fora anteriormente revelada, dizendo sempre “Assim diz o Senhor”, recorrendo à Tanach judaica, a Bíblia de até então, para se contrapor aos argumentos falaciosos do inimigo. Leia o episódio em Mt. 4:1-11.

    “FAÇO O DESAFIO(E COMO JÁ SEI QUE ELE NÃO VAI ACHAR EM LUGAR NENHUM NA BÍBLIA(DE ONDE ELE TIROU ISTO ENTÃO?COM CERTEZA DE ALGUMA TRADIÇÃO HUMANA ) ,VOU CONTINUAR CADA VEZ MAIS FIRME NA RELIGIÃO FUNDADA POR CRISTO,A CATÓLICA.”.

    Então, Angélica, estes textos trazem luz sobre seu desafio? Existem, tal como estes, inúmeros outros onde a Bíblia afirma ser ela a única regra de fé. Acho não ser necessário colocar mais textos aqui devido ao espaço. Nenhum outro texto deve ser necessário para embasar a minha e a sua fé, a não ser o próprio texto sagrado, o da Bíblia. Ok?

    “ME DIZ ERICK, DE ONDE VC TIROU ESTA VERDADE QUE NÃO ESTÁ NA BÍBLIA,HEIN?VC NÃO ESTÁ SE CONTRADIZENDO????”.

    Como pude mostrar, mostrei textos que estão na Bíblia, que é a fonte da verdade, no que tange à salvação da raça humana e de sua restauração ao ponto original.

    Vamos manter o bom nível da conversa, e certamente continuaremos crescendo em graça e no conhecimento da verdade.

    Um abraço fraternal

  52. DESFAZENDO AS POTOCAS EVANGÉLICAS

    RAZÕES LÓGICAS:

    O que dizem as Escrituras Sagradas sobre a tradição? Vejamos:

    “Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos afasteis de todo irmãos que leve vida desordenada e contrária à tradição que de nós receberam” (2Ts 3,6);

    “Eu vos louvo por vos recordardes de mim em todas as ocasiões e por conservardes as tradições tais como vô-las transmiti” (1Cor 11,2);

    “O que de mim OUVISTE na presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para ensiná-lo a outros! (2Tm 2,2);

    “Sei em quem acreditei… Toma por norma as sãs PALAVRAS que ouviste de mim, na fé e no amor do Cristo Jesus. Guarda o bom depósito (’paratheken’) com o auxílio do Espírito Santo que habita em nós” (2Tm 1,12-14).

    “Por isso é que também nós não cessamos de dar graças a Deus, porque RECEBESTES A PALAVRA DE DEUS, QUE DE NÓS OUVISTES, e a acolhestes, não como palavra de homens, mas como aquilo que realmente é, COMO PALAVRA DE DEUS, que age eficazmente em vós, os fiéis. “ (I Tessalonicenses 2,13)

    “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai as tradições que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.(II Thess II, 15).

    De tudo o que acima foi mencionado na Bíblia podemos deduzir o que segue:- Não podemos ter contato com aqueles que vivem em desacordo com as tradições recebidas dos apóstolos;- É digno de louvor quem conserva as tradições apostólicas da forma que foram transmitidas pelos apóstolos;- Tudo o que os apóstolos ensinaram verbalmente deve ser transmitido por homens idôneos;

    – As palavras dos apóstolos não deviam ser recebidas como palavras de homens e sim, como palavras de Deus;

    – Devemos conservar as tradições apostólicas tanto escritas como orais;

    EM LUGAR NENHUM da Bíblia fala que a palavra de Deus transmitida oralmente seja superior à transmitida por escrito e vice-versa.

    Agora resta provar que a IGREJA CATÓLICA ensina que a TRADIÇÃO APOSTÓLICA seja superior à PALAVRA DE DEUS ESCRITA.

    PROVA DOCUMENTAL

    Bem, quem afirma isso são os EVANGÉLICOS, portanto cabe eles o ÕNUS DA PROVA, isto é,

    DEVERÃO PROVAR QUE A IGREJA CATÓLICA ENSINA:

    – que as tradições humanas TÊM O MESMO VALOR ou SÃO SUPERIORES À BÍBLIA;

    – que as tradições apostólicas SÃO SUPERIORES À BÍBLIA.

    MISSÃO IMPOSSÍVEL!!!!!!

    Tem mais:

    SOMENTE ALGUÉM INSPIRADO TEM AUTORIDADE PARA DIZER QUAIS SÃO OS LIVROS INSPIRADOS

    Supondo:

    Vou à livraria comprar uma Bíblia e o livreiro me oferece uma que tem 73 livros; entretanto, pode também me oferecer uma que tenha apenas 66; então eu lhe pergunto:

    – Qual delas é a verdadeira?

    Se o livreiro for católico me dirá: é a que tem 73 livros;

    se o livreiro for protestante me dirá: é a que tem 66 livros;

    Vamos supor que eu acredite no livreiro protestante. Entretanto, observo que uma dessas Bíblias difere completamente das demais.

    Trata-se da Bíblia das Testemunhas de Jeová. Então pergunto novamente ao livreiro:

    – Qual delas é a certa?

    Se ele for TJ me dirá que a certa é a que tenho nas mãos, mas se não for, me dirá: “Desculpe, essa Bíblia é completamente deturpada, pegue esta da tradução Almeida, Corrigida e Revisada, Fiel etc”.

    Daí eu vejo em algum lugar uma que contém o seguinte informe: “Almeida, Revista e Atualizada…”. O vendedor me informa:

    – Não, a correta é esta aqui…

    infalível, inerrante e que que ñenhum pastor também é infalível.

    A partir daí, fico com esta interrogação:

    – COMO SABEREI. ENTÃO, QUAL É A BÍBLIA VERDADEIRA?

    RECORRO, então à IGREJA CATÓLICA:

    – Gente, me diga aqui: qual é a Bíblia verdadeira? Eles me respondem:

    – A Bíblia inspirada por Deus é esta que contém 73 livros e que leva a a aprovação da IGREJA.

    – E a Igreja é Infalível?

    – Sim, ela é coluna e sustentáculo da Verdade, veja aqui em I Timóteo 3,15. Ela é inspirada por Deus e por isto não pode errar.

    Ainda insisto:

    – Por que são 73 e não 66 livros? Respondem-me: “Está no cânon sagrado”.

    – E onde é que posso ver este cânon sagrado? Está na Bíblia?”

    – Não, não! Este Cânon foi aprovado pela Igreja.

    – Mas as outras igrejas aprovaram uma relação bem diferente. Quem está com a razão?

    – A Igreja Católica. Elas não têm certeza do que fazem porque elas mesmas dizem que nenhuma igreja é inerrante. A Igreja Católica, porém, é infalível conforme já lhe foi mostrado na própria Bíblia.

    Mas e o rol dos livros cridos pelos protestantes?

    – Bem, ele não se encontra na Bíblia. Trata-se de uma antiga tradição (HUMANA PORQUE ESTABELECIDA PELOS FARISEUS EM JÂMNIA, POR VOLTA DO ANO 90 D.C.).

    CONCLUSÃO: APESAR DE TUDO, os evangélicos têm a certeza de que tal relação de 66 livros é inerrante mesmo que não figure na Bíblia contrariando o dogma protestante de que “A BÍBLIA É A ÚNICA REGRA DE FÉ” (que por sua vez sequer está também na Bíblia – quanta incoerência!!!!)

    Os hereges conferem a essa tradição o carisma da INFALIBILIDADE, bem como também ao CONCÍLIO DOS QUE REJEITARAM A CRISTO.

    Se dão tal valor ao CONCÍLIO DOS HIPÓCRITAS, curiosamente, rejeitam, considerando sem qualquer valor, os CONCÍLIOS REALIZADOS PELO BISPOS CRISTÃOS que aprovaram o rol dos 73 livros.

    Eta!!!! Têm de se apoiar em qualquer coisa. Se não nos concílios cristãos, pelo menos nos concílio dos fariseus!!! HEHEHEHEHE!!!!!

    Tem mais:

    “Bem, se os protestantes ficaram com o cânon de 66 livros, isto se deve a eles terem seguido determinações judaicas”
    ======================

    Em diversas discussões a respeito, nota-se que os protestantes, para recomporem o vazio deixado pela ausência da autoridade da Igreja que rejeitaram, apelam para a autoridade dos fariseus.

    Justificam sua posição mediante a seguinte passagem:

    “… Principalmente porque lhes foram confiados [aos judeus] os oráculos de Deus” (Romanos 3,2).

    Ora, isto aconteceu até Cristo. A ruptura entre o Novo e o Velho ficou simbolizada pelo véu do templo rasgado de alto a baixo. A autoridade foi repassada à Igreja de Cristo:

    “… Assim também quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Filho do homem está próximo, às portas… Ficai de sobreaviso, vigiai; porque não sabeis quando será o tempo. Será como um homem que, partindo em viagem, deixa a sua casa e delega sua autoridade aos seus servos, indicando o trabalho de cada um, e manda ao porteiro que vigie” (Marcos 13, 19.34)

    O porteiro é PEDRO e seus sucessores que detêm o poder das chaves.

    Fica ainda mais clara a transferência dessa autoridade no seguinte texto:

    “Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, [investidos com esta autoridade] e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo” (São Mateus 28,18-20).

    Para quem ainda não se convenceu, que tal a parábola dos maus vinhateiros, narrada por Cristo exatamente para explicar esta transferência?

    “… Os vinhateiros, porém, disseram uns aos outros: Este é o herdeiro! Vinde, matemo-lo e será nossa a herança! Agarrando-o, mataram-no e lançaram-no fora da vinha. Que fará, pois, o senhor da vinha? Virá e EXTERMINARÁ OS VINHATEIROS E DARÁ A VINHA A OUTRO” (São Marcos 12, 7-9)

    fonte: Cai a Farsa

  53. Erick,já coloquei a discussão sobre a “potoca” que vcs evangélicos e adventistas dizem que nós católicos colocamos a tradição acima da Bíblia.NÃO AFIRMAMOS ISTO.ISTO NÃO É VERDADE.TRADIÇÃO E PALAVRA CAMINHAM JUNTAS,UMA DANDO RESPALDO Á OUTRA.E PROVO QUE ISTO É BÍBLICO.
    E para evitar a discussão extendida do assunto já coloco a conclusão sobre o mesmo.
    NÃO EXISTE EM LUGAR NENHUM NA BÍBLIA QUE SÓ A PALAVRA É VÁLIDA(QUE ELA É IMPORTANTE E NECESSÁRIA É OBVIO E ULULANTE ,SEI O VERSÍCULO DE COR E SALTEADO).EXISTEM EM VÁRIAS PASSAGENS DO NOVO TESTAMENTO (CONFORME CITEI)FALANDO SOBRE A NECESSIDADE DA TRADIÇÃO APOSTÓLICA E DA PALAVRA CAMINHAREM CONCOMITANTEMENTE.E ISTO SÓ A IGREJA CATÓLICA TEM.A IGREJA CATÓLICA NÃO COLOCA A TRADIÇÃO ACIMA DA PALAVRA.VC NÃO PROVA NADA DISTO .MAS EU TE PROVO QUE É NECESSÁRIA A TRADIÇÃO APOSTÓLICA.
    OU SEJA VC NÃO CITOU O QUE PEDI E EU TE CITEI AONDE FALA DA NECESSIDADE DA TRADIÇÃO APOSTÓLICA.(QUE SUA IGREJA NÃO TEM).
    A IGREJA DE CRISTO(CATÓLICA)TEM ,A SUA NÃO.
    OU SEJA ,A IGREJA VERDADEIRA FUNDADA POR CRISTO É A CATÓLICA ,O RESTO É IMITAÇÃO E IGREJA DE HOMENS E FUNDADAS POR HOMENS.A SUA ALIÁS ,FOI FUNDADA POR UMA MULHER.(COM CERTEZA EPILÉTICA E VISIONÁRIA)

  54. Prezada Angélica,

    Obrigado por responder.
    Antes de mais nada, deixe-me apresentar-lhe um texto muito especial, falando de tradição. Este se encontra em Mt. 15:1-9:

    “ENTÃO chegaram ao pé de Jesus uns escribas e fariseus de Jerusalém, dizendo: Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos, quando comem pão. Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transgredis vós, também, o mandamento de Deus, pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe; e: Quem maldisser ao pai ou à mãe, morra de morte. Mas vós dizeis: Qualquer que disser ao pai ou à mãe: É oferta ao Senhor o que poderias aproveitar de mim, esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe, e assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus.
    Hipócritas, bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos dos homens.”

    Nos diversos textos que você apresentou, todas as exortações para obedecer àquelas tradições ora mencionadas, se referiam às tradições que não invalidavam e nem feriam qualquer preceito bíblico, e eram referentes àquela época. Ora, isso pode parecer óbvio, mas é importante ressaltar, como escrevi no post anterior, que a Bíblia é sim autossuficiente nesse aspecto. Não se pode invalidar a Escritura ou substituir o que nela está escrito por causa de tradições; é o contrário: as tradições devem sim estar sujeitas ao “Assim Diz o Senhor”. Isso fica claro no texto acima.

    Conforme também já escrevi, a igreja católica apostólica romana *não* foi fundada por Jesus juntamente com os apóstolos. Isso é História. A igreja de Cristo fora perseguida pelos *romanos* durante quase 3 séculos, milhares foram torturados, queimados e mortos pela perseguição de Roma, que até então era *pagã*, até que Roma mudou de tática, e criou – aí sim, em 325 dC – a Igreja Católica Apostólica Romana. Você leu atentamente o post anterior, com evidências e referências? O dia de guarda dos cristãos até então era o sábado, não o domingo. Este foi instituído pela nova igreja romana, e hoje pela tradição, o mundo cristão quase que em sua totalidade observa como dia de guarda. Tradição esta criada e transmitida pela Igreja de Roma e que está em *desacordo* com as Sagradas Escrituras.

    Embora você tente argumentar sobre “que bíblia escolher, a que tem 73 livros ou a que tem 66 livros”, quem conhece um pouco sobre a formação da bíblia e de seu cânon sagrado saberá que estes 7 livros, dito apócrifos, só foram aprovados como parte das Escrituras pela igreja católica em 8 de abril de 1546 buscando se contrapor à recente reforma protestante, uma atitude extremamente controversa, ao passo que a instituição do Cânon Sagrado à época do Concílio de Nicéia somente corroborou o que os cristãos que até então foram perseguidos utilizavam e consideravam como as Escrituras Sagradas (lembrando que a principal dificuldade estava relacionada ao Novo Testamento, pois o Velho Testamento era e é tão somente a Tanach judaica). Faz parte do credo católico acreditar e colocar a tradição católica no mesmo nível das Escrituras Sagradas, e os textos que você colocou são categoricamente utilizados para reforçar isso. No próximo post responderei sobre esses textos.

    Em nenhum local a Bíblia argumenta ser a tradição oral ou humana maior que a Palavra de Deus. Pelo contrário, conforme já dito aqui e evidenciado através das palavras de Jesus, a tradição deve estar em acordo com a Palavra de Deus, e não o contrário!!!

    Um abraço fraternal
    [continua…]

  55. Erick,os cristãos que morreram martirizados no início do cristianismo eram CATÓLICOS ,DISCIPULOS DE PEDRO E DOS OUTROS APÓSTOLOS.ESTA SUA TEORIA PROTESTANTE É TOTALMENTE ABSURDA E SEM NEXO,VAI ESTUDAR PATRISTICA ANTES DE FALAR ESTAS COISAS.LEIA OS RELATOS E CARTAS DOS PRIMEIROS CRISTÃOS.
    PEDRO FOI MARTIRIZADO PELOS ROMANOS ASSIM COMO OS OUTROS APÓSTOLOS TAMBÉM FORAM(MENOS JOÃO).EXEMPLO DE MÁRTIRES :
    Expedito,Filomena,Tarcisio,Inácio de Antioquia,etc…
    VEJA A CARTA DE INACIO DE ANTIOQUIA(QUE SUBSTITUIU PEDRO NO BISPADO DE ANTIOQUIA).
    JÁ FALEI QUE A TRADIÇÃO NÃO É MAIOR QUE A BÍBLIA E NÓS NUNCA AFIRMAMOS ISTO E NEM CONTRADIZEMOS.
    A COMEÇAR DA EUCARISTIA QUE ACREDITAMOS SER A PRESENÇA REAL DE JESUS EM CORPO ,SANGUE ,ALMA E DIVINDADE CONFORME RELATO EM JOÃO 6 .
    COMO VCS ACREDITAM NA BÍBLIA SE ELA FOI ESCRITA E COMPILADA PELOS CATÓLICOS?(QUE COISA DOIDA).SE ESTAMOS NO “PAGANISMO E ERRO” COMO VC PODE DAR CRÉDITO A ALGO COMPILADO POR NÓS,CATÓLICOS QUE VCS RECEBERAM DE MÃO BEIJADA ?
    SERIA O MESMO QUE ACREDITARMOS EM ESCRITOS ESPÍRITAS.
    VAI ESTUDAR MAIS ANTES DE FALAR COISAS SEM NEXO.

    https://beinbetter.wordpress.com/2009/08/10/aviso-de-publicacao-cartas-inacianas/

  56. Querida Angélica,

    Tomo tempo e cuidado para apresentar alguns aspectos sobre os textos que você tão zelosamente postou. Espero que isso possa trazer mais luz ao assunto. Segue:

    “Nós vos ordenamos, irmãos, em nome do Senhor Jesus Cristo, que vos afasteis de todo irmãos que leve vida desordenada e contrária à tradição que de nós receberam” (2Ts 3,6);

    “Assim, pois, irmãos, ficai firmes e conservai as tradições que de nós aprendestes, seja por palavras, seja por carta nossa.”(II Thess II, 15).

    Estas passagens se referem às tradições que os tessalônicos receberam do próprio Paulo, oralmente ou por escrito. Não estão relacionadas com as tradições passadas, mas sim a ensinamentos que eles mesmos receberam tanto da boca de Paulo como de sua pena. Paulo não está dando sua bênção em todas as tradições, quaisquer que fossem, mas apenas às tradições que ele tinha passado aos tessalônicos. Isto está em contraste com as tradições da Igreja Católica Romana, que têm sido passadas desde o IV século em diante, não da boca ou pena de qualquer um dos apóstolos.

    “Eu vos louvo por vos recordardes de mim em todas as ocasiões e por conservardes as tradições tais como vô-las transmiti” (1Cor 11,2);

    Igualmente, tais tradições se concernem àquelas passadas por Paulo, seja oralmente ou por escrita. E estas certamente estavam em acordo pleno com as Escrituras. Elas também, de forma geral, se referenciavam a atitudades e tradições concernentes à época em que viviam. Neste específico caso, se formos ao contexto deste versículo, veremos que ele está falando sobre as mulheres usarem véu nos cultos. Você utiliza véu nos cultos, Angélica? Bom, acredito que não, pois esta tradição é referente àquele tempo, e não aos nossos.

    “O que de mim OUVISTE na presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para ensiná-lo a outros!” (2Tm 2,2);

    Esses ensinamentos são tão somente os mesmos registrados nas cartas de Paulo, sobre salvação pela graça e não pelas obras, sobre salvação estendida aos gentios, justificação pela fé etc. Logo, Paulo estava exortando que os homens que fossem ensinar tais preceitos, que fossem homens fiéis e idôneos. Nada tem a ver com tradição.

    “Sei em quem acreditei… Toma por norma as sãs PALAVRAS que ouviste de mim, na fé e no amor do Cristo Jesus. Guarda o bom depósito (’paratheken’) com o auxílio do Espírito Santo que habita em nós” (2Tm 1,12-14).

    Igualmente, este texto nada tem a ver com tradição, mas sim com os ensinamentos de Paulo, explícitos nas diversas cartas por ele escritas. Basta ir ao contexto deste texto e isso ficará ainda mais claro.

    “Por isso é que também nós não cessamos de dar graças a Deus, porque RECEBESTES A PALAVRA DE DEUS, QUE DE NÓS OUVISTES, e a acolhestes, não como palavra de homens, mas como aquilo que realmente é, COMO PALAVRA DE DEUS, que age eficazmente em vós, os fiéis. “ (I Tessalonicenses 2,13)

    Não entendo porque este e os textos anteriores foram utilizados para argumentar em favor da tradição em detrimento do uso da Palavra de Deus. Em todos esses casos ora apresentados está evidente que o que se está falando é da pregação e ensinamento da Palavra de Deus, e não da propagação de tradições como sendo mais ou igualmente importantes à Sagrada Escritura.

    “De tudo o que acima foi mencionado na Bíblia podemos deduzir o que segue:- Não podemos ter contato com aqueles que vivem em desacordo com as tradições recebidas dos apóstolos;- É digno de louvor quem conserva as tradições apostólicas da forma que foram transmitidas pelos apóstolos;- Tudo o que os apóstolos ensinaram verbalmente deve ser transmitido por homens idôneos;”

    Sim, certamente! Agora, o que foi que os apóstolos transmitiram mesmo? Palavras, ensinamentos e doutrinas que estavam em acordo ou desacordo com a Palavra de Deus? Resposta: As que estavam em *acordo* com a Sagrada Escritura. É nas Escrituras que Jesus e os apóstolos vêm sempre buscar apoio ou defesa de suas ações e ensinamentos (Mt 12:3,5; 19:4; 22:31; Mc 12:10). Há dezenas de versos nos quais se acha “está escrito…” usado por Jesus e os apóstolos para apoiar seus ensinamentos. Nunca se apoiando em tradições, que eles também conheciam do Talmud judaico (a lista de tradições judaícas), mas não seguiam; pelo contrário, Jesus ensinou a armadilha das tradições, em Mt. 15:1-9, conforme pude comentar no post anterior.

    Angélica, somente mais um detalhe:
    Às vezes, seu tom de conversa parece meio ofensivo. Se você realmente se considera uma cristã e serva do Deus Altíssimo, favor reconsiderar o modo como escreve, pois acredito que poderemos manter um bom nível de debate. De outro modo, acredito que a conversa não será sadia – não pelo meu lado, não me ofendo com isso, mas pela boa saúde do debate é que lhe peço humildemente isso.

    Angélica, que Deus também lhe abençoe ricamente e que a luz da verdade possa mais e mais adentrar em seu coração.

    No mais, reitero minha satisfação em poder participar do blog.
    Saudações a todos!

    Um abraço fraternal.

  57. Todo protestante que se preze lê a Bíblia. Em particular, muitos gostam do Novo Testamento e em especial o Evangelho de São João é querido por inúmeras pessoas. Eu também amo a forma como São João expõe o Evangelho do Mestre.

    Mas há alguns detalhes que as pessoas passam por alto. Um deles, senão o principal, está diante dos olhos de todos e muitos nem percebem. Falo do texto de João 6. Alguém mais desavisado dirá: “mas o que tem João 6 de especial?”. É aí que está. Estamos diante de um texto deveras especial. Vamos a ele.

    “Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Do céu deu-lhes pão a comer. Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés que vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes Jesus: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede. Mas como já vos disse, vós me tendes visto, e contudo não credes.” (João 6:31-36)

    Aqui Jesus declara ser o pão da vida, o pão que desceu do Céu e que dá vida ao mundo. Ele falava literalmente e assim foi compreendido, como veremos depois. Tanto é verdade, que em seguida os judeus conjecturavam:

    “Murmuravam, pois, dele os judeus, porque dissera: Eu sou o pão que desceu do céu; e perguntavam: Não é Jesus, o filho de José, cujo pai e mãe nós conhecemos? Como, pois, diz agora: Desci do céu?“ (João 6:41-42)

    Fica claro aí, portanto, que os judeus estavam compreendendo Jesus tal como ele falava. Aí, Jesus chega então ao cerne do texto em questão, dizendo:

    “Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode este dar-nos a sua carne a comer? Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é como o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre.” (João 6:50-58)

    Sei que muitos dirão que ali Jesus falava figuradamente e etc. Mas tudo isso poderia ser factível e até muito interessante, não fosse a reação dos discípulos:

    “Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Mas, sabendo Jesus em si mesmo que murmuravam disto os seus discípulos, disse-lhes: Isto vos escandaliza?“ (João 6:60-61)

    Realmente, eles tinham razão: era um discurso duro, forte demais até. Mas Jesus os interpela perguntando se isso (que Sua Carne é verdadeira comida e o Seu Sangue é verdadeira bebida) os escandalizava. E no versículo 64 Ele ainda fala que alguns ali (entre os discípulos) não criam. E aí acontece o inevitável diante dessa cena:

    “Por causa disso muitos dos seus discípulos voltaram para trás e não andaram mais com ele. Perguntou então Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” (João 6:66-68)

    Aí é onde vemos os verdadeiros discípulos. Muitos, por terem entendido, sim, corretamente as palavras de Cristo, se retiraram, pois não podiam suportar tal coisa (v. 60). Eles não se retiraram por terem achado chato ou coisa parecida, não! Se retiraram por terem entendido, e não aceitado a palavra de Cristo, mostrando que devemos comer da Sua Carne e do Seu Sangue. Pois o verbo ali no texto original, não quer dizer somente comer, mas triturar. Devemos, sim, comer do Corpo e do Sangue de Cristo. E daí que muitos pensaram que Cristo falava de canibalismo. Não era canibalismo, mas também eles não haviam entendido errado ao pensar em comer de forma real Seu Corpo e Seu Sangue.

    E aí, Ele se vira para os apóstolos e demais discípulos e questiona-os se eles também o deixarão. Veja, que se tivesse sido um mal-entendido, Jesus podia muito bem ter falado: “Olha pessoal, não é bem assim, eu queria dizer isso e isso, não tem nada a ver com o que vocês entenderam”. Mas não! Ele não fez isso! Ele deixou-os ir. Queria qualidade de discípulos, não número. E olha que não era tanta gente ainda, hein.

    Lembre-se de que todas as vezes em que alguém entendia mal algo que Ele falava e aquilo tinha que ficar claro, Ele tornava a explicar. Caso de Nicodemus, que tomou a Jesus ao pé da letra (“nascer de novo” como sendo o nascimento natural) e foi corrigido, para que ficasse claro o que Jesus falava a ele; outra vez, quando Jesus falava do fermento dos fariseus (Mt 16.6-12) e os apóstolos entenderam que era do fermento natural, de pães que Ele falava, Ele corrigiu-os e mostrou que o “fermento” aí era a doutrina errada deles e não o fermento literal como todos conhecem. Teria mais situações nesse sentido nos Evangelhos para comprovar o que falo. Ele deixou-os ir sabendo o que eles tinham compreendido e que aquilo que eles entenderam (de tomar literalmente Sua Carne e Seu Sangue) não era uma distorção do ensino que Ele tinha dado a eles.

    Ou seja, quando Cristo precisava esclarecer seus ensinos, Ele o fazia e jamais deixava Seus filhos no engano. Não seria em uma hora tão vital que Ele deixaria as pessoas crerem algo contrário do que Ele disse.

    Sabemos ainda que esse texto que consideramos agora tem dois elos essenciais na Escritura: Lucas 22:19-20: “E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o MEU CORPO, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em MEU SANGUE, que é derramado por vós“ e 1 Coríntios 11: 23-25, onde São Paulo praticamente repete Nosso Senhor. Notem que em momento algum Cristo ou São Paulo fala que isso representa o corpo de Cristo, antes que isso É o corpo e sangue de Cristo.

    Ou seja, ali Ele falava realmente de comermos Sua Carne e tomarmos o Seu Sangue. Mas e a questão é: onde e como se faz isso? Existem provas que Ele falava explicitamente da Eucaristia? Teria sido esse o entendimento dos apóstolos e dos cristãos dos primeiros séculos? E hoje, quem segue esse ensino? Vamos pensar um pouco.

    Os Padres da Igreja e a Eucaristia

    Sto. Inácio de Antioquia, do século II, dizia sobre a Eucaristia, que ela era “a Carne de nosso Salvador Jesus Cristo, a qual padeceu por nossos pecados e a qual o Pai ressuscitou por sua benignidade “.

    São Cirilo de Jerusalém, ao comentar esses textos, especialmente o de Lucas, afirma: “Havendo Cristo declarado e dito, referindo-se ao pão: Isto é o meu corpo, quem ousará jamais duvidar? Havendo Cristo declarado e dito: Este é o meu sangue, quem ousará jamais dizer que não é esse seu sangue? ” (Cirilo de Jerusalém, Catech. mystag., LXXXVI, 2401)

    São Cirilo de Alexandria, comentando texto análogo ao de Lucas que está em Mateus, fala: “(…) Porque o Senhor disse mostrando os elementos: Isto é meu corpo, e Este é o meu sangue, para que não imagineis que o que ali aparece é uma figura, senão para que saibas com toda segurança que, pelo inefável poder de Deus onipotente, as oblações são transformadas real e verdadeiramente no corpo e sangue de Cristo ; e que ao comungar delas recebemos a virtude vivificante e santificadora de Cristo.” (Cirilo de Alexandria, Comment. In Math. XXVI, 27)

    Com isso ele desmonta toda e qualquer tese de ser uma simples demonstração do corpo de Cristo, antes, ele assevera que as oblações se tornam categoricamente e insofismavelmente no corpo e no sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.

    Veja o que um mártir, do primeiro século da Igreja, disse a respeito:

    “Não me agradam comida passageira, nem prazeres desta vida. Quero pão de Deus que é a carne de Jesus Cristo” (Sto. Inácio Mártir, Bispo de Antioquia, escrevendo aos Romanos, parágrafo 7, cerca de 80-110 d.C.).

    Não precisaríamos ir longe para comprovar que isso era o que criam os primeiros cristãos e toda a Igreja desde sempre, desde o seu início. A pergunta que não quer calar é: como os protestantes, que amam a Escritura, fazem dela seu único baluarte (embora a mesma Escritura assevere que o baluarte da Verdade é a Igreja e não a Escritura – cf. 1 Timóteo 3.15) não vêem isso? Por que motivo eles fariam vistas grossas ao que colocamos aqui, da crença dos primeiros cristãos?
    Veja S. Justino falando sobre a Eucaristia:

    “Está comida nós a chamamos Eucaristia… nós não recebemos essas espécies como pão comum ou como bebida comum; mas como Cristo Jesus nosso Salvador, assim também ensinamos que o alimento consagrado pela Palavra da oração que vem dele, de que a carne e o sangue são, transformação, Carne e Sangue daquele Jesus Encarnado” (São Justino Presbítero, I Apologia, cap. 66 cerca de 148-155 d.C.).

    Aqui ele faz o elo claro, a transubstanciação. Ele também é por demais claro ao falar que o alimento consagrado É corpo e sangue de Cristo e não um pão qualquer.

    Veja isso, datado do século II também:

    “Assegurem, portanto, que se observe uma Eucaristia comum; pois há um Corpo de Nosso Senhor, e apenas um cálice de união com seu Sangue e apenas um altar de sacrifício”. (Stº Inácio de Antioquia – Carta aos Filadelfos – ano 110 d.C.)

    Outro Pai da Igreja do século II, falando clara e inequivocamente da Eucaristia como sendo de fato, e não só simbolicamente, o Corpo e Sangue de Cristo. E ele adiciona outro elemento aí: sacrifício! Ele fala em um altar de sacrifício. Os primeiros cristãos tinham isso muito claro: só havia uma Eucaristia, ela se constituía do Corpo e do Sangue de Cristo, que eram pão e vinho consagrados e transformados no Corpo e Sangue de Cristo por meio de um sacrifício!

    Não se pode falar então de Nosso Senhor e dos primeiros cristãos como hereges, idólatras ou qualquer coisa semelhante. Eles o faziam assim, e tinham plena consciência disso ser o ensino de Cristo.

    Mas, se um protestante estiver lendo esse texto, sei que falará: “olhe, João 6 não dá base para falar de sacrifício e da missa como vocês católicos crêem, quero ver se você me prova sua tese na Escritura”. Ok… Vamos então a ela, a começar do AT.

    O Antigo Testamento e a Eucaristia

    Sempre chamamos a Cristo de o “Cordeiro de Deus”, não? Como S. João Batista: “eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”. Bem, no AT, o cordeiro era muito comum, já que ele remetia ao sacrifício, que é a forma de adoração mais antiga que se conhece. Temos muitos exemplos de sacrifícios no AT: Abel (Gn 4.3-4), Abraão(Gn 15.8-10), Noé(Gn 8.20-21), Moisés, Josué, Jacó (Gn 46.1), Melquisedec (Gn 14.18-20), etc. Só para citar alguns.

    Melquisedec, que é tido por muitos como tipo de Cristo, ofereceu um sacrifício incruento. Ele não abateu algum animal, antes ofereceu pão e vinho! Do mesmo modo que Cristo o fez na instituição da Eucaristia.

    “Ora, Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do Deus Altíssimo; e abençoou a Abrão, dizendo: bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Criador dos céus e da terra! E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos! E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo“ (Gen 14:18-20)

    Os apóstolos e a Eucaristia

    Os apóstolos foram mais claros ao falar da Eucaristia como corpo e sangue de Cristo. Alguns acontecimentos no NT reforçam isso. Logo depois da ressurreição, com os discípulos em Emaús, Cristo partiu o pão com eles e foi reconhecido justamente no partir o pão (Lc 24.30, 31, 35). Em Atos lemos que todos eram fiéis aos ensinos dos apóstolos, ao partir do pão e às orações (At 2.42). Em 1 Coríntios, S. Paulo ressalta a presença Real de Cristo nas espécies ao falar das conseqüências de se tomar sem o devido preparo o Corpo e o Sangue de Cristo, falando que quem o faz sem discernir, come e bebe a própria condenação (1 Co 11.29).

    São Paulo fala do pão e do cálice como sendo Corpo e Sangue de Cristo: Porventura o cálice de bênção que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos, não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? (1Co 10:16) Daí que ele adverte os cristãos a não participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios, pois muitos comiam carnes sacrificadas a ídolos e ele com isso evidencia que a comunhão eucarística é de fato a comunhão do Corpo e Sangue de Cristo e que não podemos profaná-la….

    Os Protestantes e a Eucaristia

    Entre os protestantes, já não há esse consenso. Uns vão defender a consubstanciação (luteranos), dizendo que a presença é só no momento da comunhão, não depois, daí que eles não conservam as espécies, crêem que depois não há mais presença de Cristo. Outros defenderão a presença espiritual (calvinistas), dizendo que há presença de Cristo na Eucaristia sim, mas não real e sim virtual. E outros ainda defenderão que a Eucaristia é só um memorial da paixão de Cristo e nada mais (batistas e a maioria dos protestantes). Ainda não é consenso entre eles a quem deve ser administrada a eucaristia: se somente a membros da própria igreja que o administra (conhecido entre eles “como comunhão fechada”) ou se admitem-se membros de quaisquer confissão protestante na administração da eucaristia (conhecida essa posição como “comunhão aberta”). Normalmente se vê batistas abraçando a primeira, enquanto presbiterianos e demais reformados abraçam a segunda. Pentecostais também se dividem. Entre eles, a Congregação Cristã defende a comunhão fechada e os assembleianos, entre outros, defendem e praticam a comunhão aberta.

    Conclusão

    Pudemos ver que o ensino perene de Nosso Senhor sobre Seu Corpo e Seu Sangue foi levado adiante pelos apóstolos e pelos Pais da Igreja, tendo uma prefiguração clara já no AT. Quando Ele falou de comer e beber da Sua Carne e do Seu Sangue, não falava de modo figurado, mas real.

    Os protestantes, que tanto pregam o amor à Escritura, não crêem no ensino claro de Nosso Senhor sobre isso, pois isso significaria retornar a Roma. Antes, na sua busca de defender posições não ensinadas na Escritura, se dividem em mil e uma interpretações sobre qual a posição mais correta. E isso desde os primórdios da Reforma. Já que desde aquela época nunca houve consenso entre eles a esse respeito.

    É dever da alma consciente decidir. A quem ouvir? À Igreja, que sempre ensinou o que Nosso Senhor e os apóstolos, os Pais da Igreja ensinaram por séculos? Ou a centenas de igrejas protestantes que não tem consenso entre si sobre um ponto fundamental da fé cristã?

    “Jamais me pude persuadir de que Jesus, a Verdade e a Bondade mesmas, tenha permitido que por tantos séculos a sua Esposa, a Igreja, haja prestado adoração a um pedaço de pão em lugar de adorar a Jesus mesmo” (Erasmo de Roterdam).

    http://www.veritatis.com.br/apologetica/protestantismo/796-joao-6-a-eucaristia-e-os-protestantes

  58. DETALHE DO TEXTO:JOÃO 6
    “Pois o verbo ali no texto original(EM GREGO), não quer dizer somente comer, mas triturar. Devemos, sim, comer do Corpo e do Sangue de Cristo. E daí que muitos pensaram que Cristo falava de canibalismo. Não era canibalismo, mas também eles não haviam entendido errado ao pensar em comer de forma real Seu Corpo e Seu Sangue.

    E aí, Ele se vira para os apóstolos e demais discípulos e questiona-os se eles também o deixarão. Veja, que se tivesse sido um mal-entendido, Jesus podia muito bem ter falado: “Olha pessoal, não é bem assim, eu queria dizer isso e isso, não tem nada a ver com o que vocês entenderam”. Mas não! Ele não fez isso! Ele deixou-os ir. Queria qualidade de discípulos, não número. E olha que não era tanta gente ainda, hein.”

  59. ERICK,SÓ VOU DEBATER COM VC SE VC QUIZER PRIMEIRO ESTUDAR COMIGO ESTE CAPÍTULO DE JOÃO VESÍCULO POR VERSÍCULO.

  60. Angelica,

    Este é o meu último post em resposta a você, enquanto sua postura diante do debate for nesse tom irônico, quase ofensivo e pouco reflexivo.

    Eu não sei porque você diz que a igreja católica apostólica romana foi perseguida pela própria Roma!!! Não existia igreja católica antes do século IV. Sem nexo e absurdo é o que você está dizendo, literalmente. Acesse os livros de história, wikipedias e não sei mais o que e você constatará isso. A não ser que queira continuar nesse engano… Até aqui participei com textos e referências que respaldam minhas palavras, permitindo um debate sem mascaras ou desprovido de documentação.

    E é no mínimo arrogância da sua parte dizer que a bíblia foi escrita pelos católicos. Por favor, Angélica, isso foi demais.

    Recomendo a você o que você me recomendou: estude mais, mas muito mais as Escrituras e a História e verá o quão equivocada você está.

    Sobre a tradição católica, você pode até afirmar isso, mas diante de muitos amigos meus, católicos, todos me dizem que a tradição católica tem a mesma autoridade das Escrituras. E que a própria igreja tem o poder de mudar as Escrituras – o que de fato fez, vai negar isso também???

    Angélica, baixe as armas e poderemos continuar o debate. De outra feita, esse é o meu último post em resposta a você.

    “O Senhor te abençoe e te guarde. O Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; O Senhor sobre ti levante o seu rosto, e te dê a paz.”. Nm. 6:24-26.

    Saudações em Cristo Jesus.

  61. Angélica,

    Bom, você mandou um monte de texto enquanto eu escrevia o meu… Permita-me le-los com calma.
    Agora estou indo à igreja, e tão logo for possível terei o prazer de juntos estudarmos a Bíblia.

    Fica com Jesus

  62. Erick,me desculpe se fui grosseira com vc ,mas é que vcs protestantes acham que nós católicos somos ignorantes e não lemos a Bíblia e que não conhecemos a história da Igreja ,Patrística,etc .Não tenho tempo para ficar debatendo coisas que já foram bem ditas e discutidas (magistralmente,se diga) no blog pelo Everth e pelo Carlos.
    A TRADIÇÃO CATÓLICA TEM A MESMA AUTORIDADE QUE AS ESCRITURAS ,MAS NÃO É MAIOR QUE AS ESCRITURAS,NEM MENOR.CAMINHAM JUNTAS,ESCRITURA E TRADIÇÃO.
    POR HORA FIQUEMOS COM SÃO JOÃO CAPÍTULO 6 .
    FICA COM DEUS.

  63. Erick,
    Você diz:

    “Eu não sei porque você diz que a igreja católica apostólica romana foi perseguida pela própria Roma!!! Não existia igreja católica antes do século IV”

    Claro que existia. A Igreja Católica existe desde Pentecostes. Talvez você negue isso porque não encontra a palavra “católica” na Bíblia. Isso não significa nada. Antes se dizia só “Igreja”, depois passou a se dizer “Igreja Católica”, e depois, quando a sua sede se estabeleceu em Roma, passou-se a dizer “Igreja Católica Apostólica Romana”. Mas a realidade é sempre a mesma (a bem da verdade, a expressão “Igreja Católica” já era usada por Santo Inácio de Antioquia, que morreu no ano 106 ou 107 – bem antes, portanto, do século IV).

    Na Igreja de Cristo não pode haver solução de continuidade. Uma vez existindo, existirá para sempre, e não poderá ficar um dia sem existir.

    Cristo prometeu fundar uma Igreja e disse que estaria com essa Igreja todos os dias, até o fim do mundo. A igreja cristã mais antiga que existe é a Católica. Então, se ela surgiu só no Século IV, e a que existiu antes dela acabou e só voltou no século XIX (supondo que seja a Adventista), Cristo mentiu e não cumpriu a promessa, pois não ficou com sua Igreja (supostamente a adventista) todos os dias. Deixou que ela desaparecesse por quinze séculos!

    Depois, você renega a Igreja Católica com o argumento de que ela não é a verdadeira igreja de Cristo porque só apareceu no século IV. Mas, então, o que dizer da Adventista, que só surgiu no século XIX? Se o problema é a antiguidade da igreja, ganhamos por quinze séculos. É muita coisa.

    Você diz também para a Angélica:

    “E é no mínimo arrogância da sua parte dizer que a bíblia foi escrita pelos católicos. Por favor, Angélica, isso foi demais.”

    Não é arrogância nenhuma. O Novo Testamento foi todo escrito por católicos, porque não havia adventistas nem protestantes quando esses livros foram escritos.

    Ora, se eles não eram nem adventistas, nem protestantes, nem católicos (segundo você), de que igreja eram eles?
    Não vá dizer que eram da igreja adventista, por favor! Isso seria muita arrogância da sua parte…

    Erick, você chegou educadamente querendo debater e nós aceitamos. Você começou falando em Cânon da Bíblia Sagrada e eu e o Everth prosseguimos neste assunto, colocando o argumento de que esse cânon foi estabelecido pela Igreja Católica no século IV.

    Aí você já fugiu do assunto, dizendo que a Igreja Católica foi fundada no século IV pelo Imperador Constantino! Assim não dá para debater com adventistas! São todos iguais.

    Primeiro você teria que refutar o nosso argumento de que é contraditório aceitar o cânon estabelecido pela Igreja Católica no século IV e ao mesmo tempo dizer que a Igreja Católica é falsa.

    Aliás, mesmo que a Igreja Católica tivesse surgido no século IV (o que é um absurdo), ainda assim vocês seriam contraditórios, pois foi justamente no século IV que ela estabeleceu dogmaticamente os livros do NT. E então? Como é que você aceita seguir uma Bíblia cujos livros que a compõem foram selecionados por uma falsa igreja surgida no século IV??? E mais, essa decisão foi tomada com base na Tradição, porque nenhum livro da Bíblia traz a relação dos livros inspirados da Bíblia. E agora, Erick, como é que fica?

    Responda isso antes de desviar o assunto, por favor!

    Se começar com a velha tática do Francisco Pontes e do Marcelo Dam, eu páro por aqui e ainda aconselho o Everth a bloquer seus comentários, porque seria recomeçar uma discussão infindável. Deve haver centenas de páginas deste blog refutando as loucuras adventistas. Releia os posts e tente contraditar nossos argumentos, mas de forma honesta. Quando souber responder, responda. Mas quando não souber o que responder, reconheça que ficou sem argumento em vez de simplesmente mudar de assunto.

    Um abraço.
    Carlos.

  64. Olá Carlos,

    Há um equívoco da sua parte, pois eu não mudei de assunto. Meu post que continua nossa conversa está lá em cima, direcionado a você e ao Everth. Os demais que se seguiram foram em função do contato com a Angélica, que propos *outro* debate, no fim das contas, sobre João 6. E eu aceitei. Contudo, quero faze-lo com tempo e com carinho, e durante a semana fico bem ocupado com trabalho e mestrado. Logo, favor se ater ao comentário que postei em resposta ao de vocês, pois lá o assunto continua.

    Quanto à igreja catolica ter sido fundada ou não no sec. IV, já postei várias evidências históricas disso. Contudo, em nenhum momento disse que a igreja de Cristo surgiu no século 1, foi “detonada” no sec. IV e depois só voltou com a Igreja Adventista do Sétimo Dia no sec. XIX. Favor não acrescentar palavras naquilo que eu disse. Isso é muito feio, pra não dizer outras coisas. Disse sim, que a Igreja de Cristo foi fundada por Jesus e continuada com os apóstolos, que nada tinham de católicos: guardavam o sábado, não adoravam nem veneravam imagens de esculturas e nem mortos, e muito menos utilizavam qualquer tradição para explicar seus ensinamentos. Como eu escrevi à Angélica, utilizavam sim o “Assim diz o Senhor”, a Bíblia, as Sagradas Escrituras – que, naquele momento, para eles, era a Tanach judaica. E que depois disso foram perseguidos por Roma durante séculos, até que esta mudou de atitude, de tática, e promoveu a paganização do cristianismo, através da introdução de elementos pagãos na sã doutrina até então professada pelos cristãos. Ora, apesar disso, Cristo manteve uma porção de fiéis seguidores ao longo da história, principalmente ao longo da Idade das Trevas, chamados de remanescente fiel, que não se corromperam com a doutrina maculada e permaneceram firmes na verdade. Sobre isso podemos conversar em outro momento, se for o caso, pois daria uma bela discussão.

    E sobre a decisão de quais livros seriam ou não acrescentados ao Cânon Sagrado, eu já respondi isso anteriormente, logo favor se referenciar a eles.

    “Responda isso antes de desviar o assunto, por favor!”
    Recomendo o mesmo. Responda às questões e objeções que coloquei acima, necessariamente mas não somente no post direcionado a vocês, e continuaremos numa linha de debate coerente e sadia.

    “Deve haver centenas de páginas deste blog refutando as loucuras adventistas.”

    Desculpe, Carlos, mas em algum momento me referenciei à sua fé como louca ou sei lá o que, em tom jocoso ou desrespeitoso? Tenho certeza de que não. Por que você se dirige a mim assim? Tenho tratado a todos com respeito e atenção. Contudo, se este tipo de comentário impertinente e desprovido de espírito cristão persistir, não precisa ameaçar bloquear meus comentários, *eu* terei o real prazer de interromper minha participação em seu blog, com a pior das imagens que alguém poderia levar dos senhores.

    Grato
    Erick

  65. Erick,
    Você fugiu do assunto e continua fugindo.
    A objeção que eu e o Everth colocamos é muito simples:
    se a Igreja Católica não é a Igreja de Cristo, como você diz, como é que você aceita seguir um cânon determinado por uma igreja falsa?
    Como eu disse na outra mensagem, se não sabe responder isso, reconheça que não sabe, e então – só então – peça para mudar de assunto.
    Tudo o mais que você falou é facilmente refutável (principalmente essa lenda de que existiu ao longo da história um grupinho que se manteve fiel a uma outra igreja fundada por Cristo). Desafiaria você a citar o nome de pessoas ou grupos que tenham defendido, por exemplo, os princípios adventistas antes do Século XIX, e aí você veria que isso é impossível (que houve inúmeros hereges em toda a história é um fato, mas cada um defendia uma loucura diferente).
    Mas não vou cair nessa tática de metralhadora giratória. Só volto a discutir se você responder a objeção colocada acima.
    Um abraço.
    Carlos.

  66. Erick,

    Relendo sua mensagem a mim e ao Everth, reconheço que cometi um erro, pois você realmente tentou refutar o nosso argumento, dizendo o seguinte:

    “Realmente, eu aceito a Bíblia nos seus 66 livros julgados como sendo o Cânon Sagrado conforme foi julgado no Concílio de Nicéia, mas afirmar que eu deveria aceitar portanto a autoridade da igreja católica apóstolica romana, é uma falácia, um argumento falho sem base lógica.”

    Só que a sua resposta só piora a sua situação.

    Primeiro, porque o cânon estabelecido pela Igreja Católica tem 73 livros, e não 66.

    Segundo – e mais importante – o cânon da Bíblia não foi estabelecido no Concílio de Nicéia, em 325, mas sim NO CONCÍLIO DE HIPONA, em 393. Portanto, bem depois da morte de Constantino.

    O Concílio de Nicéia tratou principalmente de condenar a heresia ariana. Também tratou de outras questões, como celebração da Páscoa e batismo de hereges, mas nada falou sobre cânon da Bíblia.

    Repito: quem primeiro definiou o cânon, incluindo os 27 livros do Novo Testamento, foi o Concílio de Hipona, em 393.

    Quem se mete a discutir História do Cristianismo deveria conhecer questões básicas como essa.

    E agora, Erick? Em 393, Constantino já havia morrido há muito tempo. A Igreja Católica já era a religião oficial do Império e, portanto, já estava completamente corrompida e paganizada (segundo vocês). E, não obstante, definiu, com base na Tradição, o Novo Testamente que vocês seguem até hoje.

    Seja coerente: rejeite o Novo Testamento definido pela autoridade de uma Igreja corrompida e paganizada ou reconheça que está errado e fique católico.

    O que não dá é ficar protestante, com base na Bíblia, seguindo uma Bíblia recebida da Igreja Católica. Se você aceita a autoridade da Igreja Católica nesse ponto fundamental, tem que aceitar nos outros também.

    Se não, você é herege, pois herege é justamente aquele que escolhe, com base na preferência pessoal, o que crer e o que rejeitar da Bíblia. Todo herege faz de si mesmo um Papa ou um Deus, trocando a autoridade externa pelo subjetivismo. Daí a existência de mais de 30 mil seitas protestantes atualmente. E a cada dia cresce mais esse número.

    Um abraço.

    Carlos.

  67. Carlos,

    Que bom que você releu e reconheceu seu equívoco.

    Agora, vamos a este ponto:

    Só que a sua resposta só piora a sua situação.

    “Primeiro, porque o cânon estabelecido pela Igreja Católica tem 73 livros, e não 66.”

    Reforço que historicamente estes livros só foram julgados como inspirados e parte das Sagradas Escrituras pela Igreja Católica em 1546 (isto eu falo em resposta à Angélica, favor recorrer a esse post), num ato da Contra-Reforma Protestante. Antes disso, eles eram sim introduzidos mas não considerados como palavra inspirada.

    “Segundo – e mais importante – o cânon da Bíblia não foi estabelecido no Concílio de Nicéia, em 325, mas sim NO CONCÍLIO DE HIPONA, em 393. Portanto, bem depois da morte de Constantino.”

    Na verdade, caro Carlos, foi ao longo do século IV que o cânon foi estabelecido. Em Nicéia, como você colocou logo abaixo do texto supracitado, foram julgados vários aspectos, mas o assunto do cânon sagrado começou a ser resolvido, e dali já sairam as definições que foram então corroboradas nos concílios de Roma(382 dC), Hipona (393 dC) e Cartago (397 dC).

    “E agora, Erick? Em 393, Constantino já havia morrido há muito tempo. A Igreja Católica já era a religião oficial do Império e, portanto, já estava completamente corrompida e paganizada (segundo vocês). E, não obstante, definiu, com base na Tradição, o Novo Testamente que vocês seguem até hoje.”

    Não precisa ir a 393 dC para dizer isso! Em 325 dC já estava paganizada a igreja cristã. Exemplo? Indulgência que deveria ser dada aos moribundos. Quer princípio mais pagão e antibíblico que esse? (olha que existe…) Contudo, o que prevaleceu na decisão de que livro deveria ser considerado como parte do cânon sagrado, era justamente o que os cristãos, outrora perseguidos até a morte, utilizavam em seus cultos. Curioso é que você sistematicamente ignora isso que escrevi anteriormente, e vai ignorar infelizmente mais uma vez. Assim como ignorou outras várias afirmações respaldadas acima escritas.

    Agora, vamos lá. Digamos que, conforme se insiste em dizer, a igreja católica foi quem escreveu, definiu e corroborou o cânon sagrado, e portanto pertence a ela – o que é uma bravata, mas *digamos*. Por que a igreja católica procede em desacordo com o que a bíblia diz em diversos pontos? Eu citei, naquele mesmo post em resposta a vocês, um disparate medonho e histórico sobre o que a bíblia ensina, o que os cristãos primitivos praticavam, e o que foi instituído pela igreja romana – a observância do domingo em detrimento do sábado bíblico. E, assim como outras várias questões semelhantes a esta, existem uma porção de práticas totalmente em desacordo com esses mesmos livros que você julga serem de exclusividade católica.

    Sobre ser herege, ou não: vocês insistem em rotular as pessoas. Eu poderia chamá-lo de um monte de apelidos “carinhosos” que as pessoas em geral aplicam aos católicos. Mas isso não é do meu feitio, nem mesmo Cristo aprovaria. Bom, se na sua concepção sou um herege, e isso te faz bem em me chamar de tal, para você eu sou sim um h-e-r-e-g-e com todas as letras. Agora, só falta você me mandar pra fogueira assim como foi feito com inúmeros heróis da fé da Idade das Trevas, como John Huss e Gerônimo. Que medo.

    Esse debate será sem fim, se antes não concordarmos em utilizar somente a bíblia para confrontar nossas opiniões. E, sinceramente, diante de tudo o que você já disse, não vejo nenhum problema, pois para você a Bíblia é um documento católico apostólico romano, logo se utilizarmos esse *documento* você não terá problemas em embasar seus pontos de vista, certo???????????????????????????

    Angélica, desculpe, mas voltarei ao seu assunto, ok? Sem sombra de dúvidas!

    Um abraço a todos.

    PS> insisto em dizer que em nenhum momento fui rude, fugi ao assunto ou destratei sequer um de vocês. Mas vocês têm insistido em solapar a minha palavra e me destratando em certos momentos, escolhendo um ou outro texto para refutar, sem contudo ir ao âmago de cada post e discuti-lo idoneamente e em sua completude, como tenho feito. Lá no começo um de vocês disse assim: “Nós só agredimos em legítima defesa (SIC)”. Legítima defesa? Imagina se eu estivesse agredindo então…

  68. Erick,
    Você fala, fala e não responde a objeção.

    Seja honesto. E a cada mensagem você só se complica, pois agora você já diz que em 325 a Igreja Católica já estava completamente paganizada e corrompida. Pois então, vou perguntar pela enésima vez: como é que você aceita se guiar por uma Bíblia definida por uma igreja paganizada e corrompida?

    É claro que você vai continuar embromando e nunca vai responder isso, porque é irrespondível. Seria necessario uma dosinha de humildade, que você, pelo jeito, não tem.

    Diz você:
    “Na verdade, caro Carlos, foi ao longo do século IV que o cânon foi estabelecido. Em Nicéia, como você colocou logo abaixo do texto supracitado, foram julgados vários aspectos, mas o assunto do cânon sagrado começou a ser resolvido, e dali já sairam as definições que foram então corroboradas nos concílios de Roma(382 dC), Hipona (393 dC) e Cartago (397 dC).”

    Não, meu caro Erick, você está errado. Nicéia não tratou de cânon das sagradas escrituras, porque se tivessem decidido qualquer coisa a respeito disso, constaria nas atas do concílio, e não consta nada.

    Continua você:
    “Não precisa ir a 393 dC para dizer isso! Em 325 dC já estava paganizada a igreja cristã. Exemplo? Indulgência que deveria ser dada aos moribundos. Quer princípio mais pagão e antibíblico que esse? (olha que existe…) Contudo, o que prevaleceu na decisão de que livro deveria ser considerado como parte do cânon sagrado, era justamente o que os cristãos, outrora perseguidos até a morte, utilizavam em seus cultos. Curioso é que você sistematicamente ignora isso que escrevi anteriormente, e vai ignorar infelizmente mais uma vez. Assim como ignorou outras várias afirmações respaldadas acima escritas.”

    Não tem nada de pagão nem de antibíblico aí, primeiro porque você não em autoridade para interpretar a Bíblia. Segundo, porque você nem sabe o que significa indulgência.

    Então você reconhece que o que prevaleceu em Hipona foi o cânon que representava os livros que “os cristãos utilizavam em seus cultos”. Então seja coerente. Hipona incluiu os sete livros Deuterocanônicos em sua relação. Com que autoridade vêm os protestantes excluir livros que “os cristãos, outrora perseguidos até a morte, utilizavam em seus cultos”? Hum?

    (Curioso que você nos chama de pagãos e nós não podemos chamá-lo de herege).

    Você de novo:
    “Agora, vamos lá. Digamos que, conforme se insiste em dizer, a igreja católica foi quem escreveu, definiu e corroborou o cânon sagrado, e portanto pertence a ela – o que é uma bravata, mas *digamos*.”

    Por que “Digamos? E por que “bravata”? Isso é História, meu filho. Se você não aceita nem a História, como vai aceitar a Bíblia?

    Prossegue Erick:
    “Por que a igreja católica procede em desacordo com o que a bíblia diz em diversos pontos?”

    Isso é o que você diz, segundo a sua interpretação pessoal da Bíblia. Mas a própria Bíblia proíbe a interpretação pessoal, o que põe você e todos os hereges, mais uma vez, em manifesta contradição com a Bíblia.

    Erick again:
    “Eu citei, naquele mesmo post em resposta a vocês, um disparate medonho e histórico sobre o que a bíblia ensina, o que os cristãos primitivos praticavam, e o que foi instituído pela igreja romana – a observância do domingo em detrimento do sábado bíblico.”

    Pois saiba que o seu “sábado bíblico” foi pras cucuias já no Primeiro Concílio de Jerusalém, quando os apóstolos se reuniram para decidirem o que ainda devia se aproveitar da Lei Mosaica. Pois eles decidiram que continuava proibido comer carnes oferecidas aos ídolos, a impureza, as carnes sufocadas e o sangue. Nem uma palavra sobre o famoso “sábado bíblico”. É que eles eram cristãos e não judeus.

    Erick diz:
    “Sobre ser herege, ou não: vocês insistem em rotular as pessoas. Eu poderia chamá-lo de um monte de apelidos ‘carinhosos’ que as pessoas em geral aplicam aos católicos. Mas isso não é do meu feitio, nem mesmo Cristo aprovaria.”

    Você pode me chamar do que quiser, mas continuará sendo herege, pelo menos enquanto não abandonar a heresia criptojudaica adventista e se tornar católico apostólico romano.

    E tenho certeza que Cristo aprova que eu o chame de herege, porque Cristo manda dizer sim, sim; não, não. Isto quer dizer que Ele manda chamar as coisas e as pessoas pelo que elas são. Por isso ele chamava os fariseus de hipócritas e de outros apelidos “carinhosos”.

    Erick insiste:
    “Bom, se na sua concepção sou um herege, e isso te faz bem em me chamar de tal, para você eu sou sim um h-e-r-e-g-e com todas as letras. Agora, só falta você me mandar pra fogueira assim como foi feito com inúmeros heróis da fé da Idade das Trevas, como John Huss e Gerônimo. Que medo.”

    Nem se estivéssemos na Idade Média – a verdadeira Idade da Luz – eu teria autoridade para mandá-lo à fogueira, porque quem fazia isso era o Estado, depois de um processo com instrução e julgamento.

    E por acaso esses pilantras que você citou (John Huss e Gerônimo) guardavam o sábado bíblico?

    Erick finaliza:
    “Esse debate será sem fim, se antes não concordarmos em utilizar somente a bíblia para confrontar nossas opiniões. E, sinceramente, diante de tudo o que você já disse, não vejo nenhum problema, pois para você a Bíblia é um documento católico apostólico romano, logo se utilizarmos esse *documento* você não terá problemas em embasar seus pontos de vista, certo???????????????????????????”

    Certo, com a ressalva de que as fontes mediatas da fé, para nós católicos, são a Bíblia e a Tradição. E a fonte imediata é o Magistério da Igreja. Se quiser discutir, discutamos, mas se você pensa que eu vou trocar a Bíblia, a Tradição e o Magistério bimilenar da Igreja pelo palpite do Erick, fique “Sperandio”… Sentado.

    PS do Erick:
    “insisto em dizer que em nenhum momento fui rude, fugi ao assunto ou destratei sequer um de vocês. Mas vocês têm insistido em solapar a minha palavra e me destratando em certos momentos, escolhendo um ou outro texto para refutar, sem contudo ir ao âmago de cada post e discuti-lo idoneamente e em sua completude, como tenho feito. Lá no começo um de vocês disse assim: “Nós só agredimos em legítima defesa (SIC)”. Legítima defesa? Imagina se eu estivesse agredindo então…”

    Meu caro, deixe de vitimização e seja homem. Ninguém aqui te agrediu ou insultou… ainda. Se você nos agredisse pessoalmente nem ligaríamos tanto. Mas quando você fala que a Igreja Católica é pagã, isso para nós é muito ofensivo.

    E isso nos dá o direito de legítima defesa, sim senhor.

    E nos dá o direito de atacar a espelunca adventista pelo que ela realmente é: uma seitinha judaica fundada por uns loucos alienados dos EUA que queriam calcular a volta visível de Cristo à Terra. E que fizeram continhas ridículas e enganaram milhares de trouxas. Depois refizeram as continhas e marcaram nova data, iludindo, mais uma vez, milhares de trouxas. Depois, refizeram e iludiram outros trouxas (não é à toa que Bíblia diz que o número dos trouxas é infinito). Depois, cansados de tantos erros aritméticos e teológicos, ficaram um pouquinho mais humildes e agora dizem apenas que Cristo está chegando EM BREVE!!! (ai que meda).

    Um abraço.

    Carlos.

  69. Carlos,
    “Você fala, fala e não responde a objeção.”

    Isso é o que você faz. E insiste em faze-lo.

    “Pois saiba que o seu “sábado bíblico” foi pras cucuias já no Primeiro Concílio de Jerusalém, quando os apóstolos se reuniram para decidirem o que ainda devia se aproveitar da Lei Mosaica. ”

    Rapaz, você é no mínimo imprudente. Coloquei texto documentado sobre o assunto, e você continua no seu engodo. Bom proveito.

    “Meu caro, deixe de vitimização e seja homem. Ninguém aqui te agrediu ou insultou… ainda. Se você nos agredisse pessoalmente nem ligaríamos tanto. Mas quando você fala que a Igreja Católica é pagã, isso para nós é muito ofensivo.”

    Seja você homem e passe a responder o que coloco. Você escolhe o que responder – achando ainda serem seus argumentos suficientes! E nunca me dirigi a você como pagão. Eu sou muito homem, mas você é covarde ao apelar para tradição e magistério católicos para se respaldar. Seria cômico se não fosse trágico! Você está correndo do debate bíblico! Me fala, quem é homem então? Quem chama para o debate bíblico respaldado tão somente pela bíblia ou quem insiste em dirigir palavras irônicas e jocosas para desmerecer os argumentos da outra parte, correndo do debate bíblico? Quem?! Quem mesmo?! Seja homem você!!!

    “Certo, com a ressalva de que as fontes mediatas da fé, para nós católicos, são a Bíblia e a Tradição. E a fonte imediata é o Magistério da Igreja. Se quiser discutir, discutamos, mas se você pensa que eu vou trocar a Bíblia, a Tradição e o Magistério bimilenar da Igreja pelo palpite do Erick, fique “Sperandio”… Sentado.”

    Mais uma vez você mostra quem é realmente homem aqui; e não é você. Seus trocadilhos infames demonstram sua covardia em debater, tentando tornar isso um “ringue” teológico. Comigo essa tática não funcionará, pois a você não dirigirei mais minha palavra – este é o ultimo post a você dirigido, a uma pessoa tão tosca e primitiva como você. Vá estudar a Bíblia, a História e principalmente como ser um cristão e aí poderemos voltar a conversar.

    “E nos dá o direito de atacar a espelunca adventista pelo que ela realmente é: uma seitinha judaica fundada por uns loucos alienados dos EUA que queriam calcular a volta visível de Cristo à Terra. ”

    Você é tão tosco e desprovido de estudos que diz que a Igreja Adventista do Sétimo Dia foi quem marcou as datas para a volta de Jesus. Isso já foi falado neste blog, mas eu reforço: a Igreja Adventista do 7º Dia foi formalmente fundada em 21 de maio de 1863. Em 1844, quando houve o grande desapontamento, não existia nem mesmo esse nome, adventista. Eles era chamados de Milleritas, por seguirem a Guilherme Miller, fundador do movimento que marcou a data da volta de Jesus. E Guilherme Miller nunca foi adventista do 7º dia. Após esse desapontamento, um grupo sincero de cristãos que haviam passado por aquele desapontamento continou estudando as Escrituras e perceberam tão grande equívoco haviam cometido, formando a base para a criação da IASD, posteriormente. E esta igreja nunca marcou nova data da volta de Cristo, nunca! Mostre-me uma unica evidência disso, documentada! Mas, claro, você vai ignorar isso, porque o que você disse é uma enorme mentira. Seja homem antes para falar, afirmar. O que você faz não é coisa de homem, isso é coisa de moleque. Logo, vá estudar um pouco antes de falar tamanhas inverdades. A wikipedia já seria suficiente. Mas acho que isso nem mesmo você consulta, né?! Quem dirá livros. Deve ter ouvido de um ou outro e achou que era verdade, aliás hábito bem comum da maioria dos cristãos. Pois fique com a sua visão bitolada mesmo, você vai longe assim.

    “Nem se estivéssemos na Idade Média – a verdadeira Idade da Luz”

    Rapaz, você me deu até medo agora – sério. Em que mundo você vive? Em que sociedade??? Seu líder maior, o Papa, já até perdiu perdão pelas atrocidades cometidas no período de negror e trevas espirituais e intelectuais da humanidade! Qual seu nível escolar? 4ª série primária? Quão arrogante você pode ser mais? (Ah, pelo que li antes, você é capaz de maior arrogância, mas é claro, escondido atrás de um teclado e um computador fica muito fácil).

    “E tenho certeza que Cristo aprova que eu o chame de herege, porque Cristo manda dizer sim, sim; não, não. Isto quer dizer que Ele manda chamar as coisas e as pessoas pelo que elas são. Por isso ele chamava os fariseus de hipócritas e de outros apelidos “carinhosos”.”

    Essa não vai dar pra deixar passar. Vamos lá… Então o chamarei pelo nome que deveria chama-lo:

    Em primeiro lugar:

    “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas, nem as servirás: porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos, até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia, em milhares, aos que me amam e guardam os meus mandamentos.” Ex. 20:4-6.

    Vamos a Is. 44:9-19.
    “Todos os artífices de imagens de escultura são vaidade, e as suas coisas mais desejáveis são de nenhum préstimo; e suas mesmas testemunhas nada vêem nem entendem, para que eles sejam confundidos. Quem forma um deus, e funde uma imagem de escultura, que é de nenhum préstimo? Eis que todos os seus seguidores ficarão confundidos, pois os mesmos artífices são de entre os homens: ajuntem-se todos e levantem-se; assombrar-se-ão, e serão juntamente confundidos. O ferreiro faz o machado, e trabalha nas brasas, e o forma com martelos, e o lavra com a força do seu braço: ele tem fome, e a sua força falta, e não bebe água, e desfalece.
    O carpinteiro estende a régua, emprega a almagra, aplaina com o cepilho, e marca com o compasso: e faz o seu deus à semelhança de um homem, segundo a forma de um homem, para ficar em casa.
    Tomou para si cedros, ou toma um cipreste, ou um carvalho, e esforça-se contra as árvores do bosque: planta um olmeiro, e a chuva o faz crescer.
    Então servirão ao homem para queimar; com isso se aquenta e coze o pão: também faz um deus e se prostra diante dele; fabrica uma imagem de escultura e ajoelha diante dela. Metade queima no fogo, com a outra metade come carne; assa-a e farta-se; também se aquenta, e diz: Ora já me aquentei, já vi o fogo. Então, do resto, faz um deus, uma imagem de escultura: ajoelha-se diante dela, e se inclina, e ora-lhe, e diz: Livra-me, porquanto tu és o meu deus. Nada sabem, nem entendem; porque se lhes untaram os olhos, para que não vejam, e os seus corações, para que não entendam. E nenhum deles toma isto a peito, e já não têm conhecimento, nem entendimento, para dizer: Metade queimei no fogo, e cozi pão sobre as suas brasas, assei sobre elas carne, e a comi: e faria eu do resto uma abominação? ajoelhar-me-ia eu ao que saiu de uma árvore? ”

    “Não vos façais, pois, *idólatras*, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para folgar.” I Cor. 10:7

    E em I Cor. 5:11:

    “Mas, agora, vos escrevi, que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou *idólatra*, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal, nem ainda comais.”

    E ainda:

    “Não erreis: nem os devassos, nem os *idólatras*, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores, herdarão o reino de Deus.” I Cor. 6:10

    Olha só!!!! É a Bíblia que estou utilizando, é ela quem está dizendo, a Palavra de Deus! O “documento católico”!!! Como poderia isso estar ali esrito??? oooohhhh!!

    Ah sim, é porque não estou utilizando a Tradição Católica, nem o Magistério Católico… me “desculpe”… só entenderei esse texto se eu me embasar na tradição católica. Aaaah, por favor!!!

    Contudo, como já foi exaustivamente escrito anteriormente, a Bíblia é autossuficiente. Nada de Tradição Católica, Magistério Católico ou até mesmo escritos de Ellen White. Ela – a Bíblia – é mais que autossuficiente.

    “que Cristo está chegando EM BREVE!!! (ai que meda).”.

    Rapaz, você é louco mesmo. Como você é capaz de ironizar até mesmo isso? Misericórdia divina é o que te desejo…

    “Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amem”. Ap. 1:7.

    “E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas;
    E diziam aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós, e escondei-nos do rosto daquele que está assentado sobre o trono, e da ira do Cordeiro; Porque é vindo o grande dia da sua ira; e quem poderá subsistir?” Ap. 6:15-17.

    Boa sorte no grande dia da volta de Jesus. Cuidado, fique longe dos rochedos e dos montes!

    “Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.” AMÉM!!! Volte logo, Senhor Jesus!

    Enquanto isso, vou seguindo conforme diz em Ap. 14:12:

    “Aqui está a paciência dos santos, aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.”

    Um abraço.

  70. Erick,

    Eu já desconfiava que aquela sua pose de bom mocinho, de rapazinho educadinho, era só encenação.

    Foi só eu falar umas duas verdades sobre a sua seitinha satânica que você se revelou.

    E continua fujão e desviador de assunto, como todo herege adventista. Quando é que vai virar e homem e responder o seguinte: como é que você aceita se guiar por uma Bíblia recebida de uma igreja paganizada e corrompida?

    Sabe quando é que você vai virar homem e responder essa perguntinha básica? NUNCA!!!

    Sobre o fato de que o seu “sábado bíblico” foi pras cucuias já no Primeiro Concílio de Jerusalém, você responde que colocou texto documentado sobre o assunto. Que gracinha!

    Primeiro que você não colocou nenhum texto documentado sobre isso, pois não citou nenhum documento. Segundo, o meu argumento é que é documentado, pois se baseia no Livro dos Atos dos Apóstolos. Mas você, como todo trouxa adventista, prefere ler os livrecos daquela maluca racista. Fazer o quê, né? Fica com medinho do fim do mundo, corre para o gibi da Ellen Crazy White! Larga de ser burro, rapaz! Acorda!

    Você fica imitando o meu estilo e mandando eu virar homem e responder o que você coloca. Tudo que você colocou eu respondi. Mas para de imitar o estilo alheio que isso é muito feio. Até nisso você se parece com a Ellen pilantra, que plagiou tudo o que escreveu.

    Você diz que eu escolho o que responder.

    Além de burro, é mentiroso! Você é que faz isso, pois desde a primeira mensagem foge daquela pergunta como o diabo da Cruz. Desafio você a dizer o que você argumentou que eu deixei de responder.

    Você diz que nunca se dirigiu a mim como pagão.

    Só não falou diretamente porque é um covarde, cínico e hipócrita, como são todos os adventistas. Mas indiretamente chamou, sim. Você disse que a Igreja Católica é pagã. Eu sou católico. Logo, eu sou pagão (segundo o seu pensamento, que você não foi homem suficiente para revelar).

    “Eu sou muito homem” – Nota-se…

    “mas você é covarde ao apelar para tradição e magistério católicos para se respaldar.”

    Isso não é covardia, burro. É coerência. Eu sou católico. Não sou biblista protestântico judaico de uma seita de fim de mundo. Tenho que apelar é para a Tradição e o Magistério da Igreja – e não para os delírios de uma louca racista, mentirosa e fazedora de previsões fajutas.

    “Seria cômico se não fosse trágico! Você está correndo do debate bíblico!”

    Quem corre é você, seu fujão! Por que não responde nunca os nossos argumentos? Não respondeu sobre a contradição de seguir uma bíblia feita por uma igreja pagã e corrupta; não respondeu o argumento bíblico de que o sábado foi pras cucuias; não respondeu o argumento de que a própria Bíblia proíbe a interpretação pessoal… E ainda vem dizer que é muito homem! Você é muito homem pras suas negas, aquelas trouxas que ficam te dando o curto dinheiro que têm para você encher o bucho e ficar gritando nessa espelunca de garagem: “Irmãs!!! Deus me revelou: Cristo está chegando!!! Em breve!!! Passem o dinheirinho que vocês não vão precisar mais!!!”

    Você é só um projetinho de William Miller da pior qualidadade. E olha que ser pior que o Miller original não é brincadeira.

    “Me fala, quem é homem então? Quem chama para o debate bíblico respaldado tão somente pela bíblia ou quem insiste em dirigir palavras irônicas e jocosas para desmerecer os argumentos da outra parte, correndo do debate bíblico? Quem?! Quem mesmo?! Seja homem você!!!”

    VOCÊ, QUE É UM COVARDÃO SAFADO.

    “Comigo essa tática não funcionará, pois a você não dirigirei mais minha palavra – este é o ultimo post a você dirigido, a uma pessoa tão tosca e primitiva como você.”

    Obrigado. É um chato, fujão e covarde a menos para me ocupar o tempo.

    “Vá estudar a Bíblia, a História e principalmente como ser um cristão e aí poderemos voltar a conversar.”

    Vá você, burro! Larga esse de gibi da Ellen White um minutinho e leia a Bíblia verdadeira, e leia a Patrística, e leia livros de História. Ou então não leia nada e vá procurar trabalho honesto, em vez de ficar arrancando dinheiro desses coitados que frequentam sua espelunca barulhenta.

    Você nega qualquer relação entre Willian Miller e a espelunca adventista.

    Isso mostra o quanto você é farsante e sem-vergonha, pois até livros adventistas demonstram essa continuidade histórica: Wilian Miller/Edson Hirã/Samuel Snow/Ellen White/Erick Sperandio (botei você na relação só para satisfazer o seu ego, já que você gosta da companhia de falsos profetas. Mas não se iluda: você é muito mais burro que os anteriores. Só espero que não seja tão mau quanto eles. E espero também que acorde enquanto é tempo e não vá fazer companhia a eles no inferno).

    Você é tão burro e preconceituoso que continua chamando a Idade Média de Idade das Trevas, dizendo que foi a época de negror e trevas espirituais e intelectuais da humanidade!

    Isso mostra que você deve ser estudante universiOtário de alguma dessas faculdades de quintal que proliferam atualmente neste mundo de luzes e de gênios intelectuais (tipo Marilena Chauí e Paulo Coelho!).

    Você é burrinho demais, Erick. Nem vou te contar que foi na “Idade das Trevas” que surgiram as Universidades e as escolas públicas, com ensino universal e gratuito para todas as crianças. E os hospitais para cuidar gratuitamente dos doentes. E que foi na Idade Média que se produziram os maiores gênios filosóficos e literários de todos os tempos.

    Para que contar isso a um miserável estudante universiOtário que só acredita no que fala um professorzinho ateu e comunista?

    Como não podia faltar, vem a questão das imagens:

    “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas, nem as servirás: porque eu, o Senhor, teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos, até à terceira e quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia, em milhares, aos que me amam e guardam os meus mandamentos.” Ex. 20:4-6.

    Engraçado que vocês só lêem esse pedaço, né? Por não continuam lendo o mesmo livro até o momento em que DEUS MANDA FAZER IMAGENS DE ANJOS (que estão em cima, nos céus) E DE SERPENTE (que anda sobr a terra)? E se lesse outros livros encontraria DEUS MANDANDO FAZER IMAGENS DE BOIS (que andam sobre a terra), DE PEIXES (que andam nas águas debaixo da terra) de HOMEM (que anda sobre a terra), DE MAR etc. Ponha o livrinho da Ellen White na estante, pega a Bíblia, leia-a que você encontrará tudo isso. E ao encontrar, se fosse honesto, pensaria: “tem alguma coisa errada. Deus proíbe fazer imagens e manda fazer imagens.” E se fosse mesmo honesto, procuraria ouvir os argumentos católicos e, quem sabe, até se converteria. Mas como é desonesto, fingirá que não leu e continuará berrando aos pagadores de dízimo: “Gente, é proibido fazer imagens! Eu li na Bíblia!”

    Protestante é desonesto e só lê o que interessa. Se não, como continuar enganando os trouxas que só escutam o que diz o pastor buchudo?

    “Não erreis: nem os devassos, nem os *idólatras*, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores, herdarão o reino de Deus.” I Cor. 6:10

    É isso mesmo! Os idólatras vão para o inferno. Então seja esperto e pare de idolatrar a Ellen White, que essa vagabunda já está ardendo nas chamas eternas.

    “Olha só!!!! É a Bíblia que estou utilizando, é ela quem está dizendo, a Palavra de Deus! O “documento católico”!!! Como poderia isso estar ali esrito??? oooohhhh!!”

    “Oooohhhh!!” Xi… Contenha-se, meu filho! Esses gritinhos histéricos pegam mal para quem se diz ser “muito homem”.

    “Contudo, como já foi exaustivamente escrito anteriormente, a Bíblia é autossuficiente. Nada de Tradição Católica, Magistério Católico ou até mesmo escritos de Ellen White. Ela – a Bíblia – é mais que autossuficiente.”

    Se a Bíblia é autossuficiente, quem é que vai dar a interpretação correta? Você? O Silas Malafaia? O pEdir Maiscedo? A Ellen doida? o William Miller? Lutero? Calvino? Joseph Smith? Todos eles tiraram conclusões diferentes da leitura da Bíblia.

    Quando você me provar, PELA BÍBLIA, que é algum desses aí que tem a intepretação correta da Bíblia, eu sigo qualquer um deles, tá bom? Tô Sperandio….

    “Boa sorte no grande dia da volta de Jesus. Cuidado, fique longe dos rochedos e dos montes!”

    Obrigado pelo aviso. E você, vai para as montanhas semana que vem esperar a volta de Cristo? Quem sabe um outro “pastor” aí já não refez as continhas. Vai lá, bestão, se não vc corre o risco de ficar de fora. Antes disso venda tudo o que tem e mande o dinheiro pra mim, tá bom, trouxa?

    “Eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.” AMÉM!!! Volte logo, Senhor Jesus!”

    Ai que meda!!! Pára Erick. Tá me assustando!

    “Aqui está a paciência dos santos, aqui estão os que guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus.”

    Aqui aonde? Na sua igrejola de garagem?? Me poupe.

    Um abraço.

    Carlos.

  71. É publico e notório que a instituição IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA de hoje não é mais a mesma de sua fundação. os homens que ela dirigiam se disviaram de suas atribuições e obrigações para com Deus e a vontade humana foi quem prevaleceu desde o início da “SANTA INQUISIÇÃO” ou se cria na Igreja ou morria!
    O Espírito Santo de Deus, não está presente em nomeclaturas de igrejas ou instituições e sim no coração dos homens a quem ele confiou tal tarefa de levar o Evangélio Eterno. apartir do momento que tais homens deixam a vontade de Deus por suas próprias convicções afim de tirar proveito próprio a unção lhe é tirada e transferida à quem Deus assim quiser.
    No passado Deus ungiu Saul Rei de Israel, mas ele se disvirtuou do seu caminho e Deus o substituiu por Davi. contudo Israel continuou sendo o guardião dos oráculos sagrados, os guardiões da verdade do único e verdadeiro Deus, mas isso até a chegada do menino Jesus que retirou essa condição de Israel, digo dos líderes, doutores da lei, sacerdotes, e passou para seus dicípulos e deu início a uma nova fase , A FUNDAÇÃO DE SUA UNICA E VERDADEIRA IGREJA, mas no livro do apocalípse o Apostolo João recebeu uma revelação divina e nos tranmitiu para nos alertar que nós como seu povo, deveríamos sair de uma certa instituição para não sermos cúmplices de seus pecados. Mas que instituição seria essa????
    a revelação nos diz:”E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. (Ap 18:4)”.
    Sai dela POVO MEU! Deus está claramente mostrando que seu povo deveria sair de um lugar que não tinha mais sua unção, ele se dirige única e exclusivamente para seu povo (POVO MEU).
    Deus é acima de tudo Oniciente, vê o fim antes do início, e com os desmandos que a Igreja católica Apostólica Romana fez matando os verdadeiros cristãos nas arenas por não se submeterem aos dogmas de pessoas que ó possuiam a nomeclatura de Igreja de Deus mas serviam ao deus deste século, cometendo atrocidades horendas. Será que Deus estava no comando daquela carneficina?
    O povo de Deus saiu obedecendo a ordem dada na profecia do apocalípse: que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. (Ap 18:4)
    Melhor seria se aqueles homens não tivesssem se disvirtuado e tivessem permaecido fiés ao Nosso Deus, se assim tivesse sido, hoje teríamos só uma Denominação abrigando todos os povos da terra, sem divisões de crenças, mas infelismente o orgulho e a vaidade humana foi maior e aqueles homesn imitando Satanaz, sentiram o desejo de serem semelhante a Deus, mas Graças a Deus se levantaram homens la de dentro mesmo da Igreja católica que não se dobraram a vontade de líderes mas antes preferiram sofrer angustias e perder a prórpria vida em defeza do verdadeiro Evangélho de Jesus Cristo.
    Quando Jesus voltar para buscar seu povo, então seremos um só rebanho de um só pastor. Que Deus ilumine através do seu Santo espírito nossas mentes e nossos corações para não olharmos nomeclaturas de igrejas e sim olharmos para o alvo que é cristo para podermos está livres da condenação que está imposta aos que forem cúmplices segundo Apoc. 18:4
    um abraço fraterno!

  72. QUEM FUNDOU A IGREJA VERDADEIRA?
    QUANDO FOI FUNDADA, E QUEM FOI O SEU FUNDADOR?
    FOI O PAGÃO,IMPERADOR CONSTANTINO QUE FUNDOU A IGREJA CATÓLICA ROMANA EM 321? NÃO.
    FOI LUTERO, QUE APESAR DE TUDO, CONTRIBUIU MUITO PELA CAUSA DE DEUS? NÃO.
    Quem fundou a verdadeira igreja então?
    FOI CHARLES TEZE RÚSSEL DA TORRE DE VIGIA? NÃO
    FOI GUILHERME MILLER, OU ALGUM ADVENTISTA? NÃO.
    SERÁ QUE FOI LUIS FRANCESCON QUE VEIO DOS ESTADOS UNIDOS ATÉ SANTO ANTONIO DA PLATINA EM 1910? NÃO.
    SERÁ QUE FOI DAVID MIRANDA, QUE FUNDOU UMA IGREJA EM 1963 PARA FICAR RICO A CUSTA DO DINHEIRO DO POVO INCAUTO? NÃO. NÃO FOI ELE QUE FUNDOU A IGREJA VERDADEIRA NÃO.
    SERÁ QUE DEUS PRECISA DE HOMENS PARA FUNDAR A SUA IGREJA?
    “SERÁ “QUE DEUS, ESTE GRANDE” DEUS”,PRECISA DOS FALÍVEIS HUMANOS?OU SOMOS NÓS QUEM PRECISA DE DEUS?
    SERÁ QUE AS PESSOAS NÃO ESTÃO VENDO QUE NENHUM HOMEM TEM CONDIÇÕES DE FUNDAR UMA IGREJA PARA DEUS?
    SERÁ QUE A IGREJA DE DEUS FOI FUNDADA PELOS MAIS DE DUZENTOS FUNDADORES, DE IGREJAS DIVERSAS, NO MUNDO
    INTEIRO?
    ATENÇÃO:”O ÚNICO QUE FOI FUNDADOR DA VERDADEIRA IGREJA,FOI JESUS,O CRISTO,FILHO DE DEUS,QUE MORREU POR ELA.”OS OUTROS SÃO ANTI-CRISTOS,QUE PROCURARAM DIVIDIR A VERDADEIRA IGREJA QUE FOI FUNDADA POR JESUS,NO ANO 33.
    DEPOIS DO PRIMEIRO SÉCULO, TODAS AS OUTRAS IGREJAS DENOMINACIONÁIS, TIVERAM AS SUAS ORIGENS, POR MEIO DOS ANTICRISTOS QUE SAÍRAM DA IGREJA PRIMITIVA, PARA FUNDAR AS SUAS EMPRESAS. VEJA O QUE DIZ O APÓSTOLO JOÃO, NA SUA PRIMEIRA CARTA, NO CAP.2: V.18,19; ”Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se teem feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora. Saíram de nós, mas não era de nós; porque se fossem de nós, ficariam conosco; mas isso é para que se manifestasse que não são todos de nós.”
    DE ONDE TERIA QUE VIR A VERDADE? DOS ESTADOS UNIDOS?
    RESPOSTA:A VERDADE TERIA QUE VIR DE ONDE ELA FOI IMPLANTADA.ISTO É;DE JERUSALÉM ONDE CRISTO FORMOU A SUA IGREJA,E NUNCA DOS ESTADOS UNIDOS,COMO TEM ACONTECIDO COM A MAIORIA DAS IGREJAS,QUE OS SEUS FUNDADORES TEM VINDO DOS ESTADOS UNIDOS COM AS SUAS HERESIAS.
    LEIA COMIGO LUC.24:47; que diz:”E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados,em todas as nações,”começando por Jerusalém.”
    ALEM DO MAIS,A PALAVR DO SENHOR TERIA QUE VIR DE JERUSALÉM,QUE FOI O LUGAR QUE JESUS FUNDOU A SUA IGREJA.
    LEIA ISAÍAS 2:.3;que diz:”…Porque de Sião sairá a lei,e a palavra do Senhor de Jerusalém.”
    Essa lei que ia sair de Sião, e a palavra de Deus, de Jerusalém,era para quem?
    Para essas igrejas mentirosas que até mal da lei de Deus falam?
    TODA IGREJA DENOMINACIONAL,ESTÁ NAVEGANDO NO ALTO MAR SEM MAPAS OU BÚSSULA.

  73. FRANCISCO
    Seu comentário está aguardando moderação.

    “Contudo, é de se reconhecer que a Bíblia, quando o assunto é “batismo”, não é muito clara quanto ao modo como se deve batizar…”

    Estava fazendo uma pesquisa e por “acaso” achei esta página comecei a ler as várias posições e opniões.O que me chamou a atenção é que pelo fato e se mostrarem estudiosos do assunto (não digo SÁBIOS porque SABEDORIA é a aplicação CORRETA do conhecimento adquirido) um de vocês postou tal afirmação acima entre aspas.Como assim “não é muito clara quanto ao modo como se deve batizar…”?.Fui batizado na igreja católica quando era menor e lembro-me que foi por aspersão(borrifos de água).Agora adulto e depois de ter aceitado o senhor JESUS como ÚNICO e SUFICIENTE SALVADOR cumpri uma de suas ordenanças que é o batismo.BAtismo vem do grego BAPTIZO que singnifica mergulhar ,submergir.Então a própria palavra BATISMO já mostra como o mesmo deve ser feito.

    • Francisco , no Batismo somos imersos em Cristo , a água é apenas o aparente.
      Os fariseus do tempo de Jesus( e os fariseus do nosso tempo) é que se preocupam com as aparências e se recusam a ir para as “águas mais profundas”, lá onde está a Verdade. Preferem ficar na lama da margem, discutindo se barro é argila.

  74. Amigos quero dar meus parabéns aos irmãos católicos que travam aqui esta luta entre a luz e as trevas protestantristes , notadamente contra essa seita singular pela heresia chamada de IASD e seus sub-nomes.
    Quanto à loucura protestante, eu sempre fiz a eles esta indagação e , como se vê aqui, eles fogem e não respondem.
    Mas é o seguinte, como é que pela mesma “doutrina da sola scriptura” eles conseguem ler tantas cosias diferentes na mesma Bíblia, na Bíblia deles deles, forjada pelos critérios farisaicos do Sínodo de Jâmina.

    Qual a “seita certa”?

    A que crê que Jesus é Deus , ou a que crê que é [um] deus?

    A que crê na Santíssima Trindade, ou a que abomina essa ideia?

    A que santifica o Domingo, ou a que santifica o Sábado?

    A que batiza crianças , ou a que afoga adultos ?

    A que só tem pastores homens, ou a que tem pastoras , bispas e coisas parecidas?

    As que combatem gays lésbicas travestis e simpatizantes, ou a que se chama Igreja Evangélica Gay?

    A que tem um mínimo de respeito pela Virgem Maria, ou as que a odeiam cordialmente?

    As que tem até um hierarquia de títulos autoconcedidos de Arcebispos, Bispos , presbíteros, diáconos, ou as que tem pastô do retetê?

    As que acreditam na consubstanciação das espécies do pão e do vinho em corpo e sangue de Jesus , ou as que comem pão francês e bebem suco de uva macaqueando a Eucaristia?

    As que acreditam que Jesus é ao mesmo tempo Deus e Homem, ou as que O separam em duas naturezas distintas?

    As que marcam datas para o fim do mundo , ou as que não marcam?

    As que acreditam piamente que serão arrebatadas, ou as que riem disso?

    As que extorquem dízimos ou as que não cobram nada?

    E todas elas, acreditando em tantos disparates pelo mesmo principio da Sola Scriptura;

    Fica difícil conservar alguma feição cristã em meio a toda essa torre de babel protestante, que não cresce como o Cristo por atração, mas pelo proselitismo, em boa hora condenado por Nosso Senhor em Mateus 23 , 15.

    Um abraço a todos e Paz e Bem!

    Rodrigo

  75. Parabéns Everth. Estava precisando de ajuda para começar a entender a nossa fé católica. Não quero questionar se as demais religiões estão certas, ou erradas quero o melhor para eles e as demais religiões. Espero que mesmo seguindo a Igreja deles estejam sendo pessoas que venham buscando a salvação e creio que Deus é muito maior do que essas picuinhas que eles tentam colocar como necessárias para a salvação. Quero simplesmente estar a vontade para ser católico e não ser atacado ou olhado com nojo ou desprezo.

  76. Queridos:Carlos,Everth,Ancião e Angélica!E você Anônima!Parabéns por defenderem a nossa querida Igreja Católica Apostólica Romana.Fico feliz por vocês existirem!Meus parabéns.Que Nossa Senhora ,Maria Santíssima

  77. Gente….quanto estrago esse Alexandro fez aqui?!?! AFFFFFFF…

    Esse cara não representa e nunca representou os adventistas!!!!! O site adventismoemfoco, NÃO é da IASD. É de um sujeito doente, que frequentava uma IASD mas distorcia ou distorce ainda TUDO o que lia ou ainda lê. Arrumou trocentos inimigos, pela falta de equilíbrio que o fez, inclusive ameaçar de morte duas pessoas por causa de uma comunidade adventista.

    Não consigo acreditar que várias pessoas, formaram uma imagem de adventistas baseada no desequilibrado do Alexandro.

  78. parabens meninos pois o estrago que esses ´mala – cheia´ estao fazendo povo é uma verdadeira aberaçao

  79. Gostaria muito de poder estudar mais com a Igreja Católica sobre diversos assuntos; sou leigo, mas em busca da verdade, estou em processo de renovação Espiritual e pretendo entregar minha vida completamente à Cristo; preciso muito de obter o máximo de informações sobre a Bíblia e a Igreja Católica, fiz o estudo com o Adventista Pr. Luís Gonçalves via Internet e fiquei realmente preocupado com os 27 temas apocalípticos acusando a Igreja Católica e também todas as outras igrejas que não aceitam os 10 mandamentos e Jesus Cristo como seu único Salvador.
    Não sou uma pessoa que aceita os fatos sem comprovações justas, e resolvi pesquisar e saber o que a Igreja Católica fala a respeito “da verdade” considerando sua história e todos os fatos atuais tanto dentro da Igreja membros ‘padres, bispos e etc’ quanto os fiéis que se dedicam a adoração na Igreja em nome de Cristo.
    Gostaria de obter se possível estudos que comprovem que realmente a Igreja Católica está na verdade, e assim tirando toda a insegurança que se instalou na minha cabeça de forma verdadeira definitiva.
    Se a Igreja disponibiliza estudos, pesquisas, panfletos, dvds, sites, me mande por favor.
    Meu endereço é:
    Av. Sta Cruz Número 3255
    Bairro Sta Cruz
    cep: 14403500
    Franca Sp

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s